Gamificando a jornada FIRE

Super Mario Bros e a busca interminável pela felicidade - Serial Cookies

Vocês já jogaram Super Mario Bros da Nintendo?

Quando eu era mais nova, era viciada nesse jogo. Jogava na casa dos meus primos e mais pra frente, consegui comprar um Game Boy só pra jogar esse jogo. Os outros jogos não me interessavam. Só esse.

Não é a primeira vez que penso nisso, mas eu enxergo a minha jornada FIRE como um jogo de videogame.

Eu enxergo os 12 meses do ano como 12 fases para passar. Isso significa que todo início do mês, tenho algumas tarefas que precisam ser cumpridas como fazer aportes, eliminar gastos supérfluos e tentar reduzir os gastos sem reduzir o padrão de vida. Veja bem, não é parar de consumir, nem deixar de gastar em coisas que traz conforto e felicidade pra família, estou falando em eliminar supérfluos, eliminar gastos desnecessários.

Depois vem o fechamento patrimonial do ano, esse fechamento anual é o chefão que preciso enfrentar para passar para a fase seguinte.

Se tudo estiver nos conformes, eu mudo de “mundo”, e tenho um novo ano (no caso, 2021) para começar tudo de novo. E assim, estabeleço recompensas como viagens com a família.

Eu sem saber, utilizava uma técnica chamada de gamificação:

“Gamificação é o uso de mecânicas e dinâmicas de jogos para engajar pessoas, resolver problemas e melhorar o aprendizado, motivando ações e comportamentos em ambientes fora do contexto de jogos.” Fonte: Edools.

O desafio desse ano, era aportar um determinado valor. Esse valor era algo um pouco irreal, mas não importava, para mim era o desafio, a sensação do jogo. A pandemia chegou, ficamos mais tempo em casa do que gostaríamos, não viajamos, não fomos para restaurantes, não passeamos, não fizemos grandes compras e eis que esse valor irreal de alcançar a meta do aporte não foi só alcançada, como foi superada.

Esse ano, meu IPCA pessoal ficou em 4%, em parte por conta dos aumentos nos itens do supermercado, mas também porque tive gastos extras ao mudar de cidade, contratação de caminhão, pintura e a adequação do novo apartamento, compra de alguns móveis, o que gerou alguns gastos a mais. Ainda estou pensando o que irei gamificar no ano que vem. Talvez me desafiar à uma deflação de 10%, com o desafio de reduzir 10% dos meus gastos anuais, sem reduzir o padrão de vida? Talvez um novo número de aporte anual? Vamos ver, ainda não decidi.

Gamificar a própria vida financeira tem tornado a minha jornada FIRE mais divertida.

~ Yuka ~

18 Comments on “Gamificando a jornada FIRE”

  1. acho que dá pra aplicar esse conceito a vida como um todo (saúde, relacionamentos, finanças etc). tem até um livro que tem essa pegada (Jogos Finitos e Infinitos James P. Carse)

    abs!

    Curtir

    • Oi Scant, pois é, semana passada, a leitora Daniela comentou que filhos são como vídeo game, vai mudando de fases rsrs. Já tinha escrito esse post sobre gamificar a jornada FIRE, mas achei muito interessante quando ela comentou sobre filhos. E agora você está comentando sobre saúde, relacionamento etc. Muito interessante. Não conhecia esse livro que você indicou, vou dar uma olhada. Obrigada!

      Curtir

  2. Que interessante esse conceito Yuka! Eu tb tenho muito prazer em criar metas e atingi-las. A acho que essas metas de redução de gasto atiçam outra parte da nossa vida: a criatividade! Eu já acho q levo um vida bem ponderada do ponto de vista financeiro. Mas é impressionante como a gente acaba relaxando com alguns gastos as vezes. Contratar um serviço que podemos fazer sozinhos, não pesquisar direito antes de comprar alguma coisa, fazer algum plano de assinatura mensal só pq são 20 reais por mês, rs. E aí vai. Aí quando vc se propõe a passar um pente fino nos gastos, sem diminuir o padrão de vida, haja criatividade!
    Acho que essa é uma das coisas que eu mais amo na jornada FIRE, não só a criação de uma vida mais livre e resiliente, mas também de uma vida mais criativa!
    Beijos Elsa

    Curtir

    • Oi Elsa, não tem jeito, a gente sempre acaba relaxando mesmo. Lembro quando não colocava um limite nos gastos de alimentação, quando eu vi, estava num valor tão absurdo que dá até vergonha de contar rsrs. A partir daí comecei a estipular um limite de gastos, pra não extrapolar como eu estava extrapolando. É que nem feira, né? Se a gente vai com 100 reais, gastamos 100 reais. Se vamos com 70, gastamos os 70. E se vamos com 50, gastamos os 50, mas sempre voltando com o carrinho abastecido. Quando eu percebi isso, fui baixando o valor até descobrir qual era o valor ideal para uma boa compra semanal. Esse final de ano, é o período em que avalio os gastos anuais que eu tive, e com isso estabeleço meus novos “limites” de gastos para cada categoria. Em algumas categorias meu marido até fala “isso aí você não vai conseguir não”, e aí é mais um desafio para o ano: provar que o marido estava errado kkkkkk. Beijos.

      Curtir

    • Oi Nana, kkkk você também jogava né? Eu adoro Mario. Eu ainda tenho o game boy guardado na minha gaveta, só não jogo, porque aí não vou querer largar mais. E agora com 2 filhas, fica tudo um pouco mais complicado rsrs. Beijos.

      Curtir

  3. Oi Yuka! Eu acho que, assim como a economia, somos feitos de ciclos. Dois deles se alternam: ganhar mais vs gastar menos. Passei anos buscando gastar menos, depois foquei em ganhar mais, agora (há pouco mais de 1 ano) focando em gastar menos de novo.
    Você sabe melhor que ninguém que minimalismo é diferente de escassez.
    Estarei sempre na torcida por você e família.
    Beijos

    Curtir

    • Oi AC, sim, você resumiu bem. Eu poderia até ganhar mais (abrindo um negócio novo, ou mudando de emprego), mas acho que o esforço seria muito maior, então acabo me contentando em gastar menos rs. Obrigada pela torcida, também torço pela sua. Beijos.

      Curtir

    • Oi Stifler, eu faço o máximo para não jogar vídeo game, porque eu descobri desde aquela época dos jogos em CD-ROMs que viam junto com revistas, que tenho sérias tendências de ser aqueles asiáticos que jogam 48 horas sem parar, sabe? kkkk. Então melhor afastar e gamificar a minha jornada FIRE, pelo menos serve pra alguma coisa rs. Beijos.

      Curtir

  4. oi Yuka, boa tarde

    Eu nunca tinha pensado a minha vida econômica em termos de jogos. Mas é uma ideia muito boa, vou aplicar por aqui. Eu sempre pensei o economizar em termos de abrir mão das coisas, então, mesmo não sendo um sacrifício, tinha um componente emocional muito grande. Eu sei que a ansiedade para mim é um gatilho importante em termos de compras. Quando estou ansiosa tenho a tendência de comprar coisas inúteis ou muito fora do meu padrão em termos de roupas e sapatos.

    Eu acompanhei o blog da Marina Viana há alguns anos, o Um Ano sem Compras. Acho que depois ela tirou ele do ar. Mas ela se propôs o desafio de ficar um ano sem comprar roupas, sapatos e coisas para casa (não lembro bem o que não estava incluído). Estou pensando em colocar esse objetivo para mim. Tenho muito mais roupa e sapato do que preciso. E coisas para casa, cama, mesa e banho também tenho muito mais que o suficiente. Em dinheiro não vai dar tanto assim, porque não compro tanto assim, mas o desafio é para identificar as chaves que me fazem comprar o que não preciso.

    Vou começar a fazer o pente fino nos gastos do cartão também. Eu pago absolutamente tudo no cartão, para simplificar as conferências e acumular pontos. Claro, quando tem qualquer desconto, eu pago à vista, mas é bem raro de acontecer. Não costumo parcelar nada, então se é algo que acho que vai ficar pesado para o mês seguinte, eu espero o cartão fechar. Detesto aquelas compras em 3x que ficam assombrando a minha planilha. Às vezes eu nem lembro mais o que era, então, faz uns anos que deixei de parcelar completamente. Acho que isso faz eu comprar menos, no geral, e compensa qualquer ganho de aplicação que eu pudesse ter com o parcelamento.

    Com a questão da pandemia, os meus gastos anuais mudaram bastante de percentual e acabei também economizando mais que tinha previsto. Nós tínhamos uma viagem que eu queria muito fazer e acabou tendo que ser cancelada. Mas, apesar de preferir ter tido o gasto da viagem, não fiquei me lamentando, porque isso mostra o quanto nós somos privilegiados, todos nós que conseguimos trabalhar de casa e não ter perdas financeiras.

    No meu trabalho, a pandemia serviu para apressar a desburocratização de algumas tarefas, cujos processos se tornaram completamente digitais, o que levaria provavelmente mais uns 2 ou 3 anos para ocorrer de forma natural. Ao menos esse horror serviu para alguma coisa.

    Beijo, e boa semana,

    Daniela

    Curtir

    • Oi Daniela, sim, eu lembro desse blog Um Ano Sem Compras, era bem divertido acompanhar. Quando tudo vira um jogo, os sacrifícios viram desafios. Eu sou uma pessoa competitiva, mas não gostava dessa minha característica, porque competir, dava aquela sensação de que alguém sempre tinha que perder. Quando comecei a competir comigo mesma, fazer pequenos jogos de desafio, foi muito bom, porque foi quando eu consegui transferir todo aquele sentimento de competição em algo muito saudável. O Scant indicou o livro Jogos Finitos e Infinitos, que aplica esse método em várias áreas da vida. Eu não conhecia o livro até então, mas acho que seria algo muito útil, acredito que pra mim funcionaria muito bem. Também faço que nem você Daniela, de concentrar todos os pagamentos no cartão de crédito, então um dos meus desafios para o ano que vem, é estipular um limite de gastos. Esse ano, foi um show de gastos na fatura do cartão, tudo bem que fiz mudança residencial e tal, mas como ano que vem não terei esses gastos extras, pensei em estipular um gasto limite por mês. Espero que dê certo rs. Um beijo, e boa semana pra você também.

      Curtir

  5. O pior (ou melhor, dependendo do ponto de vista) Yuka, é que a gamificação ajuda e muito, viu? Um exemplo é eu voltar a estudar alemão, que só ocorreu por causa do Duolingo, embora que nas últimas semanas eu tenho estado afastado. Mas é aquela ânsia de ganhar os pontos e chegar na frente que faz com que nos estimulemos a manter os estudos.

    Na área financeira nunca usei algo próprio para gamificar as conquistas, mas sempre gostei do acompanhamento das rentabilidades, da diminuição da TNRP, etc. Não é bem um jogo, mas realizar comparações de resultados com as metas definidas também ajudam bastante!

    Bjus e Feliz Natal!

    Curtir

    • Oi André, verdade, o Duolingo usa esse método de gamificação… não só com você mesmo, mas com outros participantes, criando rankings. Também me afastei um pouco, desde que a pandemia começou, mas tinha uma época que eu estava bem viciada (no meu caso, era inglês rs). Feliz Natal pra você, André, aliás, pra vocês 3!!! Beijos.

      Curtir

  6. Olá Yuka!
    Ando um pouco sumido daqui dos comentários, mas sempre leio seus posts.
    Eu procuro gamificar toda minha vida hehe.
    Particularmente este ano foi incrível para minha família. Apesar da Covid, fizemos nossa primeira viagem internacional (pouquinho antes da pandemia, diga-se de passagem), conseguimos evoluir bastante nosso patrimônio através do trabalho principal e outras rendas extras que desenvolvemos aqui em casa.
    Eu também adorava Super Mario. Este ano compramos um emulador de games antigos (menos de R$ 400) que roda todos os jogos antigos. As vezes nos divertimos bastante, especialmente jogando Mario Kart em família (brigas e diversão certa! kkk).
    Um abraço e boas festas pra você e sua família.
    Stark.
    http://www.acumuladorcompulsivo.com
    http://www.elevedigital.com.br

    Curtir

    • Oi Stark, eu preciso aprender a gamificar minha vida também, por enquanto faço isso só na parte financeira, e vejo como tem vantagens. Sério que tem um emulador com jogos antigos? kkk Deve se divertir horrores, né? Não vou nem comentar com o marido, porque se comprarmos, vamos viciar, certeza rsrs. Parabéns pela sua primeira viagem internacional, foi a primeira de muitas que ainda virão. Desejo pra você um Feliz Natal!!! Beijos.

      Curtir

  7. Yuka,

    Muito interessante o seu post!

    Penso que o Duolingo é um grande exemplo de gamificação, pois saber que conseguimos alcançar os objetivos propostos e superar limites é muito bom para a motivação e o crescimento pessoal. Mas até hoje, minha motivação ficava apenas nessa plataforma, pois nunca havia pensado na ideia de gamificar outras áreas da vida. E para quem gosta de games como nós, isso faz muito sentido!

    A propósito: eu gostava mais do Sonic. rsrsrs

    Tive um problema na migração de plataforma do blog (agora também estou do WP), por isso peço que você se cadastre novamente na newsletter do Simplicidade e Harmonia.

    E caso utilize, também readicione o blog nos aplicativos de leitura, como o Feedly e Inoreader, pois neles os posts após a migração não estão aparecendo.

    Boas festas para você e para os seus familiares!

    Curtir

    • Oi Rosana, espero que se adapte bem ao WordPress, eu já uso desde o início, e por isso mesmo, gosto bastante da plataforma.
      O Stark comentou que gamifica a vida toda, preciso aprender a fazer isso, hoje, só gamifico a área de finanças, e colho bastante benefícios.
      Um Feliz Natal pra você, que o ano de 2021 seja mais leve para todos nós. Beijos.

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: