O ponto de virada: quando comecei a buscar a Independência Financeira

 

Nevoeiro, Amanhecer, Aves, Árvore, Estética, Pôr Do Sol

Acho que todo mundo que busca alcançar a Independência Financeira tem uma história boa para contar. Comigo não é diferente.

Desde que passei a ter um emprego, poupava um pouco todos os meses. Não tinha grandes objetivos, pensava em talvez comprar um carro e uma casa própria antes de ter filhos e só. Por justamente não ter objetivos financeiros, gastava meu dinheiro com facilidade, comprando roupas, presentes, restaurantes, viagens…

“Investia” o que sobrava no meu banco, e aconselhado por experientes gerentes, após recomendação de riqueza garantida, cheguei a ter título de capitalização e previdência privada, para “garantir um futuro tranquilo para mim e para as futuras gerações”.

A vida era boa (pelo menos eu achava assim) e tudo ia caminhando bem.

Até que minha filha nasceu e minha vida virou do avesso…

Não queria mais trabalhar, queria estar com ela. Não queria deixa-la na creche, nas mãos de pessoas que nunca tinha visto.

Chorei muito. Minhas amigas me consolavam dizendo que a vontade de trabalhar iria voltar até o fim da licença-maternidade. Mas essa vontade não voltou até hoje (e olha que minha filha mais velha tem 4 anos).

Comecei buscando respostas na internet colocando perguntas aleatórias como “como não precisar trabalhar”, “como viver de renda”, “como se aposentar mais cedo” etc. E foi aí que encontrei o termo FIRE (Financial Independence Retire Early) e tudo passou a fazer sentido.

Comecei fazendo umas contas no papel, depois fui para calculadora de juros compostos e ao ver o valor final, não conseguia acreditar nos resultados. Como assim, juntar 200 mil e ganhar 800 mil de juros compostos? Como assim, juntar 400 mil e ganhar 4 milhões de juros compostos? A única variável que mudava era o tempo. Quanto mais tempo, mais os juros compostos faziam o seu magnífico trabalho.

Descobri a TSR (Taxa Segura de Retirada) de 4%, muito comum entre FIREs, e com isso descobri o meu próprio número mágico para correr atrás.

Com a calculadora, vi que era altamente possível alcançar FIRE em alguns anos.

Mostrei para o meu marido (cético como todo físico) todo o raciocínio do Movimento FIRE, mostrei o meu plano, o resultado na calculadora, e vi seu rosto clarear. Sim, era a confirmação que eu precisava de que realmente era possível.

Desde 2010 eu e meu marido já poupávamos, e a partir de 2015 passamos a investir pesado. No total, são 9 anos de muita dedicação: 5 anos poupando e 4 anos sabendo exatamente para onde estamos caminhando e para onde queremos chegar.

Já ouvi mais de uma vez que precisamos escolher em qual década pouparemos mais e investiremos para garantir um futuro melhor.

Ao fazer uma simulação/previsão, percebi que a minha década de “sacrifício” já havia passado, já que estou no nono ano. Isso significa que a fase mais difícil já passou, sem nem ao menos ter tido essa noção de sacrifício.

Saber que em breve terei a minha liberdade de Tempo, me faz andar a passos largos.

Apesar de todo o esforço, não precisei abrir mão das coisas mais importantes da minha vida. O que fez diferença na minha vida foi ter aprendido a fazer escolhas inteligentes.

Para quem busca a Independência Financeira como eu, qual foi o seu ponto de virada?

~ Yuka ~

 

 

 

 

Anúncios

35 comentários em “O ponto de virada: quando comecei a buscar a Independência Financeira

  1. Parabéns pelo comprometimento ! Eu eu não sei investir, mas estou tentando poupar e há meses que consigo um pouco mais, às vezes um pouco menos. Não ganho muito, mas estou tentando….

    Curtir

    • Oi Silvia, procure no Google que você vai encontrar diversos sites ensinando a investir. Talvez seja interessante começar pelo Tesouro Direto, aos poucos. Poupar é diferente de investir. É só investindo que você vai conseguir os benefícios dos juros compostos. Eu também comecei com bem pouco, conforme fui aprendendo a poupar com maestria, fui aumentando os aportes. Guarde todos os meses, é importante ter consistência nos aportes. Beijos.

      Curtir

  2. Oi!Yuka! Parabéns por toda sua organização, confiança e dedicação. Com certeza colherá todos os frutos do seu esforço. Estou muito feliz por vc! Um grande beijo

    Curtir

    • Oi Thaís, minha querida amiga!!!! Obrigada, você, mais do que ninguém, viu a minha trajetória, desde o casamento, depois o divórcio rsrs, o novo casamento, as filhas… Um grande beijo.

      Curtir

  3. Meu ponto de virada, na verdade, foi um conjunto de pontos.
    1. A empresa onde trabalho mudou minha contratação de CLT para PJ. Automaticamente o governo parou de “investir” por mim, e precisei começar a investir por conta própria (Renda Fixa, na época);
    2. Um professor de finanças no MBA me ensinou a utilizar a HP12c para investimentos e também mostrou sua carteira (Ele já era FIRE há alguns anos, e dava aulas por mero prazer);
    3. Somando os dois pontos acima, comecei a pesquisar sobre investimentos. Conheci alguns youtubers famosos (que na época estavam só começando) e finalmente a finansfera. E aí comecei a investir… Algum tempo depois veio o blog.
    Acho que esses 3 pontos foram muito importantes, e na falta de um deles, eu levaria mais tempo a achar o ponto de virada.
    Parabéns pelo texto e por provocar essa ótima e inspiradora discussão.
    Obs.: como todo bom investidor, me arrependo de não ter começado antes, hehe. Mas sempre há tempo.
    Grande abraço!
    http://www.acumuladorcompulsivo.com

    Curtido por 1 pessoa

    • Oi Stark, meu sonho sempre foi conhecer um FIRE pessoalmente, e conhecer a história. Seu professor do MBA deve ter sido uma grande inspiração pra você. Nesse ponto, apesar de comentar pouco nos outros blogs por falta de tempo mesmo (os que tem WordPress eu consigo acompanhar mais fácil, já que meu blog também usa a mesma plataforma), a comunidade da finansfera me ajuda a inspirar e a continuar nessa jornada que apesar de ser longa, tem sido muito boa. Eu também me arrependo de não ter começado antes rsrsrs. Na verdade, fico lembrando de como já joguei dinheiro fora. Já rasguei muito dinheiro antes de ter como objetivo a Independência Financeira. Mas sempre penso, antes tarde do que nunca. Um beijo!

      Curtido por 2 pessoas

  4. Yuka sua linda!! Vc me inspirou e me inspira muito a uns 2 anos e meio mais ou menos!! Só evolui depois que te conheci, depois que conheci o minimalismo e junto com isso inevitavelmente conheci a educação financeira, foi uma jornada longa, intensa e maravilhosa de autoconhecimento!!! Não sou fire, mas hj sou educada financeiramente e aprendi a lidar com dinheiro, para que ele seja uma benção na minha vida e na vida daqueles que eu amo!! Aprendi gratidão e suficiência, ah a suficiência que coisa linda viver ela na prática… Que alentador saber que eu posso realizar meus sonhos. Hj meu sentimento é de gratidão ao universo por no universo ter tanta gente iluminada como vc!!! Sucesso na sua jornada fire, que vc siga sendo sempre esse ser de luz e nunca deixe de ser blogueira, pq é pra ler seus textos todo domingo que eu pago internet.

    Curtir

    • Oi Célia, esse seu comentário eu li em voz alta pro meu marido heim. A parte que eu mais gostei foi “pq é pra ler seus textos todo domingo que eu pago internet” hahahaha. Muito fofa. Pois é Célia, quando a gente aprende a cuidar do dinheiro, vem a tranquilidade de espírito. A gente não deixa de fazer as coisas, a gente só passa a escolher melhor o que faremos. É usar o dinheiro de forma inteligente. Nem todos querem ser FIRE, mas aprender a cuidar do próprio dinheiro, ah isso é muito importante mesmo. Um grande beijo pra você. Um bom início de semana.

      Curtir

  5. Oi Yuka, como sempre seus textos muito inspiradores! Meu ponto de virada foi depois de alguns anos trabalhando e pagando somente o INSS, sem conseguir poupar eu comecei a me sentir muito insegura em relação ao meu futuro. Iniciei procurando em blogs, canais sobre renda fixa e demorei um tempo para perder o medo de investir. Hoje iniciei um curso online básico sobre ações e tenho tentado movimentar meus amigos para fazer o mesmo. Estou dando os primeiros passo. Já tinha ouvido falar do FIRE, mas sempre achei ser uma coisa para poucos. Vou procurar mais sobre esse movimento. Bjos

    Curtir

    • Oi Josi, que legal que começou a fazer um curso sobre ações. Você conhece o canal do Bastter? Eu aprendi bastante coisa por lá. Dá uma olhada que ele tem canal no YouTube. FIRE ainda não é uma realidade tão difundida no Brasil, tem pouca literatura ainda. Mas há vários blogueiros que compartilham suas jornadas, informando inclusive valores financeiros, o que torna a “corrida” divertidíssima. Beijos.

      Curtido por 1 pessoa

  6. Diferente da maioria das pessoas que pensam em ser ricas, eu busco não ser pobre. Não quero depender de salário a vida inteira. Perder o sono e a saúde com medo de perder o emprego, de ficar sem renda.
    Eu não sonho em parar de trabalhar para viver de renda. O que almejo é continuar trabalhando, mas sem depender de um salário para me manter, principalmente depois que passar dos 40.
    Meu pai “deu sorte” de nunca ter ficado desempregado por muito tempo. Trabalhou 20 anos numa empresa, saiu passou 4 meses desempregado, entrou em outra empresa onde está até hoje e continua trabalhando mesmo aposentado.
    Mas vi colegas e pais de amigos meus passarem por situações muito complicadas por perderem o emprego.
    Então é isso que não quero. Quero continuar a trabalhar, mas com a tranquilidade de que se algo der errado e eu ficar desempregado eu tenho um renda passiva para me manter.

    Curtir

    • Oi Dedé, achei seu comentário muito sábio. Sério. “Busco não ser pobre”. No meu caso, meu pai faleceu muito cedo (quando eu tinha 3 anos) e minha mãe ralou pra caramba. Ela tinha muito medo de morrer e deixar 3 crianças desamparadas, então além de trabalhar muito, poupava sempre pensando no amanhã. Não sei se ela passou isso pra mim, mas eu também tenho esse mesmo medo. A cada mês que passa, eu sinto que esse medo vai diminuindo um pouco. O FIRE vai me proporcionar a liberdade de trabalhar no que eu quiser, mesmo que esse trabalho não gere tanta renda. Dizem que uma das formas mais inteligentes de aprender, é aprender com o erro dos outros. E é justamente isso que você está fazendo, quando disse que viu seus colegas e pais de amigos passando por situações complicadas. Um beijo.

      Curtir

  7. Yuka, é sempre bom ler essas histórias de como a mente das pessoas despertou para a realidade. É possível não depender do dinheiro e muitas vezes é mais fácil e mais rápido do que imaginamos.

    No meu caso, antes da sair da faculdade eu tinha duas opções: vender minha alma para uma empresa que me pagasse muito bem em troca de 12 a 16 horas de trabalho árduo ou ficar em um emprego público com 8 horas diárias, estabilidade e pouca motivação. Escolhi ser servidor público, mas prometi para mim mesmo que alcançaria minha independência financeira o mais rápido possível.

    Hoje, invisto a quase 7 anos e a independência está cada mês mais próxima.

    Continue compartilhando seus ensinamentos conosco e falando SOBRE dinheiro. Há pessoas demais ainda adormecidas para essa grande sacada que é o FIRE e a Independência Financeira.

    Curtir

    • Oi Escriba, você foi muito inteligente em ter percebido isso logo depois que saiu da faculdade. Quando eu saí da faculdade, hoje eu vejo que minha cabeça era de vento mesmo kkk. Quantos anos faltam para alcançar a sua independência financeira? Beijos.

      Curtir

  8. Ótimo post!
    Meu start foi, adivinhe! Desemprego! Kkkk, há males que vem para o bem e esse foi o caso. O segundo gatilho foi que eu detesto trabalhar com as pessoas, e sempre quis trabalhar em casa bem longe de tudo. Então pesquisei mto e descobri, no mesmo dia, o minimalismo e o fire, e decidi juntar os dois, isso lá em 2015, qdo ninguém pensava em aliar ambos, e hoje eu olho p trás e vejo como eu evolui de mentalidade, comportamento e de finanças $$$ !!! E o melhor é que descobri o que realmente me faz feliz! Antes ñ sabia e gastava com qqr coisa.
    Bjos!

    Curtir

    • Oi Suzuki, desemprego?? Realmente, no seu caso há males que vem para o bem mesmo. Sorte sua que foi demitido, já que ele virou o seu ponto de virada. O bom do minimalismo é que ele traz auto-conhecimento, e acho que tem tudo a ver com FIRE. É como se um complementasse o outro, potencializasse o outro. O minimalismo permite ser FIRE mais rápido. Beijos.

      Curtir

  9. Oi, Yuka, Nossa, me identifiquei muito com seu post. Meu filho vai fazer 1 ano agora e ainda não consigo me conformar com o tempo diário que passo longe dele. Por outro lado, apesar de não me sentir super realizada no meu trabalho, gosto de trabalhar e o salário faz diferença no orçamento, mesmo não sendo um super salário. No meu mundo ideal, eu trabalharia umas 4 horas por dia. Eu e meu marido também poupamos em busca da liberdade financeira. Conseguimos poupar uma boa porcentagem da nossa renda mensal, mas mesmo assim a liberdade financeira ainda parece estar distante algumas décadas. Se você puder compartilhar algumas fórmulas ou simuladores que você utiliza, eu agradeço. Bjos

    Curtir

    • Oi Marcella, quando a gente vira mãe, as prioridades mudam de ponta cabeça, né? Eu também ia gostar de trabalhar 4 horas por dia, só que sem redução de salário rsrsrs. Eu gosto de usar a calculadora desse site aqui: https://carteirarica.com.br/juros-compostos/# talvez você queira usar. O que eu faço é o seguinte, vejo o valor que tenho de patrimônio, e coloco como Valor Inicial, e vou fazendo as simulações, com taxas de 0,80% ao mês, com 1% ao mês, com aportes de valores variados. Como eu tenho conseguido taxas superiores a 1% ao mês, as previsões têm antecipado bastante, o que tem me animado bastante. Beijo.

      Curtir

        • Oi Marcella, os meus rendimentos têm sido acima do esperado porque em 2015, consegui comprar investimentos a ótimas taxas, quase 20% ao ano por um período de 5 a 7 anos. Fora isso, tenho aluguéis que me pagam rendimentos acima da média, justamente pela localização ser muito boa. Somando tudo isso com a subida da renda variável nos últimos meses, tenho tido retornos espetaculares. Beijos.

          Curtir

  10. Yuka,
    Que texto excelente!! Me identifiquei muito, como todas as mães que comentaram acho….rs
    Antes de engravidar havia me planejado para ficar dois anos junto da minha filha, sem precisar retornar ao mercado de trabalho; Neste período descobri sobre IF; Comecei a pesquisar mais e mostrei pro meu marido. Já fazíamos investimentos antes, mas, a partir dai alteramos os planos e há uns 2 anos +/- focamos 100% em nossa independência juntos. Eu e meu marido gostamos muito da nossa profissão,então trabalhar não é um sacrifício, mas, pensamos no tempo de qualidade que queremos oferecer à nossa filha. Infância, adolescência, com a presença dos dois. Realmente, filhos mudam tudo.
    Obrigada por ser parte desta inspiração Yuka!

    bjs

    Curtir

    • Oi Carol, por aqui tenho percebido que há muitas famílias que buscam a IF. Até então, os blogs de IF que acompanho são de perfis muito masculinos, solteiros e sem filhos. Acho que quando a gente encontra um parceiro que acredita na gente e segue junto com o objetivo de alcançar a independência juntos, é tudo de bom, principalmente porque a cada passo que “subimos a montanha”, menos pessoas vão nos acompanhando, é uma jornada solitária. Sempre digo para o meu marido que tudo isso que a gente está fazendo vale a pena se estivermos juntos. 🙂 Beijos.

      Curtir

  11. Meu ponto de virada foi o financiamento de um imóvel. Ao preencher a declaração do IRPF no ano seguinte à compra do imóvel quase tive uma crise ao ver o valor absurdo que eu estava pagando somente em juros para o banco, não conseguia me conformar. Aí comecei a pensar que eu deveria estar poupando para mim aquele valor absurdo, e não “dando” para um banco. Então comecei a ler muito sobre poupança e investimentos e me encantei com o movimento FIRE. Os passos que tomei a seguir: passei um ano e alguns meses juntando dinheiro para quitar o financiamento e após isso comecei a fazer minha reserva de emergência. Quando ia começar a investir com foco no FIRE soube que a empresa em que trabalho está na lista das empresas que podem ser privatizadas (sou funcionária pública), então resolvi incrementar um pouco mais minha reserva de emergência para em seguida focar somente no FIRE. Ainda tenho uma jornada longa pela frente, uma possível mudança de emprego se a privatização acontecer, mas estou motivada! Alcançar a liberdade é um ótimo motivador para nos manter no foco.

    Curtir

    • Oi Michelle, que maravilha o seu ponto de virada. Acho que todos nós que buscamos FIRE, temos uma coisa em comum: fazemos do limão, a limonada. Não ficamos lamentando, nem reclamando, nem culpando os outros. A gente tenta achar uma saída. Muitos FIREs não vão conseguir se aposentar aos 30, nem aos 40, e está tudo bem. Eu mesma, acho que viro FIRE só daqui uns 8-10 anos. Motivo pelo qual muita gente acaba desanimando (“ah, jura que tem que fazer isso por mais de 10 anos?” rsrs). Mas o que muita gente ainda não percebeu é que é muito melhor se aposentar mesmo que seja aos 60, 65 com um patrimônio bom que dê tranquilidade, do que chegar nessa idade e ter que depender do INSS. Meu marido ontem estava falando para mim que quando ele anda de bicicleta, sente uma liberdade indescritível. Eu respondi que sinto a mesma coisa quando abro a minha planilha de investimentos kkkkk. Beijos.

      Curtir

      • É exatamente isso Yuka, não dá para depender do INSS no futuro. Como aprendi com o Leandro Ávila do Clube dos Poupadores: nós é que temos que ser responsáveis pelo nosso futuro financeiro. Que legal a comparação da sensação de andar de bicicleta com a abertura da planilha de investimentos!! Entendo perfeitamente os dois pontos de vista 😀 Grande beijo!

        Curtido por 1 pessoa

  12. Oi Yuka.
    Eu andava (ando?) meio negligente com meu espaço virtual até que, motivado pela história de um antigo blogueiro que se mudou pro Canadá, resolvi dar uma conferida na minha área do wordpress e lá te achei 🙂
    E que surpresa agradável!
    Acho que temos muito em comum, gosto muito da tua maneira de encarar a vida e compartilhamos o mesmo sonho: a independência financeira e o adeus ao emprego, muito bem resumida no estrangeirismo FIRE.
    Com relação ao tema do seu post, acho que minha virada se deu no final da faculdade, quando eu me vi obrigado a entrar no mercado de trabalho e precisava definir que carreira eu deveria buscar pra mim. Estava terminando o curso de Direito e ainda existia essa dúvida, pq eu poderia tentar ser advogado autônomo, empregado, funcionário público de diversas áreas e de diversos “níveis”, enfim…. muitas opções que trouxeram muita ansiedade.
    Essa fase, que me fez muito mal, mas que trouxe muitos aprendizados, foi meu divisor de águas: eu descobri que, independente do que eu escolhesse, eu estaria sozinho no mundo, porque meu sustento só dependeria de mim e dos meus esforços, e não mais da generosidade dos meus pais, que com muito sacrifício proporcionaram ótimas condições de vida e de educação – escolas particulares no interior e ajuda para morar na capital durante o curso em faculdade pública.
    A partir dessa realidade, eu decidi buscar estabilidade num emprego em detrimento de uma carreira que pudesse me trazer “fama e dinheiro”. rss Ocorre, porém, que esta decisão trouxe efeitos colaterais, como o engessamento da minha rotina casa-trabalho-casa e a repressão do desejo de fazer algo relevante para o mundo e pessoas que me rodeiam. E esse empecilho começou a me incomodar de um jeito que um novo ponto de virada aconteceu.
    Assim como você, descobri o movimento FIRE na blogosfera gringa e vislumbrei a possibilidade de acrescentar à estratégia anteriormente traçada no final da faculdade a possibilidade de reduzir minha matriz de gastos de tal modo que o resultado dos meus investimentos permitissem, em alguns anos (mais de 10 na verdade 🙂 ), que eu pudesse ter a liberdade para reduzir o tempo do trabalho ou quem sabe mudar totalmente de atividade.
    É nisso que estou trabalhando firmemente e a previsão de isso tudo ser possível é para o final do ano de 2024.
    Acho que falei demais… me desculpe.
    Vamos manter contato.
    Pretendo movimentar um pouco meu espaço virtual.
    Conto com sua participação e a dos demais amigos que comentam por aqui.
    Abraços,
    @OFrugalista.

    Curtir

    • Oi oFrugalista, parabéns pela marca dos 500k. Li no post anterior sobre seu Projeto 2024. Faltam apenas 5 anos. O meu prazo ainda é de 8 anos (se eu não aportar mais nada a partir de hoje), mas acredito que conseguirei antecipar bastante esse prazo. Como tenho 2 crianças pequenas, tento fazer tudo com calma para não cometer erros e deslizes. Fico muito feliz em saber que a cada mês que passa, mais conteúdos sobre FIRE vem surgindo. Mais pessoas tem percebido que isso que a gente está buscando é possível sim. E diferentemente do que muitas pessoas podem pensar, que é parar de trabalhar para não fazer nada, é justamente ao contrário, é fazer tudo o que a gente tem vontade e que hoje não é possível por 2 fatores: dinheiro e disponibilidade de tempo. Bem-vindo de volta, e vamos disponibilizar mais conteúdo sobre a nossa busca por liberdade. Beijos.

      Curtir

  13. Oi Yuka! Tudo bem?
    Conheci seu blog há pouco tempo, mas já acompanho vários outros blogs de finanças/fire. Já adicionei o seu nos meus favoritos! 🙂

    Iniciei minha jornada rumo a IF este ano (fase de acumulação e investimentos para IF). Ano passado foi a fase de iniciar meus estudos sobre finanças pessoais e de criar minha reserva de emergências. Tenho 35 anos e sei que iniciei um pouco tarde. Porém, talvez minha meta não seja nem a IF propriamente dita, mas acumular um patrimônio que me dê cada vez mais liberdade e tranquilidade financeiramente para minha família. Sou casado e estou esperando minha primeira filha agora para setembro.
    Também não tenho como meta parar de trabalhar, caso alcance a IF. Sou servidor público e gosto muito do meu trabalho, pois atuo na minha área de formação que é TI.

    Também fiz e faço muitas simulações dos meus investimentos para o longo prazo. Em um comentário seu anterior, você mencionou que simula sua rentabilidade colocando 0,80% a 1% ao mês. Essa rentabilidade é bruta ou real (acima da inflação)? Você está considerando a inflação nas suas simulações? E Taxas, IR, etc.? Você chega a fazer algum cálculo em cima disso? Poderia mostrar um exemplo de como você faz o seu planejamento para longo prazo?

    Sou bem conservador nas minhas simulações à longo prazo. Como não tenho essa ansiedade de alcançar a IF o mais rápido possível, coloco como rentabilidade real anual (acima da inflação) uma rentabilidade de 4% a 5% ao ano. Investindo bem diversificado, com certeza conseguirei uma taxa bem melhor do que essa, mas a gente não sabe o dia de amanhã. À priori, minha meta é me tornar IF apenas quando eu me aposentar realmente (daqui a 35 anos). Se conseguir antes, ótimo! 🙂

    Para longo prazo (IF), invisto tanto em Renda Fixa (Tesouro Selic e Tesouro IPCA+), como em Renda Variável (Ações/ETFs e FIIs). Em quais classes de ativos você investe?

    Parabéns mais uma vez pelo blog!

    Grande abraço!

    Curtir

  14. Oi Yuka! Tudo bem?
    Conheci seu blog há pouco tempo, mas já acompanho vários outros blogs de finanças/fire. Já adicionei o seu nos meus favoritos! 🙂

    Iniciei minha jornada rumo a IF este ano (fase de acumulação e investimentos para IF). Ano passado foi a fase de iniciar meus estudos sobre finanças pessoais e de criar minha reserva de emergências. Tenho 35 anos e sei que iniciei um pouco tarde. Porém, talvez minha meta não seja nem a IF propriamente dita, mas acumular um patrimônio que me dê cada vez mais liberdade e tranquilidade financeiramente para minha família. Sou casado e estou esperando minha primeira filha agora para setembro.
    Também não tenho como meta parar de trabalhar, caso alcance a IF. Sou servidor público e gosto muito do meu trabalho, pois atuo na minha área de formação que é TI.

    Também fiz e faço muitas simulações dos meus investimentos para o longo prazo. Em um comentário seu anterior, você mencionou que simula sua rentabilidade colocando 0,80% a 1% ao mês. Essa rentabilidade é bruta ou real (acima da inflação)? Você está considerando a inflação nas suas simulações? E Taxas, IR, etc.? Você chega a fazer algum cálculo em cima disso? Poderia mostrar um exemplo de como você faz o seu planejamento para longo prazo?

    Sou bem conservador nas minhas simulações à longo prazo. Como não tenho essa ansiedade de alcançar a IF o mais rápido possível, coloco como rentabilidade real anual (acima da inflação) uma rentabilidade de 4% a 5% ao ano. Investindo bem diversificado, com certeza conseguirei uma taxa bem melhor do que essa, mas a gente não sabe o dia de amanhã. À priori, minha meta é me tornar IF apenas quando eu me aposentar realmente (daqui a 35 anos). Se conseguir antes, ótimo! 🙂

    Para longo prazo (IF), invisto tanto em Renda Fixa (Tesouro Selic e Tesouro IPCA+), como em Renda Variável (Ações/ETFs e FIIs). Em quais classes de ativos você investe?

    Parabéns mais uma vez pelo blog!

    Grande abraço!

    Curtir

    • Oi Herbet, tudo bem? Como há servidores públicos por aqui rsrs. Eu também sou. Eu tenho alguns investimentos como imóveis físicos, renda fixa e renda variável, mas não invisto em FIIs, prefiro as ações. Meu marido (que é de exatas) fala que eu sou a maior prova de que não é preciso saber de matemática para entender de investimentos kkkk. A minha conta é sempre de padeiro, não fico me atentando tanto aos detalhes dos números. A rentabilidade de 1% que eu simulo é bruto, mas na verdade, o que eu busco mesmo é receber de rentabilidade, o dobro do valor que preciso, utilizando o TSR de 4%. Então se eu projeto que um dia precisarei de x mil reais para viver, só me aposentaria quando tivesse 2x mil reais de renda passiva, o que me geraria bastante segurança. Beijos.

      Curtir

  15. Olá Yuka!

    A muito não comento, mas acho que este post foi um dos melhores que já li aqui, e merece uma atenção especial.

    Acho muito interessante ler sobre a história dos outros, do caminho trilhado e principalmente daqui, deste ponto da “guinada,” da decisão da vida.

    Pra mim, a virada se deu no momento que conheci o blog do Mr Money Mustache e a regra dos 4%. Nessa hora tudo começou a clicar e percebi que o que a IF não era impossível – de fato, era um objetivo muito bem definido. Foi aí que comecei a estudar os investimentos e passei a enxergar o salário e aporte como uma medida de liberdade, que eu poderia jogar fora com algum passivo ou consolidar investindo.

    A única coisa que eu ainda não estipulei foi um prazo. Tenho um número bem definido de patrimônio que quero obter, mas não disse até quando ainda. Talvez eu precise definir isso pra dar aquela pressãozinha.

    Boa sorte no seu objetivo!

    Abraços e seguimos em frente!

    Pinguim Investidor
    https://pinguiminvestidor.com

    Curtir

    • Oi Pinguim, o legal de definir prazo, é que eu não sei te explicar como acontece, mas a impressão que dá, é que a vida conspira para que as coisas dêem certo, quando sabemos exatamente o que queremos. Eu lembro que quando comecei o projeto FIRE, a minha intenção era aposentar aos 50. Depois de alguns anos, percebi que estava adiantada e poderia me aposentar aos 48. E semana passada, ao fazer os novos cálculos, vi que a data já tinha mudado para 46 anos, ou seja, daqui a 8 anos. Talvez por eu ter projetado um valor de aporte bem pequeno, a uma taxa menor do que eu consigo, ou seja, um cenário pessimista. O Mr Money Mustache é realmente um dos pioneiros (eu não sigo ele, então não sei dizer se é O pioneiro, ou se é UM DOS pioneiros) em relação ao FIRE. Um beijo.

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: