Como não fazer compras impulsivas

Mulher De Camisa Branca Segurando Jeans Azul

Vocês sabem que gosto de listas, então, segue as minhas dicas pessoais para evitar compras impulsivas:

1. Compre apenas no momento de usar

Uma coisa que eu aprendi nesta pandemia foi parar de comprar com tanta antecedência. Era uma coisa que eu fazia com frequência, gostava de planejar com meeeeeses de antecedência, mas percebi que nem sempre fazer isso é bom.

Lembro de um dia ter comprado maiô pra fazer natação. Depois deixei guardado na gaveta, resolvi fazer uma reeducação alimentar e emagreci 12kg e aí aquele maiô que eu tinha comprado, e que estava guardado na gaveta, ainda com etiqueta, não serviu pra mais nada.

Seria mais inteligente da minha parte comprar o maiô somente depois que eu tivesse feito a matrícula na escola.

Fora as outras coisas que comprei, e que de uma forma ou de outra, acabou perdendo o sentido depois de esperar alguns meses para ser usado.

Agora já aprendi que é melhor comprar somente quando chegar o momento de usar.

2. Tenha uma lista de compras

Eu tenho uma lista chamada Compras.

É nesta lista que eu coloco o cardigã que eu quero comprar, e que está lá há mais de 2 anos, porque não achei a cor que eu quero, o kit de brocas para a furadeira, entre outras coisas.

O bom de ter essa lista é que depois de alguns meses, eu desisto de comprar a maioria dos itens que estão lá. Ou seja, não era importante, seria uma compra por impulso.

Esse kit de brocas por exemplo, está nesta lista há pelo menos 3 meses, e não tenho pressa para comprar. Já pesquisei pela internet, mas prefiro escolher na loja. Fazer isso faz com que eu tenha menos arrependimentos na hora da compra.

3. Não se emocione com as liquidações

Aproveitar uma liquidação é sempre muito bom, se conseguirmos comprar somente o que iremos usar de verdade. Agora, comprar só porque está barato, só por este único motivo, não vale a pena.

Eu já me emocionei muito com liquidações, achava que estava perdendo grandes oportunidades se não aproveitasse.

Hoje prefiro comprar algo mais caro sabendo que é algo que irei usar, do que comprar algo mais barato sem saber se irei usar.

4. Não compre por estar na moda

Eu lembro que há alguns anos, se tornou tendência a calça pantacourt (uma calça larga e curta, ou uma bermuda longa rs).

Era muito comum ver várias, várias mulheres usando aquelas calças largas e listradas que iam até a canela.

A verdade é que são poucas as pessoas que ficam bem naquele tipo de modelo, que encurta as pernas.

Mas era impressionante a quantidade de pessoas que eu via na rua usando.

Ao invés de comprar porque está na moda, eu acho melhor comprar porque combina.

5. Antes de comprar, pesquise a opinião de outros consumidores

Há alguns anos, eu comprei um termômetro digital da marca Omron por justamente conhecer bem a marca.

Só que eu esqueci de pesquisar o produto em si, e não apenas confiar na marca.

Eu só descobri que aquele modelo específico de termômetro era descartável, quando minha filha estava ardendo de febre e o termômetro relativamente novo estava sem bateria.

Se eu tivesse feito essa pesquisa antes, saberia desse detalhe importante.

6. Jogue os e-mails de lojas para a pasta do spam

Tem períodos que eu resolvo me descadastrar de todas as lojas (elas me encontram mesmo eu não me cadastrando).

Mas em alguns momentos, tenho a impressão de que quanto mais me descadastro, mais e-mails eu recebo.

É uma coisa de doido.

Então eu oscilo entre fases em que saio descadastrando tudo, com fases que simplesmente ignoro e levo para a pasta de spam.

7. Pare de acompanhar canais que incentivam o consumo

Se tem uma período da minha vida que eu comprei maquiagens caras, foi justamente na época em que eu acompanhava os reviews de maquiagens das YouTubers.

Assistir esses vídeos atiçava a minha vontade de experimentar.

Eram tantos produtos novos, que eu nem dava conta de usar.

O produto vencia e eu tinha que jogar o produto que estava quase sem uso no lixo.

Depois que parei de segui-las, a minha vontade de consumir cessou completamente.

8. Estipule um limite de valor para gastar

Eu limito o valor em 2 ocasiões.

1.) Uma para não gastar demais,

2.) E outra para lembrar de gastar mais.

Exemplo de situação para não gastar demais: eu costumo fazer as compras da casa no supermercado. Mas às vezes, vou para a feira, principalmente quando as frutas do supermercado não estão tão boas. E eu já percebi que se eu levo 100 reais para a feira, gasto 100 reais. Se levo 80, gasto 80. E se levo 50, gasto 50. Então avalio o valor a ser gasto e só levo esse dinheiro.

Exemplo de situação para gastar mais: agora na pandemia, isso pode ser desconsiderado, mas em tempos normais, gosto de estipular valores para gastar no Uber, em passeios, lazer. Então quando passa o mês e eu vejo que gastei pouco, eu presto atenção para gastar mais no mês seguinte, afinal, dinheiro foi feito para gastar também.

9. Entenda a diferença entre preço e valor

Nós podemos comprar coisas pelo Preço e também pelo Valor. Os dois estão certos, desde que saibamos o que estamos fazendo.

Nesse período que minhas filhas crescem rápido (há fases em que as roupas duram uns 3 meses) eu tenho a plena consciência de que compro roupas para as meninas pensando no preço. Não vou comprar roupas de marca, não penso na durabilidade, não compro roupas caras, porque sei que a roupa vai evaporar.

Agora, quando fui comprar o colchão para as meninas, eu comprei pensando no valor, porque sabia que era um bem durável, importante para estabelecer o bom sono delas.

Esses dias comprei 2 blusas pra mim, comprei pensando no preço, já que só queria uma blusa confortável para usar em casa.

Já quando compro sapato, compro pensando no valor, porque não gosto nem um pouco de usar sapatos duros ou apertados. Não precisa ser algo caro, mas precisa ser algo de qualidade.

Saber reconhecer a diferença entre preço e valor no momento da compra é muito importante, pois evita comprar coisas importantes pensando no preço, ou, comprar coisas sem utilidade pensando no valor.

10. Cuide de você

Muitas compras por impulso acabam sendo feitas por causa da nossa instabilidade emocional: tristeza, ansiedade, frustração, inveja, insegurança, preguiça, tédio, medo.

Essa correlação é algo negligenciado por muitas pessoas, mas vale a pena avaliar como anda a nossa estabilidade emocional.

~ Yuka ~

30 Comments on “Como não fazer compras impulsivas”

  1. Excelente post, Yuka!

    Sobre a lista de compras do item 2, é até engraçado ver o quanto mudamos. A maioria dos itens não faz mais sentido mesmo.

    A vida é impermanente.

    Precisamos estar muito atentos à isso e não tentar prolongar etapas, pois esse hábito custará muito caro no futuro.

    Boa semana!

    Curtir

    • Oi Rosana, nem me fale, tudo bem que há mais de 10 anos, eu não tinha o conhecimento que tenho hoje, mas antes eu gastava – rasgava – o dinheiro à toa. Lembro das vezes que fui para o shopping e falava “hoje eu vou gastar meu dinheiro comprando qualquer coisa”. Eu não estava precisando de nada, não estava procurando por nada, mas ia no shopping com o intuito de comprar coisas que eu ainda nem sabia o que era, gastava por gastar… ai ai… ainda bem que tive salvação rsrs. Beijos.

      Curtir

  2. Me identifiquei com todos os itens!!! Infelizmente comprava por impulso diversos itens e agora percebi que nunca usei porque era item da moda, não vi valor adequadamente, foi puro impulso, era liquidação e pior de tudo não precisava de nada.
    Hoje faço a wishlist e deixo lá pra esquecer e só revejo depois de meses para conferir se ainda compraria. Na maioria das vezes desisto da compra e sinto um alívio enorme 🙂

    Curtir

    • Olá Próxima Leitura, wishlist é tudo de bom. É bem isso que você escreveu, anota tudo lá e depois de algum tempo, quando vamos olhar, a maioria das coisas são coisas que nem estamos precisando, era mais alegria do momento. Beijos.

      Curtir

  3. 11 – Não caia na lorota do cashback (melliuz, etc..)
    12 – Consulte antes de comprar se há itens usados em sites como OLX. Principalmente itens infantis. Tem gente vendendo coisas de excelente qualidade a preço de banana (carrinhos de bebê de marca, brinquedos fisherprice, …)

    Eu criei uma lista compartilhada com minha esposa usando o Google Notes. Nós dois vamos jogando lá coisas que precisamos.

    Curtir

    • Oi Zé, ótimas dicas! Também não caio nessa de cashback, claro que utilizo quando vou comprar algo que estava na minha lista há um tempo. Mas não compro só porque terá um cashback de 5%, 10%.
      Também uso bastante o OLX, tanto para venda como para compras. Há um tempo, comprei um patinete para a minha filha por R$30. A pessoa estava vendendo, porque a criança dela não quis usar. As rodas estavam novas, intactas. Eu também tinha certeza que minha filha não iria usar, tanto que já fui comprando no OLX, mas acabei me surpreendendo, ela adorou e usou muito! Beijos.

      Curtir

  4. “Não se emocione com as liquidações”
    Todas as compras que fazia eram baseadas nisso.Coisas baratas, porém gastava a toa.
    Nunca fiquei endividada mas foi dinheiro que poderia está aplicado e rendendo.Ontem fui a uma rua comercial com uma listinha, mas confesso que passei em lojas para ver as promoções.kkkk.Mas pratiquei meu atual mantra “VOCÊ NÃO PRECISA!!!!!””
    Gratidão pelas dicas.

    Curtir

    • Oi Marcela, eu adoro ver promoções kkkk. Pra você ver como beira a tortura, eu vou na 25 de março, olho todas as quinquilharias, e consigo comprar só o que iria comprar mesmo. Mesmo sabendo que não irei comprar, gosto muito de olhar as promoções, acompanhar os preços, pois ao fazer isso, quando preciso de algo, sei mais ou menos a base do preço dos produtos. Não vejo a hora dessa pandemia passar pra fazer isso de novo rsrs. Beijos.

      Curtir

  5. Mais um post com sabedoria, também sou dessas que pensa bem e analisa, mas já fui de comprar por ter vontade, acho que eram fases, mas vejo pessoas que continuam na mesma, porque são muito consumistas e precisam comprar para ser felizes, se completarem.
    Com o tempo e a idade a gente muda o foco. Quanto as crianças perderem, nem te conto, meus filhos estão na nova fase do estirão hahaha. Bruno do ano passado para esse ano perdeu sapato, ele tinha somente um tênis e perdeu ele, ficou sem nenhum. Mês passado a gente tinha manutenção no aparelho do dente, e estava chovendo e ir a pé de chinelo não iria ser bom, ele teve que usar do meu marido kkkkk. Peguei um sapatênis que ficou melhor no pé dele e lá fomos … foi engraçado mesmo um pouco grande deu certo. Imagina ele ta com 14 anos anos até janeiro seu aniversário vai perder muitas coisas, inclusive to precisando comprar calça, detalhe ele não gosta de jeans. Só moletom tem coisas que não escolho mais amiga….rs e olha que ele é menino e não tem frescuras….quando mostro algo pra ele tipo modelo de tênis ele fala “legal mãe” 🤣
    Agora minha menina com 11 e faz em janeiro também….então até lá perderam muitas coisas.
    Minha irmã passou uns moletons de frio para ele, meu sobrinho que tem 18 anos separou para meu menino. Ai dá para usar. Detalhe meu menino faz aniversário no mesmo dia do meu sobrinho.
    Acho que já comentei isso, que eles são do mesmo dia e minha menina do dia 09.
    Loucura !
    Bom falei muito, só para tirar os atrasos das outras postagens hahaha…

    Um ótimo domingo e começo de semana!

    bjs

    Dri 😀

    https://atelieradrianaavila.blogspot.com/

    Curtir

    • Oi Dri, tá parecendo minhas filhas. Vou te contar uma coisa que vai parecer até mentira, no ano passado, eu tive que comprar 4 vezes calcinha para a minha filha mais velha. Comprei a primeira vez em fevereiro, depois maio, depois agosto, depois dezembro… agora ela deu uma parada, mas não conseguia acreditar como estava crescendo tão rápido. Também estou de olho nas roupas de frio, mas sou tão ruim para comprar roupas de criança pela internet… e aqui onde estou morando, não conheço nada ainda, tô em busca de uma loja boa e barata rs. Beijos.

      Curtir

  6. Olá, Yuka!
    Sobre o tópico 8, eu estabeleço limite de gasto mensal em comidas. Adoro frequentar bares e restaurantes, e se deixar, passo do limite estabelecido, porque qualquer drink por aí custa 20 reais. Tem alguns meses que acabo não utilizando todo o limite (também devido à pandemia), e outros em que passo um pouquinho (questão de 20 reais). A minha dúvida é: quando não utilizo todo o limite, você acha prudente acumular para o mês seguinte ou economizar a diferença? Às vezes não consigo me dar o luxo de aproveitar um pouco mais, mesmo conseguindo economizar bastante.

    Curtir

    • Oi Júlia, eu faria o seguinte… se você sente que poderia aproveitar mais, e tem vontade de aproveitar mais, eu falaria pra você usar essa diferença no mês seguinte. Agora, se já matou sua vontade, e se sente satisfeita, eu pouparia a diferença. Vou te dar um exemplo do que tem acontecido comigo. Todo mês eu tenho um valor que posso gastar, e que chamo carinhosamente de mesada. Posso usar pra qualquer coisa. Antes da pandemia, eu costumava usar praticamente tudo, porque gostava de tomar um café com as minhas amigas, almoçar fora de vez em quando, comprava maquiagem pois usava todos os dias para ir ao trabalho, comprava sapatos que estragavam com frequência e por aí vai. Já nesse período em que estou trabalhando de casa, essa mesada está sobrando, pois não tenho aonde gastar. Então resolvi que durante esse período da pandemia, iria juntar o dinheiro todos os meses da minha mesada para inteirar alguma viagem pós-pandemia. Ou seja, eu não irei guardar esse dinheiro. Eu vou gastar. Um beijo.

      Curtir

  7. Seu post veio exatamente a calhar no momento que eu escrevo, eu justamente neste fim de semana parei para analisar minhas contas e percebi que fiz várias pequenas despesas por impulso e/ou aproveitar liquidações. Vejo pela ótica de investidor que muitas vezes APENAS focamos em aumentar nossos rendimentos e renda passiva e esquecemos de algo muito importante que pode ser um gargalo perigoso: nossas despesas/custos. Afinal, se for parar pra olhar, os mesmos R$ 100 reais que eu posso estar ganhando a mais com um investimento é os mesmos R$ 100 que eu posso estar jogando fora consumindo algo que eu não preciso.
    Excelente post, gostaria de te convidar para ler meu blog também, que está começando.
    http://odelfosoraculo.blogspot.com/

    Curtir

    • Oi Oraculo, que legal, vou acompanhar seu blog sim, vi que tem posts sobre FIIs, semana que vem vou comentar mais, mas tenho pensado em aumentar minha exposição em FIIs para gerar renda passiva, então será muito oportuno o seu blog.
      Verdade, eu também acho importante aumentar os rendimentos e renda passiva, mas como você escreveu, aumentar os aportes é algo muito eficiente também, e se feito de forma correta, traz retornos imediatos.
      Beijos.

      Curtir

  8. Tenha o suficiente – não compre essa coisa (até ter feito esses nove grupos de perguntas)

    Preciso disto? Eu verdadeiramente, realmente preciso disto, ou somente o quero?
    Meu desejo por esta cia foi implantado por técnicas de marketing?
    quero isto porque quero estar mais em forma, ser mais esperto, mais livre ou apenas mais legal? Se assim for, este item de consumo realmente fara este milagre?
    Há outra maneira de conseguir meu objetivo sem acrescentar mais coisas?
    Quantas horas a mais vou ter de trabalhar para pagar por isto? Que outra coisa eu poderia fazer com esse tempo de trabalho que me traria maior realização que este item de consumo?
    Não há algo que eu já tenha que poderia substituir isto?
    Eu quero mesmo ter de espanar, lavar a seco, pagar para manutenção ou manter esta coisa de qualquer outra maneira?
    Caso eu esteja substituindo alguma coisa que já tenho, qual o problema do item velho?
    Caso eu realmente necessite desta coisa, não há alguma maneira de eu consegui-la num site de troca, ou pegar emprestada cm um amigo, vizinho ou parente?

    fonte: Chega de Desperdício! (2010)/John Naish

    Curtir

    • Oi Scant, lista maravilhosa! Agora, a parte do “quero mesmo ter de espanar, lavar a seco, pagar para manutenção ou manter esta coisa de qualquer outra maneira” eu dei risada, porque essa sou eu kkkkk. Até na hora de comprar móveis eu avalio se o móvel tem linhas retas, ou muitas ondulações, porque acaba juntando muita poeira nesses móveis que são todos curvilíneos, com muitos detalhes kkkkk. Muito bom! Beijos.

      Curtido por 1 pessoa

    • Oi Ariane, e nossa, nessa pandemia eu tive muitas coisas que estavam estocadas que não usei. Até maquiagem, que eu comprei 2 bases porque usava bastante no trabalho, mas agora com a pandemia, eu não tenho usado essa base… só espero que eu consiga usar até o vencimento. Até nessas pequenas coisas, que até então eram inocentes, eu senti. Agora só uso quando algo está no meio do pote kkkk. Ou seja, estoque zero. Beijos.

      Curtir

  9. Olá! Novata por aqui! Descobri seu blog por esses dias e estou apaixonada, lendo muito e aprendendo muito também! Obrigada por tudo Yuka! Sobre a postagem eu fiquei feliz em pensar a maior partes das coisas e, assim, ver como eu evolui: nunca fui de me endividar, sempre guardei um pouco, mas muita coisa comprei por impulso para não usar depois rsrs

    Curtir

    • Oi Diana, bem-vinda!! Fico feliz que gostou e ficou por aqui. Pois é, essa é a parte boa de ao invés de nos compararmos com os outros, compararmos com a Yuka de 10 atrás, com a Diana de 10 anos atrás. Quando fazemos isso, só temos a ganhar, pois enxergamos como evoluímos ao longo desses anos rsrs. Já gastei muito também, hoje sou muito boa em economizar, sem que a família sinta que estamos economizando, sabe? É um longo processo de aprendizado, mas só temos a ganhar! Um grande beijo.

      Curtir

  10. Muito interessante, Yuka! Penso exatamente como você. Você consome infoprodutos? Gostaria de saber sua opinião sobre estes, como você utiliza tais serviços! Boa semana!

    Curtir

    • Oi Fernanda, eu compro mais e-books, cursos prefiro não, a não ser que a pessoa seja autoridade no assunto. Eu já comprei alguns cursos e sinceramente, não me acrescentou em quase nada, então agora sou muito criteriosa em relação a cursos. A não ser que eu conheça muito o trabalho da pessoa, e que eu tenha certeza que o curso não será mais do mesmo, aí sim, eu compraria. Mas a verdade é que há muito conteúdo bom e gratuito disponível na internet. Beijos.

      Curtir

  11. Yuka, com relação a “Não comprar por estar na moda”, minha estratégia é pensar “Ainda vou usar quando não estiver na moda?”. Na maioria das vezes a resposta é “Não”.

    Curtir

    • Oi Maju, bem lembrado, essa frase é bem boa mesmo. Quando a gente for comprar algo que está na moda, o ideal é entender que será algo passageiro, que terá tempo de validade para ser usado. Ou seja, comprar pensando no preço, e não no valor. Beijos.

      Curtir

  12. A listinha de itens para comprar eu adoro fazer e sempre me impressiono como TANTA coisa deixa de fazer sentido depois de pouco tempo. Eu às vezes nem excluo aquele item e deixo numa lista a parte chamada “fogo de palha” kkkk serve para eu ter como exemplo e consciência clara de que, muito do que posso inserir na lista hoje, pode não fazer sentido algum amanhã!

    Outra coisa é sobre reservar épocas específicas para comprar algo. Estou nesse momento inclusive ouvindo um podcast do Projeto Piloto sobre educação financeira, e a economista disse que erramos ao nos planejar apenas para comprar coisas grandes (um imóvel ou um carro, por exemplo). As coisas ditas “pequenas” também deveriam ser planejadas e não serem compradas apenas porque vimos um anúncio no instagram e nos afetamos por aquele gatilho de compra, por exemplo.
    Vai muito de encontro com o que você disse! Beijos.

    Curtir

    • Oi Michelle, eu tinha uma lista parecida com a sua “fogo de palha” rsrs, mas no meu caso, era pra saber o quanto eu tinha economizado ao não comprar bugigangas. Se eu tinha economizado 100 reais por não comprar coisas que eram compras por impulso, eu fingia que tinha gasto esse dinheiro e poupava. Isso fez uma diferença enorme principalmente quando eu estava no início de juntar dinheiro. Beijos.

      Curtir

  13. oi Yuka, boa tarde,

    Lista ótima essa que você fez! Essa de fazer lista eu uso muito, as coisas que não são urgentes mas eu acho que tenho que comprar eu jogo para a agenda no final do mês. Muitas vezes, quando chega no dia, eu já dei outra solução, ou mudei de ideia, ou pesquisei melhor e desisti. Só abro exceção para isso quando é realmente urgente ou é alguma coisa que foi quebrada/estragada e eu fico com raiva só de olhar. Daí uso o método imediato. Compro outro no mesmo dia só para nunca mais pensar no assunto.

    Já comprei muita roupa para a minha filha para aproveitar liquidação. Agora, nem compro sem ela ver, porque ela simplesmente não usa se não gostar. Então o baratinho acaba ficando caro, porque o uso é zero. Depois que ela foi para a escola e passou a usar uniforme a quantidade de roupa necessária diminuiu muito. Antes, na creche, tinha que ter uma porção de cada, porque sujava muito e aqui nem sempre as roupas secam rapidamente e eu não lavo roupa todos os dias. Agora, com a pandemia, ela só usa coisa muito confortável, então só tive que reforçar as calças folgadinhas e shorts.

    Acho que cada um tem que descobrir os seus gatilhos de compras inúteis. O meu é ansiedade misturada com tempo livre. Já fiz cada estrago, de comprar várias peças de roupa e não usar nada, de tão erradas que eram. Eu não me ligo em e-mail, posso receber trocentos que não me emociono. Não gosto de ver vídeos, então o youtube também não é problema. Mas se eu estiver ansiosa e for passear no shopping com tempo, isso é um problema.

    Tem uma questão que me pega que é a insatisfação também, de querer ser algo que não sou. Eu gostaria de ser mais sofisticada, tipo aquelas pessoas que você vê que andam arrumadas sem parecer que fizeram esforço para isso. Só que eu não sou assim. No dia a dia, visto a coisa mais confortável que encontrar, que não seja um pijama, não interessa se já usei 10 vezes no ultimo mês. E eu não ligo mesmo, no dia a dia pareço estar sempre com as mesmas roupas, porque, quando não são as mesmas, são muito parecidas. Isso antes da pandemia, imagina agora. Então comprar coisas que não combinam comigo é um problema também. Camisas, blazer, calça de alfaiataria, eu até tenho, mas uso pouquissimo. Compro para o dia que “precisar” estar mais arrumada, mas como isso é raríssimo, quando vejo, tem uma porção dessas roupas paradas no armário.

    Fiz muito isso com livro também, eu queria ser aquela pessoa que lia livros de sociologia, de história, mas o que eu gosto de ler mesmo é biografia e romance. Então teve uma época que eu comprei um monte de livros que não li, começava mas não ia adiante. Até que me dei conta que eu estava comprando livros para manter uma imagem, mas que não era o que eu gostava de verdade. Agora eu faço lista de livros para comprar também, e só compro quando fico sem, daí dou uma olhada na lista para ver se tem algum que continuo com vontade de ler.

    Nada como ficar mais velha, tem coisas que só o tempo para a gente aprender.

    Um abraço e boa semana!

    Daniela

    Curtir

    • Oi Daniela, já aconteceu também das minhas filhas não gostarem das roupas e não quererem usar. Minha filha mais velha por exemplo, só gosta de usar roupas 100% algodão, é exigente desde bebê kkkk. Não pode ser qualquer calcinha, tem que ser uma confortável. Não pode ser qualquer pijama, ela se incomoda com roupas que pinicam. Quando eu percebi que ela sempre usava as mesmas roupas surradas todos os dias, vi que ela só pegava as roupas que eram de algodão. E com isso passei a prestar atenção nesse detalhe. Já a mais nova, não liga pra nada disso. Consegue dormir até de fantasia que tem tule. É bem o que você escreveu, se compramos algo na promoção que não é usado, é o barato que saiu caro. Beijos.

      Curtir

  14. Que post necessário Yuka, acho que para de consumir esse conteúdo primeiro passo como disse. Eu acho que as pessoas não tem consciência até mesmo ambiental que o consumo gera.
    Enfim, parabens pelo post.

    Beijos

    Curtir

    • Oi Cinthya, concordo com você, parar de seguir pessoas que consomem em excesso já faz um bem danado para o nosso espírito e para o bolso. Aquela ansiedade se esvai, a necessidade de consumir por consumir diminui, a gente passa a ficar mais agradecida pelas coisas que já temos. Só tem coisa boa. Beijos.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: