O que você está fazendo hoje para sair desta situação?

reclamar

A frase abaixo é o meu mantra há anos.

O que você está fazendo hoje para sair desta situação?

É incrível como ela serviu e ainda serve para tudo na hora de fazer alguma reclamação.

– O país está uma m&$&@?

– O emprego está chato?

– O salário está baixo?

– Tem poucos amigos?

– O marido não ajuda em casa?

– Não gosta do bairro que mora?

– Algo te incomoda?

E o que você está fazendo para sair desta situação? Se a resposta for “nada” (e a maioria das vezes a resposta é justamente essa), me desculpe, mas o mundo não vai mudar por você. Não adianta só reclamar, falar mal e culpar os outros.

Essa pergunta é crucial, porque mostra que a pessoa que pode mudar a situação somos nós mesmos. A culpa não é mais do outro. A responsabilidade se torna nossa. E se a gente não faz nada para sair daquela situação, a não ser ficar reclamando de tudo e de todos, infelizmente, nada irá mudar.

Eu tenho 6 princípios que me auxiliam quando tento sair de uma determinada situação:

  • saber onde quero chegar daqui a 1, 5, 10 e 30 anos
  • analisar como sair da situação
  • estabelecer metas
  • praticar a gratidão
  • comemorar pequenas conquistas
  • ter pessoas que acreditam em mim

Apenas para exemplificar, vamos imaginar que uma pessoa não queira continuar trabalhando onde está atualmente.

Imagine onde quer chegar daqui a alguns anos? Em um novo emprego, talvez na mesma área, ou em uma área completamente nova. Se for em uma área diferente, talvez tenha que fazer um novo curso, uma nova graduação.

Pronto, a partir do momento que há uma ideia de onde pretende se chegar, é possível analisar a situação. Decidido que quer tentar uma área nova? O que precisa ser feito? Um curso? Onde tem esse curso? Quanto custa? Quantos anos de curso?

Agora começamos a estabelecer metas. Anotar em um papel pequenas tarefas como pesquisar em qual local pretende-se estudar, quanto é necessário investir para se formar em uma nova área, em que horário pretende-se estudar, etc.

A gratidão é um passo importante para reconhecer o esforço próprio ou de alguém. Comemorar pequenas conquistas faz parte dessa etapa. Conseguiu se inscrever no curso? Comemore! Conseguiu contato de pessoas que trabalham na área? Comemore! Essas pequenas conquistas é o que nos impulsiona para a frente.

Nem sempre é possível, mas ter pessoas que acreditam na gente é fundamental. Às vezes o desânimo bate, e quando a vontade de jogar tudo para o alto aparece, surge a pessoa que acredita em você, e dizer que tudo vai dar certo.

E você?

O que você está fazendo hoje para sair desta situação?

~ Yuka ~

Anúncios

28 comentários em “O que você está fazendo hoje para sair desta situação?

  1. Bom dia,
    Gratidão pelo texto tão bacana.
    Eu era essa pessoa até entrar em uma depressão profunda a 3 anos.Esse ano que consegui me recuperar e estou recomeçando a vida.Comecei uma nova faculdade , pois detesto meu atual trabalho que foi o motivo da depressão, e sei que vou conquistar tudo que quero lutando um dia por vez.

    Curtir

    • Oi Marcela. Maravilhoso! Meu marido também está mudando de área. É nítido a empolgação. Até então, ele achava que era sempre culpa dos outros e nada mudava. Quando reconheceu que era ele que tinha que mudar, a mágica aconteceu. Que nem está acontecendo com você, ao começar uma nova faculdade. ☺️ Beijos.

      Curtir

  2. Esse post é um verdadeiro tapa na cara! Eu já fui muito de reclamar principalmente do meu emprego atual, hoje vejo ele como uma ponte para chegar aonde eu quero, já que preciso do dinheiro do salário para investir no próprio negócio. Quando eu lia sobre planejar a vida para os próximos 10, 30 anos eu achava absurdo, hoje entendo a importância que isso tem, se eu tivesse feito isso antes não estaria agora nesse emprego que não gosto, quando acordei pra realidade de que nada mudaria por si só comecei a planejar meu futuro e em breve estarei trabalhando naquilo que amo. Sempre lembro daquela frase “se você não sabe para onde quer ir, qualquer caminho serve” e não adianta reclamar depois por não estar chegando aonde quer.
    Obrigada Yuka pelo post, conheci seu blog recentemente pesquisando no google sobre minimalismo e estou feliz por encontrar esse cantinho aqui, li todos os seus posts e agora acompanhando os novos. Beijos.

    Curtir

    • Hahaha, alguns leitores falam mesmo que muitos dos meus textos são um tapa na cara. Isso que você comentou, de ser uma “ponte para chegar onde você quer” é um sinal de que sua mentalidade mudou mesmo. Mesmo nas experiências ruins, podemos tirar aprendizagens boas. Mesmo estando onde não queremos estar, sabendo onde se quer chegar, tudo se tornará suportável, porque saberá que não é para sempre, é só uma situação temporária. Um grande beijo pra você.

      Curtir

  3. Muito bom, alegrou meu domingo. Minha história se parece um pouco com a da Marcela. O burnout e a depressão vieram em 2013 e só esse ano senti uma melhora mais estável. Tive que abandonar a atividade pastoral e comecei uma nova faculdade. Agora estou pensando aonde quero estar daqui há cinco anos. Obrigado

    Curtir

    • Oi Daniel, tudo bem? Há algumas fases da vida que a gente começa a questionar nossas escolhas. Eu tenho a impressão que passo por isso a cada 3 anos rs. O burnout é uma doença silenciosa e perigosa, o que você fez, de deixar algumas atividades, foi uma decisão sábia. Quando se tem o esgotamento mental, o que devemos fazer é voltar ao simples, fazer somente o essencial. E a partir do momento em que estiver dominando bem a arte da simplicidade, galgar novamente novos territórios. Um abraço para você.

      Curtir

    • Oi Camila. Esse mantra é infalível rsrs. Toda hora que vou reclamar de algo, penso nessa frase. Das duas uma: ou eu paro de reclamar, ou faço algo para sair dessa situação kk. Beijos!

      Curtir

  4. Eu gosto muito desse cantinho aqui! Nunca é de mais falar hahaha Eu estou vivendo uma finalização de uma fase da minha vida. Eu, há muito tempo atrás, escolhi fazer física. Queria ser cientista e sonhava com isso. Fiz graduação, mestrado e agora estou finalizando um doutorado. E, num belo dia me dei conta que isso não é para mim : nunca consegui nada nessa área e fui insistindo na tentativa cega de não enxergar o óbvio : enxergar aquilo que estava tão claro mas que nunca havia dado atenção. Num dos últimos concursos que fiz da minha áera foi horrível, me senti pesado, com vontade de sair correndo e nunca mais voltar. E a prova à tarderera para a área em que trabalho atualmente e tudo saiu tão simples e calmo que fiquei em quarto lugar. Neste fim de ano pretendo fazer vestibular e começar um novo curso ou informatica ou biblioteconomia. E foi uma escolha tão acertada que parece que tudo fluiu, tudo aconteceu de maneira reflexiva, muito longe do que aconteceu com a minha primeira graduação. As pessoas me questionam por que isso, por que aquilo, mas fato é que eu tirei uma pedra do meu caminho e das minhas costas e me sinto leve. Gratidão por esse cantinho tão especial que sempre me ajuda de alguma maneira! Bjs

    Curtir

    • Oi Fábio, juro que por um momento achei que era o meu marido que estava me trollando rsrs. Ele também é físico, passou por essa fase sua, igual você. Ele nunca conseguiu ter oportunidade no Brasil como físico, até que depois de quase 10 anos insistindo em algo que não dava nada (e me ouvindo sempre repetir a frase: e o que você está fazendo para sair dessa situação?) resolveu mudar. Ele fez um curso de curta duração sobre big data, data science (não exige-se faculdade) e qual não foi a surpresa? Até então, as vagas de professor que eram escassas para físico, começaram a aparecer como data scientist. Qual era o pré-requisito? Isso mesmo, ser físico. A vida é engraçada, um mundo novo se abriu para ele. Em relação ao seu curso de informática ou biblioteconomia, há uma área chamada bibliometria que é bem interessante, acho que você como físico, tiraria de letra. Boa sorte pra você. Beijos.

      Curtir

  5. Oi Yuca. Acompanho à tempos seu blog , e tem sido um “chaqualhão” na minha vida. Coisas que eu sei , mas que não quero admitir , você vem , escreve e páaah , não tem como fugir da situação. Você sempre fala sobre metas , e eu , não tenho nenhuma !!! Agora mesmo , surgiu um curso on line , de algo que eu adoro fazer (personal organizer) , e eu fico pensando que o custo é alto , que não vou dar continuidade , que não tenho capacidade … e assim , nunca chego em lugar algum , pois não invisto em mim mesma.tenho que aprender a pensar à longo prazo , que preciso investir agora , e talvez obter o resultado somente mais à frente , mas que vale à pena. Gratidão por seu blog.

    Curtir

    • Hahaha, “você vem, escreve e páaah”. Adorei rs. Sobre seu curso de personal organizer, não pense no custo alto, pense na oportunidade que ele vai abrir para a sua vida. Meu marido durante muitos anos relutou (e muito!) em pagar algum curso. Ele como um bom físico, achava que era capaz de aprender tudo sozinho. E é mesmo. Mas o curso não serve só pra isso. Serve para fazer novos contatos, às vezes para fazer novas parcerias, mostrar interesse na área. Se realmente é o que você quer fazer, não tenha dó de desembolsar esse dinheiro. Tenho percebido que quando a gente quer alguma coisa, a gente não pode ficar só na teoria. Quando ficamos na teoria, as oportunidades também ficam na teoria. Quando a gente começa a agir, as oportunidades começam a surgir porque as pessoas ao seu redor passam a saber que seus interesses são reais. Você vai descobrir cursos e eventos muitas vezes gratuitos porque seus colegas vão lembrar de você. Esse negócio de meta é muito importante, a gente nunca foi ensinado sobre isso, nem na escola, nem em casa. Mas tente fazer pequenos exercícios: o que vai fazer nas suas próximas férias? Vai viajar? Para onde? Vai custar quanto? Por quanto tempo? Onde vai passear? Ou até mesmo esse curso de personal organizer. Onde vai fazer? Quanto vai custar? Vai pagar como, à vista ou parcelado? Tem que poupar quanto por mês? E depois que fizer o curso, qual será sua próxima meta? Talvez pegar 10 pessoas como voluntário para pegar experiência? Quem serão essas pessoas? Qual vai ser o nome da sua empresa? Talvez poderia dar algumas palestras de graça para promover seu nome, abrir um canal no YouTube rs, e por aí vai. Reparou que todas as ações depende de atitudes? Se a gente não tem metas, muitas vezes você poderia fazer o curso e ficar esperando uma oportunidade aparecer. A chance dessa situação dar certo é muito mais difícil do que se você correr atrás do seu sonhos. Beijos pra você!!!

      Curtir

      • Voltei aqui só pra te dizer que, sim , eu me matriculei no curso online e estou adorando , não só o conteúdo , mas saber que eu finalmente tive a coragem de investir em mim mesma. Foi só um passo , mas para mim , era muito difícil dar esse passo . Que seja o primeiro de uma longa caminhada. Bjs

        Curtir

        • Oi Soraia, meus parabéns!!! O primeiro passo SEMPRE é o mais difícil. E você conseguiu romper essa barreira. Aproveite para escrever tudo o que você gostaria que acontecesse com esse curso, como pretende angariar seus clientes, como pretende fazer a divulgação, etc. E depois, comece a desmembrar esses itens. Por exemplo, na meta “angariar clientes” pode ser publicar no Facebook, entrar nos blogs e YouTube de pessoas que falam sobre esse assunto para divulgar seu trabalho, enfim, vai criando metas para que esse curso que você está fazendo não seja em vão. Beijos.

          Curtir

  6. Pingback: As 4 frases que tem mudado a minha vida – Viver sem pressa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: