Viver de aluguel: vivendo melhor, mas gastando o mesmo valor

white-gfe3e3e9e0_1920

A ausência da publicação de um post no domingo passado teve um bom motivo: eu fiz uma mudança residencial. Sim, de novo.

Bom, eu moro de aluguel desde que saí da casa da minha mãe para fazer faculdade. Na época eu tinha 17 anos e hoje tenho 40.

Eu até comprei um imóvel para morar em 2013, mas acabei casando e tive 2 filhas, então decidi vender e voltar a viver de aluguel.

Ou seja, só tive imóvel para morar por um curto período de tempo.

Morar num imóvel próprio, tem as suas vantagens, claro. Mas morar num imóvel alugado também tem as suas vantagens.

Eu gosto de morar de aluguel por conta da fase de vida em que me encontro. Não gosto de não ficar amarrada em um único lugar, de não ter mobilidade. Gosto de poder mudar de bairro, de cidade, de poder escolher o tamanho da casa conforme a necessidade do momento. Gosto de saber que se surgir um vizinho chato, posso me mudar. Que se eu perder a vista do meu apartamento por causa da venda do terreno para uma construtora, posso me mudar. Para mim, tudo isso é libertador.

Não sou contra ter um imóvel próprio, só acho que para o momento em que vivo atualmente, vejo mais vantagens de morar de aluguel.

Esses dias, estava dando uma olhada de forma bem despretensiosa sites de imobiliárias, e um anúncio saltou nos meus olhos, pois era bom demais pra ser verdade.

Um imóvel amplo, com ótima distribuição dos cômodos, numa rua muito bem localizada, sendo anunciada por praticamente o mesmo preço que pagava (combo aluguel e condomínio).

Eu seria louca se não agarrasse essa oportunidade, peguei o telefone na hora e falei com o corretor de imóvel. Fomos visitar o imóvel, e assim que chegamos em casa, encaminhei os documentos para a imobiliária. No dia seguinte, a documentação já havia sido aprovada, e aa mesma semana, fui assinar o contrato.

A essa altura da leitura, vocês devem imaginar que tenho um parafuso a menos pela rapidez que as coisas aconteceram. Afinal, não estamos falando de uma mudança pequena, estamos falado de uma mudança residencial em família.

Não sei vocês, mas eu sempre tive mais medo de arrepender das coisas que eu não fiz, do que das coisas que eu fiz.

Mesmo quando faço escolhas erradas, consigo compreender que foi um aprendizado e viro a página sem ficar muito abalada ou com dor na consciência.

Só para vocês terem uma ideia de como foi boa essa troca:

IMÓVEL ANTESIMÓVEL DEPOISNOTA
60m2100m2Muito mais espaço para circulação.

2 quartos3 quartosOs quartos são realmente grandes.
Quarto 1 – Se antes cabia somente o guarda-roupa e a cama das crianças, agora, além da cama e guarda-roupa, poderão ter escrivaninhas individuais para estudar e ainda sobra bastante espaço para circulação.
Quarto 2 – No quarto de casal, que é muito grande para ter somente a cama e o guarda-roupa, decidi que irei reativar meu amado ateliê.
Quarto 3 – Esse quarto é o menor de todos, será o escritório para o marido.
Cozinha sem móveis planejadosCozinha com móveis planejados + mesa retrátilA nova cozinha, além de ser totalmente planejada, possui uma mesa retrátil. Essa mesa é muito útil, pois além de servir como apoio na preparação dos alimentos, serve para fazer refeições rápidas, além das minhas filhas poderem ficar perto de mim, desenhando ou estudando.
Banheiro sem marcenariaBanheiro novoO banheiro é todo branquinho, bem atual, mas tem uma bancada de pedra que está desgastada. A proprietária autorizou fazer a troca da bancada e do gabinete. Com isso, o banheiro ficará novinho em folha.
LavanderiaLavanderia maiorA lavanderia também tem um tamanho bem bacana, toda branquinha.
VarandaVarandaA varanda tem mais ou menos o mesmo tamanho.
Boa localizaçãoMelhor localizaçãoO novo apartamento é ainda melhor localizado, mais perto de todas as lojas e serviços que costumamos utilizar, além de ser bem abastecida de restaurantes.
5º andar1º andarPensa na alegria de poder morar num apartamento onde não terei vizinho de baixo que é sensível a barulho. Embaixo do nosso apartamento fica o salão de festas do prédio, então minhas filhas finalmente poderão correr, pular, brincar de bambolê, de Lego, sem a necessidade de ficar em cima do “tatame de lutador de muay thai” que eu deixava bem no meio da sala.

Todo esse upgrade, pagando praticamente o mesmo valor que eu pagava no outro imóvel. Era ou não era uma oportunidade imperdível? Agarrei com todas as forças e pulei de alegria (mesmo!) quando consegui assinar o contrato do novo aluguel.

Ao contrário do que muitos podem pensar, mudança residencial não é uma tarefa difícil para mim, porque sempre enxergo como uma oportunidade para renovar os ares da casa, desapegar de coisas que perderam valor, faço lista de todas as coisas que quero fazer na casa nova.

Como sei desmontar e montar móveis, pintar paredes e mais outras coisas, não preciso depender de terceiros para fazer as instalações na nova residência, o que reduz bastante tempo e custo.

Só quis compartilhar essa história, para mostrar que nem sempre apartamento maior significa gasto maior. Tendo paciência, e dando uma boa procurada em sites de imobiliária de tempos em tempos, dá para pegar boas distorções do mercado.

~ Yuka ~

27 Comments on “Viver de aluguel: vivendo melhor, mas gastando o mesmo valor”

  1. Eu também moro de aluguel e já tive casa própria. Realmente, em ambas as situações existem vantagens e desvantagens. Eu adoro mudar de casa, de bairro, de cidade e, até, de estado. Engraçado que, antes de casar, morei por 23 anos na mesma casa (na casa da minha avó) e sofria só de pensar em ter que me mudar um dia. Mas hoje eu adoro a sensação do novo. O problema que eu vejo nas mudanças são os gastos que temos: desinstalar e reinstalar ar condicionado, ter que colocar tela de proteção nas janelas (caso já não tenha) por conta dos gatinhos, sempre tem um móvel ou outro que não se adapta a nova casa ou surge a necessidade de comprar um móvel novo, o gasto com a mudança em si (embora eu e meu marido sempre leve as coisas pequenas no nosso carro) etc. Enfim, às vezes, deixo de mudar de apartamento por conta dos gastos, mas, de fato, existe uma certa liberdade em morar de aluguel.

    Curtir

    • Oi Anon, eu também ADORO a sensação do novo. Meu marido fala que eu tiro-o da zona de conforto hehehe. Neste apartamento que estamos morando agora tenho a impressão de que ficarei bastante tempo, já que não tenho nenhum defeito para dar até o momento. O apartamento é amplo, bonito, bem localizado, preço justo, Então estamos investindo em algumas melhorias para vivermos confortavelmente, coisa que fiz pouco no outro imóvel. Beijos.

      Curtir

  2. Que legal Yuka!

    Muito interessante a forma que fica antenada para trazer mais qualidade de vida aos seus! Imóvel tem desses “achados”, né? E um apto com armários e 100m é muito bom para família, não precisa ficar “se esbarrando”, e ter mais liberdade para as crianças se sentirem como “numa casa” ao poderem brincar é ótimo. Parabéns e boas lembranças pra vcs!

    Uma coisa legal que gosto de ter em apto na sala ou varanda é uma rede de balançar, as crianças precisam tomar um certo cuidado com quedas (mas dá pra instalar rede baixa tbem). Já usei no lugar de sofá hehe, traz uma alegria deitar numa rede.. acho que tenho algum ancestral índio com certeza! Hehehe!
    Bjs!

    Curtir

    • Oi Cinthia, tudo bem? Sim, já estamos sentindo isso de que estamos morando em uma “casa”. As crianças se sentem mais livres, mais soltas, levam menos chamadas de atenção, correm pela casa e pulam do sofá. Eu tinha rede no outro apartamento, nesse ainda não instalei, mas confesso que usei poucas vezes, porque toda vez que eu tentava descansar na rede, as crianças pulavam em cima de mim e queriam usar a rede de descanso como balanço mega-radical-mortal rsrs. Beijos.

      Curtir

  3. Oi Yuka, bom dia!

    Que ótimo que conseguiu um apto melhor, é bem isso, tem que ficar alerta que as vezes aparecem umas oportunidades assim.

    Você vai ver como uma cozinha um pouco maior ajuda na organização da casa.

    Eu nao entendo esses aptos novos com salas de 40m2 e uma cozinha que nao cabe nem uma mesinha pequena. Quando eu me mudei, há 3 anos, eu dizia que nao tinha comprado um apto, mas sim uma coznha e uma varanda com vista, já que era o que nao tinha no outro apto, já que o resto era equivalente..
    E ter espaço para escrivaninha no quarto das meninas também faz diferença agora que estao maiores e que em seguida vao ter temas da escola para fazer. Senao fica tudo muito concentrado na sala e acaba tenfo que recolher tudo para fazer as refeições.

    Beijos, e uma ótima semana

    Daniela

    Curtir

    • Oi Daniela, a cozinha grande está sendo a maior sensação em casa rsrs. Antes, meu marido não gostava de ficar na cozinha quando eu estava cozinhando, porque ele achava muito apertado. Agora, ele não só fica na cozinha como me ajuda a cozinhar, minhas filhas também estão trazendo as banquetinhas para dar altura na pia para ajudar a lavar os legumes, picar algumas coisas mais fáceis. A casa grande está sendo ótima, espero ficar bastante tempo… Beijos!

      Curtir

      • Isso, no meu apto anterior eu nem entrava na cozinha quando tinha outra pessoa, tinha meio que passar de lado. E vice-versa. Agora eu ficamos bem mais lá, de forma confortável. Faz tanta diferença porque é uma peça a mais na casa, dá para ficar lá e conversar.

        Curtir

  4. Yuka, boa tarde!!!
    Que legal ter esse desprendimento e ajustar oportunidade e necessidades familiares atuais.
    Faço votos de que você e sua família aproveitem bastante a nova moradia!
    Apesar de gostar de morar em imóvel próprio, eu não perco a chance de mudar de casa sempre que preciso, já fiz várias mudanças ao longo de minha vida, e continuo gostando da “brincadeira “…

    Um grande abraço e uma mudança bem gostosa, com sabor de aventura.

    Bete

    Curtir

    • Oi Bete, já estamos aproveitando bastante a nova moradia, falta ainda instalar o varal de teto e o varão das cortinas, mas faremos isso neste sábado. É muito prazeroso ver o nosso cantinho sendo arrumado. E como você bem escreveu, eu adoro esta “brincadeira” de mudar de casa rsrs. Um grande beijo.

      Curtir

  5. Impressionante, pelo visto foi um negócio excelente feito na hora certa.

    Me identifiquei com a sua forma de pensar, também vivo de aluguel desde os 17 anos pelas mesmas razões. Mas, no meu caso, morro de preguiça e acho uma dor de cabeça fazer mudança (mesmo sendo solteiro rs). Então normalmente eu penso 20 vezes antes de decidir me mudar, mas seu post até me fez pensar se não estou deixando passar alguma oportunidade 🙂

    Curtir

    • Siiiim, foi um excelente negócio. Em casa, estamos todos muito felizes com essa nova mudança, ainda estamos um pouco no meio da bagunça, mas aos poucos vamos arrumando do nosso jeito. Eu tenho o costume de ficar olhando sites grandes de imóveis (como a Viva Real, Quinto Andar, Imóveisweb, etc), então é até bom saber quanto está o mercado. Beijos.

      Curtir

  6. Parabéns pela mudança!

    Também prefiro o aluguel, ao menos na fase mais ‘ativa’ da vida, mas confesso que nos últimos anos tenho pensado com mais carinho na ideia de comprar. O motivo: minha experiência recente.

    Quando passei a fazer home office, em 2020, resolvi sair do centro da cidade, onde sempre morei pela comodidade. Escolhi um apartamento agradável (também de 1º andar, que delícia não me preocupar com vizinho de baixo) em um bom bairro litorâneo, com quase tudo o que preciso a uma distância caminhável.

    O problema foi que o bairro entrou na moda. De lá pra cá, os preços de aluguel e compra na região praticamente dobraram. Ainda tenho um ano de contrato, mas, persistindo a situação, vou ter que deixar esse novo estilo de vida de lado no ano que vem. Agora estou em uma situação difícil. Gostei muito do novo estilo de vida e do apartamento novo, mas continuar aqui não seria possível sem um impacto grande na capacidade de poupança.

    Esse bonde já passou e eu perdi, mas hoje penso que – na próxima vez que gostar muito de um local – talvez faça sentido comprar para proteger a família quanto a esse “risco de mercado”.

    Abração e boa sorte no novo local!

    Curtir

    • Oi Carlos, eu também estou assim que nem você, nessa fase mais ativa, vou morando de aluguel. Quando as crianças crescerem, e forem independentes, eu e meu marido temos vontade de ficar pulando de galho em galho no quesito moradia… Provalmente faríamos isso na Grande São Paulo, por conta do nosso trabalho, mas imaginamos que seria gostoso morar alguns meses com a vista para a Avenida Paulista, morar alguns meses em uma casa de vila em Pinheiros, passar alguns meses morando desta forma, conhecendo melhor outros bairros que ainda não conhecemos rsrs. Beijos.

      Curtir

  7. Oi Yuka. Senti sua falta domingo passado =)
    E que bom que conseguiu essa mudança tão boa.
    Eu sempre morei com meus pais (casa própria). Em 2020, mudei de emprego e de cidade… então aluguei um apto. No dia seguinte da mudança, foi decretado pandemia e o lockdown. A empresa nos colocou em home office e então voltei pra casa dos meus pais e fiquei pagando o aluguel, pois a qualquer momento isso poderia acabar. Após 8 meses o dono me pediu o apto de volta e recebi um comunicado da empresa que precisariam de mim presencial. Lá vai eu correr atrás de outro apto e mudança (foi fácil pois só tinha móveis! Não tinha nada pessoal , roupas, utensílios, nada, visto que nunca havia morado no apto). Me mudei pra um apto melhor ainda… comecei a morar nele e adorei. Acontece que é em frente a uma praça e um campo de futebol. Agora a vida está voltando ao normal e a bagunça tb… estou super incomodada com o barulho a noite. Já chamei a polícia 2x e qdo vão embora, só piora. Comprei abafadores de ouvido e estou usando para dormir todos os dias… pensei em me mudar, mas não encontro apto com localização tão boa, num preço parecido e que seja bom pra 1 pessoa só. Vou ficando… fora os gastos que terei com mudança e agora, tenho minha vida toda no apto… nossa, nem sei como seria levar tudo! A mudança da casa dos pais pro 1° apto foi suave, pois comprei os móveis e mandei entregar. Do 1° apto pro segundo, foram só os móveis.. e depois pra colocar minhas coisas, foi aos poucos… volto toda semana pra casa e cada domingo levo mais coisas rs rs
    Agora uma mudança completa, até me arrepia… não sei nem por onde começar .
    Nesse meio tempo, comprei um apto na cidade dos meus pais (vou pra lá toda sexta e volto domingo). Ainda está na planta… mas confesso que gostaria mto de morar no apto próprio… fazer meus armários (hoje passo perrengue com cozinha pqna e falta de armário). Uma pena que não trabalho por lá ☹️
    Yuka, um pedido fora de contexto: você cozinha todos os dias? Leva marmita pro trabalho? Poderia me explicar como concilia tudo? Estou nessa luta de me adaptar e ter tempo pra cozinhar a noite…

    Bjs

    Curtir

    • Oi Carol, isso do barulho à noite é um problema sério, e só descobrimos de certos detalhes quando já estamos instaladas no imóvel. Eu por exemplo, me mudei para o apartamento anterior em busca de mais qualidade de vida para as minhas filhas, mas não imaginei que embaixo do meu apartamento, teria um senhor aposentado extremamente sensível a qualquer barulho. Claro, ele se adaptou, e nós também, mas ficava pensando que se eu morasse em uma casa ou no primeiro andar de um prédio, seria perfeito, já que não queria mais chamar atenção das minhas filhas só porque elas estavam pulando, correndo, rindo alto. Agora sobre cozinhar todos os dias, sim, cozinho todos os dias e levo marmita para o trabalho. Mas estou querendo mudar um pouco isso, viu. Hoje eu faço assim. Chego em casa, e faço o jantar numa quantidade dobrada. O que sobra do jantar vira a marmita do dia seguinte para mim e para o marido, já que as crianças almoçam na escola. Quando faço certas comidas, faço numa quantidade muito maior, por exemplo lasanha, feijoada, molho de tomate, caldo de verduras e de carne, carne moída refogada, pastel. Jantamos, separo a marmita do dia seguinte, e o restante, congelo tudo em porções. Essas porções é que me ajudam nos dias que eu não estou nem um pouco a fim de cozinhar. Maaaaas, estou pensando seriamente em mudar esta rotina de entrar na cozinha todos os dias… queria chegar em casa e não precisar me preocupar em cozinhar todos os dias, porque estes dias que comi fora (por conta da mudança residencial e por estarmos sem gás), vi o quanto era tranquilo não precisar se preocupar em fazer comida para a família todos os dias, manhã, tarde e noite. O meu ideal seria talvez cozinhar umas 3 ou 4 vezes por semana, talvez?? Mas o que faria com o restante dos dias? Uma das opções que eu pensei, mas teria que ver o quanto isto encareceria no orçamento, seria ir em um restaurante por quilo e pegar somente a mistura. Não pegaria arroz, nem feijão, nem salada. Mas tô pensando aqui ainda rsrsrs. Beijos.

      Curtir

  8. Eu morei de aluguel por um tempo mas no meu caso não fazia sentido, o preço do aluguel era o mesmo da prestação de um financiamento imobiliário, então decidi construir uma casinha pra morar 🙂 Agora nos últimos tempos eu antecipei muitas parcelas, se quisesse até poderia quitar ele atualmente, mas o taxa de juros que peguei na época está menor que a inflação atual, então também não me parece bom negócio quitar. Ainda se fosse vender a casa hoje provavelmente teria uns 150k de lucro. Abs

    Curtir

    • Que legal, por isso a mesma regra não pode ser aplicada para todos. No seu caso, você enxergou uma oportunidade. Para outras, mesmo sabendo que teria um certo prejuízo, preferem ter um imóvel próprio para realizar um grande sonho de vida. Já eu, além de ser meio que desapegada a coisas, gosto de ficar pulando de galho em galho, pois traz uma sensação muito boa de renovação para mim (o que para uma outra pessoa, pode dar sensação de desespero pensar em fazer uma mudança residencial rsrs). Beijos.

      Curtir

  9. Parabéns pela mudança, Yuka! Que continuem todos muito felizes na nova morada🙌

    Quando eu era não jovem comprei o apartamento dos sonhos: lindo, já parcialmente mobiliado, com espaço, etc. E até hoje gosto muito de, mesmo com seus pequenos defeitos. Porém, o condomínio não era o que eu esperava, e isso me decepcionou bastante. Sempre dizia que gostaria de transplantar o apartamento para outro condomínio kkkk. Acabei vendendo por vários fatores.

    Hoje eu penso que se voltar a comprar eu moraria antes por um tempo, para conhecer a região, condomínio e outras coisas. Às vezes, de uma rua para outras as coisas mudam completamente.

    Beijos

    Curtir

    • Oi Diana, conforme a fase da nossa vida, nossas exigências mudam, nossos gostos mudam também. Eu lembro que sempre falei que não queria morar no primeiro andar, e eis que hoje estou morando no primeiro andar, tão feliz e tão leve por saber que não tenho vizinho de baixo. Também lembro que sempre preferi apartamento pequeno, me sentia acolhida e aconchegante, mas eis que moro em um apartamento grande hoje, e me sinto aliviada por não precisar todo mundo ficar no mesmo cômodo por falta de escolha. Essas escolhas de hoje, serão diferentes daqui a alguns anos, e está tudo bem, pois sei que não preciso ter uma opinião fixa para o resto da vida. Após várias mudanças residenciais, eu também penso como você, se for comprar, eu tentaria morar antes por um tempo para conhecer melhor os vizinhos, os defeitos e qualidade do imóvel e do bairro. Beijos.

      Curtir

  10. Francamente? Não sei se vc sabe, mas hoje mtas pessoas fogem, exatamente, dessa espécie de imóvel que vc achou maravilhoso…Sabe por quê? Por ter salão de festas no mesmo prédio e o seu é, justamente, bem debaixo de seu apê. Eu JAMAIS alugaria um apê em um prédio com salão de festas – em meu condomínio existe um, óbvio, mas fica próximo ao primeiro bloco e eu resido no quinto -, aliás, essas inconveniências servem apenas para encarecer a taxa condominial e incomodar, nada mais. Tomara que vc não se arrependa por ter sempre reuniões e festinhas qdo quiser dormir e descansar e o pessoal estiver cheio de gás aprontando. Não sei não, mas estou achando que o fato desse salão estar tãooooooooo perto de vc foi a causa do menor valor. Não pensou nem um instante sobre? Boa sorte de qquer forma!

    Curtir

    • Olá, bom dia

      Quando se compra ou se aluga um apto sempre corremos alguns riscos – aliás, essa é a grande vantagem de se alugar. Se o salão for realmente um problema, é bem mais fácil e barato de mudar de novo do que se fosse comprado.

      Digo isso porque tive exatamente o mesmo problema que a Yuka no apto anterior dela, um vizinho absolutamente insuportável embaixo, que reclamava até quando caminhavámos dentro de casa (de chinelos!). Só que o meu apto é proprio, e era o apto dos meus sonhos até eu descobrir que tinha um vicio oculto, o tal vizinho.

      Entao algimas coisas podemos prever, como eventual barulho do salao, outras nao. No meu predio, de 19 andares, todos os aptos virados para a piscina escutam a gritaria das crianças. Nao faz tanta diferença estar no 1o ou no 10o. As vezes é ruim, por exemplo quando queremos tirar uma soneca à tarde no final de semana, mas é um predio com infra para crianças, então nao dá para esperar que elas brinquem em silencio. Mas tem gente que quer predio com infra, porque valoriza o imóvel, mas nao quer que a estrutura seja usada, porque dá barulho, sujeira, etc.

      Curtir

    • Oi Márcia, eu tive sorte aqui (pelo menos por enquanto), a maioria dos moradores deste prédio são idosos, e segundo o síndico, o salão de festas não é usado quase nunca. Eu ainda estou tentando descobrir onde está a pegadinha desse imóvel, tudo bem que fica no primeiro andar, e ele fica de fundo, o que já seria motivo suficiente para alugar mais barato… mas tão abaixo do preço padrão, sendo que está tão arrumadinho? Fiquei pensando, será que terei infestação de baratas no verão? Será que o morador do andar de cima é insuportável? Bom, de qualquer forma, continuo bastante otimista por aqui, os vizinhos são muito simpáticos, parece até a vila do Chaves, onde todo mundo conversa com todo mundo. Também tive uma surpresa agradável morando aqui, é mais silencioso do que o meu apartamento anterior. Meu marido está até impressionado de como as coisas estão dando certo até o momento. Falei pra ele não questionar a sorte e aproveitar a nova casa rs. Beijos.

      Curtir

  11. Ola Yuka! Tudo bem? Acompanho faz tempo sua trajetoria e tenho notado que voce tem evoluido. No sentido deixar a economia total de lado e aumentado o conforto da familia, exemplo: carro, apartamento maior, etc. Nao tem nada de errado nisto viu, o bom senso sempre e importante. Sucesso.

    Curtir

    • Olá, sim, acho que foi desde o ano passado que essa mudança aconteceu. Os dois principais motivos foram: ter alcançado uma meta financeira que me permite ter bastante tranquilidade financeira, ou seja, entendi que eu já fiz a minha parte, agora o tempo fará a parte dele para me beneficiar com os juros compostos. E o outro motivo foi a leitura do livro Die With Zero, eu até cheguei a comentar em um post passado, achei muito interessante o livro, e tirei ensinamentos dele de que há coisas que devemos fazer no tempo certo (por exemplo quando as crianças ainda estão em casa), e não somente quando tivermos dinheiro suficiente (que pode ser quando as crianças já nem estejam mais perto de nós). Meu marido ainda tem uma resistência em usar dinheiro, mas eu digo para o marido que temos que tomar cuidado para que não viremos escravos do dinheiro. Houve a fase do poupar, agora entramos numa nova fase em que continuamos poupando, mas não temos mais aquela obrigação de poupar todos os meses. Um beijo!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: