Proteja o seu maior patrimônio

Pessoa, Loira, Menina, Pedra, Acima, Rio, Água, Verão

Não. Não estou falando da sua conta bancária, nem do seu patrimônio financeiro.

Estou falando da sua saúde física, mental e espiritual.

Estou falando de você, da sua família, do seu casamento, dos seus filhos, dos seus amigos.

Eu sei que você protege o patrimônio da empresa que trabalha, toma decisões difíceis que faz até perder seu sono em algumas noites.

Mas e quando estamos falando do seu maior patrimônio, você também toma decisões difíceis e perde o sono?

Ou prefere tomar apenas decisões fáceis e deixar tudo para depois?

O que você faz para manter a sua saúde em dia?

O que você faz para manter seu casamento saudável?

O que você faz para participar da vida dos seus filhos?

O que você faz para manter seus amigos próximos de você?

Talvez esteja na hora de analisar a sua rotina e rever as prioridades.

Convido você a assistir o vídeo abaixo. Ela é dividida em 2 partes. Veja como é surpreendente, quando aprendemos sobre prioridades.

~ Yuka ~

33 Comments on “Proteja o seu maior patrimônio”

  1. Decidi em 2019 que em 2020 ficaria sem trabalhar para cuidar do meu emocional e ter tempo para estudar
    Durante este ano gastei minha reserva e não tive entradas.Porém iniciei meus estudos em uma nova carreira.No momento estou em um processo seletivo de uma multinacional algo que eu nunca imaginei na vida.
    Se eu não tivesse dado esse passo para “trás” que foi cuidar de mim não estaria voando para frente.

    Curtir

    • Parabéns por abrir mão de algo por um fim maior. A dificuldade de abrir mão de coisas, status, dinheiro, situações e até pessoas (em alguns casos) é um dos principais obstáculos no nosso desenvolvimento.

      Boa sorte em sua nova carreira.

      Curtir

      • Obrigada!
        Não foi um decisão fácil.Mas temos que ter deixar nosso time para a mudança sempre em alerta.
        Afinal eles sempre vem, podem te pegar como Tsunami ou como marola.

        Curtir

    • Se eu não tivesse feito a mesma coisa em 2013/2014 não estaria no concurso que estou hoje, tranquila, realizada. Estaria hoje frustrada, ganhando mal, pulando de empregador ruim e culpando a vida, que é o que foi a minha vida, até essa parada estratégica pra “voar”. Você está no caminho certo! Vai dar tudo certo!

      Curtir

    • Oi Marcela, é aquela história do afiar o machado, já deve conhecer. Muitos não querem afiar o machado, porque acham que estão perdendo tempo, sendo que é esse tempo de afiar o machado é que faz cortar a árvore muito mais rápido. Parabéns pelo processo seletivo!! Tudo isso é fruto de ter tomado uma decisão (que não deve ter sido fácil de tomar) no passado. Beijos.

      Curtir

  2. Esse foi um ano de muitas mudanças: na saude física por começar uma dieta para melhorar minha doença autoimune; na saúde mental por parar de fazer plantões e conviver mais com a família e fazer assinatura do clube de literatura clássica, que eu amo; na saúde familiar por decidir pela educação domiciliar para a nossa filha, já que eu trabalho apenas meio período e o outro posso me dedicar a ela. Mudanças essas que ao mesmo tempo que são um desafio, são importantes para nos conectarmos com o que realmente importa para cada um!

    Curtir

    • Oi Camila, tenho acreditado que quando nos alimentamos da forma correta, o corpo começa a responder de uma forma muito melhor. Além da gente emagrecer sem fazer grandes esforços, sem passar fome, o que é incrível. Quando assisti o documentário disponível no Netflix, A Pílula Mágica, tudo começou a fazer sentido. Um beijo.

      Curtir

  3. Interessante coincidência Yuca, ontem, plena TPM entrei em crise por “sentir que não estou dando conta de tudo apropriadamente”. Depois fui conseguindo perceber que as coisas do trabalho, de casa ou da religião até que estavam sendo mais ou menos atendidas, o que estava realmente me tocando era a falta de priorizar algo que prometi a minha mesma fazer: cuidar da saúde e dar vazão para uma necessidade artística/de expressão que disse a minha alma que faria… Pois bem, hoje já acordei com esse propósito de “não me deixar na mão”. Realmente, se a gente não cuida do que nos é mais caro, fica faltando “um pedaço” da gente…

    Curtir

    • Oi Cinthia, as pedras grandes sempre precisam ser colocadas primeiro. O vídeo é bem interessante, porque mostra que quando colocamos as coisas que não são prioritárias primeiro, as pedras grandes não entram depois no pote. Mas quando colocamos primeiro as pedras grandes, as coisas menores entram tudo. E é aí que está justamente o meu segredo. Minhas amigas se perguntam como consigo fazer tantas coisas… Eu coloco no meu pote, primeiro as pedras grandes, e por isso mesmo, depois sobra tempo até mesmo para ficar um pouquinho no YouTube, ficar assistindo séries no Netflix, ficar à toa. Beijos.

      Curtir

  4. Eu estou nesse momento, estou precisando de uma pausa, prestar mais atenção na saúde, já que tenho tido desgaste no trabalho nos últimos tempos.
    Esse desgaste já me trouxe mais estresse do que deveria e eu tenho que voltar a me desligar disso, infelizmente as vezes trabalhamos em ambientes que são imutáveis e a partir do momento que tomamos consciência disso e não estamos satisfeitos com essa realidade pode se instalar um estado de insatisfação continua que pode ser até doentia.
    Nesse fim de ano vou prestar mais atenção à saúde, fazer exames de rotina e procurar relaxar, mas também quero iniciar algo novo.
    Estou pensando em voltar a estudar, fazer uma especialização numa área diferente da que trabalho. Ou mesmo procurar iniciar um pequeno negócio, algo mais motivador, onde eu tenha mais independência pra que em 2021 possa sair do meu atual emprego.

    Muitas vezes procrastinamos algumas decisões, por medo, incertezas ou simples comodismo e às vezes podemos estar cometendo um grande erro meio que sem perceber e podemos depois nos arrepender de não termos agido antes.
    Que Deus nos ajude a encontrar as respostas que precisamos.

    Curtir

    • Olá, sei como é trabalhar em um ambiente tóxico, também já trabalhei e isso me custou não só a minha saúde física e mental, como meu casamento que culminou em um divórcio. A procrastinação às vezes vem justamente porque ficamos desanimados e congelados com uma determinada situação, mas tente descansar um pouco, cuidar da saúde, desligar, e depois que estiver mais fortalecido, ter força para planejar, estudar, e sair da empresa. Traçar um plano novo para sair desse ambiente seria ótimo. Beijos.

      Curtir

    • Oi Sapien, prioridade é tudo nessa vida. Se não soubermos qual é a nossa prioridade, as outras pessoas vão tomando o nosso tempo. Todo final de ano (está chegando rs) faço uma lista das minhas prioridades do ano seguinte. É a forma que encontrei para não deixar o ano passar em vão, não esquecer que o tempo continua escorrendo pelas nossas mãos. Beijos.

      Curtir

  5. Sobre o vídeo: em 2020 eu larguei definitivamente as redes sociais. Elas ocupavam a minha vida desde 2005. era uma usuária completamente patológica, passava dias inteiros interagindo nessas redes, achando que até estava me preenchendo de conteúdo interessante. Impressionante como agora eu tenho tempo pra tudo que eu antes não tinha. Minha vida nunca esteve tão nos eixos como hoje.

    Curtir

  6. Primeiramente parabéns! como amo ler os seus textos! me fazem refletir , pensar o que é importante, priorizar nossa saúde mental, espiritual, emocional, umas das coisas que estou tentando ver muito pouco são as redes sociais, percebi que quando olho, às vezes fico deprimida, outras comparando coisas, situações, estou tentando ver o minímo possível. Boa semana minha querida amiga, DEUS abençõe vc e sua família linda!!!

    Curtir

    • Oi Lindadrika, o tempo vai nos mostrando o que de fato é importante e onde vale a pena gastar nosso precioso tempo. É um exercício diário, já que tudo nos faz voltar para o que acontece na internet, mas não podemos esquecer que a vida real é o que vivemos fora da internet. Um grande beijo!

      Curtir

  7. Acabei negligenciando minha saúde mental nesse período de política, vi muita coisa errada, injustiças, roubos. Consequentemente minha saúde mental declinou. O que eu ganhei com isso? Nada, pois os mesmos corrruptos da minha cidade continuam no poder. Ver as pessoas se vendendo por votos, puxando saco de político é muito triste.. Queria muito um lugar de paz, mas o ambiente em que estou inserida hoje me faz mal e só me resta aprender a lidar com isso. Estou aprendeneo aos poucos como manter a sanidade nesses tempos loucos, afinal nada é novo debaixo do céu, tudo se repete.

    Curtir

    • Oi Maria, eu também já passei muita raiva, até entender que eles nunca irão mudar (independente do partido), ou porque é difícil, ou porque não vão deixar, ou porque não querem mesmo. Foi o que faltava para eu mesma ir atrás das coisas sem esperar pelos outros, e tentar ignorar o que eu não podia mudar. Ajudou bastante rsrs.

      Curtir

  8. Ótima reflexão. Tenho vivido no automático e não é um lugar bom, dou vários passos para traz. Ao mesmo tempo não tenho força para mudar, pois estou em um ciclo de depressão e ansiedade sem fim. Raramente fico muito entusiasmada, não dura dois dias e volto para o estado depressivo. É muito difícil. Ao menos este ano abandonei as redes, me ajudou demais com a ansiedade e insegurança. Um passo de cada vez creio que melhoro.
    Uma ótima semana.

    Curtir

    • Oi Thais, ter abandonado as redes foi um graaaaaaaande passo que você deu. Grande e muito difícil também, porque eu sei que não é nada fácil abandonar as redes sociais. No início, dá aquela sensação de ter sido esquecida pelo mundo (eu tive isso rs), mas aos poucos a gente começa a se voltar para dentro, para o que acontece ao nosso redor. Passamos a prestar atenção nas coisas bonitas e singelas, reaprendemos a apreciar coisas simples. Nas redes sociais, a impressão que dá é que sempre temos que buscar mais e mais, melhor e maior, e isso cansa. Um passo de cada vez, e um dia por vez, é a melhor receita que você já está fazendo para sair do automático. Respire fundo. Já está no caminho certo. Um grande beijo.

      Curtir

  9. Fala Yuka, tudo certo?

    Estou meio sumido, o trabalho está me acabando com o meu tempo.

    Sabe que ainda essa semana eu estava pensando que fazia meses já que eu não escrevia no meu próprio blog. É curioso como a gente se esforça tanto para cuidar do que não é nosso, tratamos a empresa em que trabalhamos como se fosse a coisa mais importante na vida, claro que é dela que tiramos nosso sustento (a maioria de nós pelo menos) mas ainda assim…a empresa é só nosso trabalho, e para ela somos apenas números que podem ser substituídos a qualquer momento. Pensando nisso eu resolvi voltar a escrever, fico acordado de madrugada para isso porque é o tempo que tenho, e é de noite que escrevo esse comentário nesse blog que eu tanto gosto. Uma coisa que ando pensando ultimamente é numa frase do livro “Pai rico, Pai pobre”, o autor diz “cuide do seu negócio”. Gastamos tantas horas do nosso dia tomando conta do negócio de outra pessoa, por que não gastar umas horas cuidando do nosso próprio negócio? Ou de nós mesmos? Fazendo coisas que nos fazem bem? Acho que pouco vai valer todo o dinheiro que economizarmos durante a vida se não tivermos energia, saúde, sanidade ou um companheiro (a) parar usufruir dele.

    Abraços Yuka, espero um dia ler um comentário seu lá no meu próprio blog!

    Abraços!!
    http://www.nasuaessencia.com

    Curtir

    • Oi Bruno, tudo bem? A rotina tem nos atropelado mesmo, com essa pandemia, minha rotina também não está das melhores. Tento estabelecer uma rotina mais agradável, mas é difícil, já que não estamos num período normal. Isso que você escreveu, “fazer coisas que nos fazem bem” é a chave para a felicidade. Tentar colecionar pequenas coisas que nos fazem bem. No início surgem poucas coisas, mas aos poucos, você vai aumentando, e com o tempo, terá uma coleção de coisas pequenas que faz bem para a sua alma. Esse meu blog é uma dessas coisas que me traz felicidade. Quando penso que já faz 8 anos que escrevo aqui, até eu levo um susto rsrs. Se seu blog traz felicidade também, continue escrevendo sempre, vai te fazer um bem danado. Um grande abraço pra você.

      Curtir

  10. Bom dia Yuka,

    Sobre essa questão das prioridades, e meio que continuando o assunto da semana passada, acho que uma das piores ideias “vendidas” por aí é a questão que a gente pode dar conta de tudo. Isso se aplica especialmente às mulheres e mães. Se a gente pega uma revista feminina tipo “Claudia” por exemplo, essa questão está presente o tempo todo. Que dá para ser mãe, profissional de sucesso, ser bonita e magra. E, bem, né, se você não consegue ser tudo isso, é que tem algo de errado com você, você não “gerência” o seu tempo direito. E a inadequação que vem disso aí faz a gente consumir mais e ficar mais infeliz ainda, ainda mais se parte desse tempo é passado olhando os outros fazerem aquilo que a gente acha que devia estar fazendo (mas não está, porque está olhando os outros…) e assim vai.

    Alguém escreveu em um dos comentários sobre como saber o que é importante para nós, e eu fiquei pensando se não é aquilo que a gente faz e nos deixa feliz sem precisar contar para os outros, digo publicar nas redes sociais. Ou aquilo que a gente faz não porque queremos que os outros tenham uma determinada imagem nossa e sim porque gostamos mesmo de fazer.

    Então a gente tem que pensar sempre nas prioridades para não colocar tudo no mesmo nível e ficar infeliz porque não dá conta de nada direito.

    Curtir

    • Creio que você seja mulher. Sou homem e na minha opinião essas cobranças são “universais”.
      O homem também tem que ser bem sucedido (bom emprego, ganhar bem), ser independente, bonito, ter bom físico, ter pegada (ser bom naquilo…), não ser solitário, preferencialmente ser visto com mulher(es) e se elas forem de boa aparência será um ponto positivo a mais etc etc.
      As próprias mulheres, assim como os homens fazem seus julgamentos baseados num combo de coisas. Hoje penso que o grande desafio das mulheres é conciliar vida social e profissional com maternidade e essa pra mim é a conta mais difícil de fechar.

      E um maternidade mal vivida geralmente tem um peso grande para a consciência das mesmas no médio ou longo prazo, quando a infância/adolescência dos filhos já passou.
      Isso ocorre também, porém em menor proporção com homens, já que historicamente tem o papel de buscar o sustento da família.

      Mas em suma, há cobranças dos mais diversos tipos, diretas ou indiretas sobre nós e se formos embarcar em tudo isso de cabeça a chance de não darmos conta é bem maior do sairmos vencedores em todos esses âmbitos e provavelmente o sentimento de fracasso virá.
      Cada um(a) tem que eleger o que é prioritário, o que faz sentido e buscar isso, digerindo as derrotas que fatalmente ocorrerão ao longo da vida, porque a vida é assim, também tem derrotas.
      A facilidade pra lidar com isso depende de cada um, de cada fase, de cada momento, mas é fundamental desde cedo entender onde se quer chegar e o que de fato importa.

      Curtir

      • Ah sim, agora me dei conta que não assinei o comentário. Sim, sou mulher e até ser mãe não tinha me dado conta do nível de cobrança. Cara, é o infermo. A culpa é sempre da mãe. Eu sei que os homens também são cobrados mas o nível de cobrança é muito diferente. É claro, as mulheres também cobram, mais que os homens, eu acho. É que as mulheres sao criadas para agradar, para serem simpáticas e queridas. E as mulheres jovens sao particularmente mais suscetíveis a esse tipo de expectativas. Essa coisa de ter que dar conta de tudo é bem feminina. Na minha familia nao tem isso de homem sustentar a casa, as mulheres trabalham e ganham tanto ou mais que os homens. Mas ser magra, por exemplo, sempre foi um valor, cobrado das mulheres (pelas mulheres) mas nunca dos homens. Enfim, tem que saber muito bem o que quer, porque sempre vai ter uma tia para dizer que a fulana consegue fazer mais que você e ainda ser mais magra, rsrsrs.

        Abraços, Daniela

        Curtir

        • Muito do que nós, mulheres, sentimos, está retratado nesta charge aqui:

          https://www.hypeness.com.br/2017/05/quadrinho-explica-porque-as-mulheres-se-sentem-tao-cansadas

          Muitos homens não vão se sentir representados, mas isso de fato, acontece. Pode perceber, que o “desafio” sempre é da mulher em relação a maternidade, nunca do homem. Isso por si só, já é uma cobrança invisível. Meu marido, ele é uma pessoa que faz muito, muito trabalho da casa. Desde lavar banheiro, lavar roupa, estender, recolher e dobrar as roupas, leva o lixo pra fora, varre a casa todo dia, me ajuda nos almoços e jantares, dá banho nas crianças, entretêm as meninas, leva pro parque, e mesmo com tudo isso, a minha carga mental é ainda muito alta. Eu ainda tive sorte porque meu marido reconhece que eu tenho muitas tarefas invisíveis, muitas responsabilidades invisíveis e muitas cobranças invisíveis. Mas não é a realidade da maioria das mulheres. Beijos.

          Curtir

          • Sou o anon 21:05.
            Sem dúvidas, como disse no meu comentário conciliar maternidade com outras atividades é o maior desafio das mulheres de hoje.
            Quando não há filhos, penso que as cobranças são cada vez mais semelhantes entre ambos os gêneros.
            De uns 20 a 30 anos pra cá vejo que aumentou muito o número de filhos criados em creches ou pelos avós. Muitas famílias mantidas apenas por mulheres ou casais onde os dois trabalham fora o dia todo.
            Aí estão envolvidas diversas coisas que são até difíceis de serem descritas aqui. Mas vejo que muita gente acaba abrindo mão de ser pai ou mãe sem muita resistência e sim, se os pais não ajudarem em casa fica mais difícil pra mulher, assim como pode ocorrer o contrário, é crescente o número de mulheres que não querem saber de trabalho doméstico ou de cuidar de crianças.
            Por isso é fundamental termos plena consciência de quem estamos escolhendo pra ser mãe ou pai das nossos filhos e se realmente queremos a responsabilidade de ser pai/mãe.

            Curtir

            • Oi Anon, escolher um parceiro para viver junto, compartilhar a vida, e ter um filho junto é realmente um dos maiores desafios. Eu e meu marido sempre dizemos isso, que “se com amor já é difícil um casamento, imagina sem amor”. Há realmente um número crescente de homens e mulheres que estão decidindo em não ter filhos, pois os desafios são imensos, fora a questão financeira. A gente nunca mais dorme em paz, já que preocupação é algo constante rsrs. Beijos.

              Curtir

    • Oi Daniela, sobre a pergunta de uma leitora (se não me engano, foi inclusive no post anterior) “como saber o que é importante para nós”, e a resposta que deu “é aquilo que a gente faz e nos deixa feliz sem precisar contar para os outros”, é isso mesmo. Tem gente que vai achar besteira, mas hoje mesmo, eu abri meu freezer, e abri um sorrisão e até chamei o marido para ver…. eram cookies congelados (que eu fiz na semana passada para estocar). Saber que tenho alguns cookies para assar nos meus dias difíceis rsrsrs, é um acalento para mim. Felicidade é muito pessoal. Não dá pra sair enumerando o que é felicidade, da mesma forma que não dá pra ajudar o outro a identificar o que é essencial e eliminar o resto (o conceito base do minimalismo). É uma busca pelo auto-conhecimento mesmo. O que talvez ajuda é saber o que NÃO queremos. Eu tenho muitas dúvidas das coisas que quero, mas tenho muitas certezas das coisas que não quero, e isso ajuda bastante a elencar as prioridades, e buscar a felicidade.

      Curtir

  11. oi Yuka,

    Sim! Cookies no freezer também me deixam feliz!

    Esse quadrinho está bem explicadinho mesmo. É exatamente assim que me sinto a maior parte do tempo.

    beijo, Daniela

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: