Procure e conviva com pessoas que alimentam a sua alma

Homens, Mulheres, Vestuário, Casal, Pessoas, Feliz

Quem são essas pessoas, afinal?

Não, não são pessoas que sempre concordam com você.

Não são pessoas que sempre passam a mão na sua cabeça.

Não são pessoas que sorriem para você.

Pessoas que alimentam a sua alma são raríssimas de encontrar.

São pessoas que você se sente bem mesmo no silêncio. São pessoas que querem realmente o seu bem (e por mais absurdo que possa parecer, tá difícil de encontrar). São pessoas que falam a verdade, mesmo quando você ainda não está pronto para ouvir, mesmo quando você sabe que é verdade, mas não quer acreditar. São pessoas que dizem a verdade, quando ninguém mais tem coragem de dizer.

São pessoas que esticam os braços para você, para ajudar a subir na vida. São pessoas que colocam os nossos pés no chão, mas ao mesmo tempo nos mostra o potencial que nem sabemos que possuímos. São pessoas que confiam no que falamos.

Depois que eu quis sair da matrix da classe média, e passei a não concordar em ter que trabalhar tantas horas para alguém, de ficar tanto tempo longe de casa, das crianças, do marido, de postergar cursos e hobbies que gostaria de fazer, percebi o quanto era difícil alguém acreditar no que eu falava, eu parecia um extraterrestre. Lembro até do meu marido falando como chegava a ser engraçado e inacreditável as pessoas não acreditarem em mim.

Afinal, onde estão as pessoas que acreditam na gente, no nosso potencial e nos ajudam a crescer como pessoa?

Em todos os lugares. Mas precisamos achá-las. Eu encontrei muitas dessas pessoas graças a esse blog.

Muitas dessas pessoas só estão aguardando a oportunidade de nos conhecer melhor. Pode ser o seu colega, a moça do caixa do supermercado, o professor da sua filha, a sua vizinha de apartamento, o colega da internet.

Eu tirei a sorte grande de casar com uma dessas pessoas.

~ Yuka ~

 

 

Anúncios

26 comentários em “Procure e conviva com pessoas que alimentam a sua alma

  1. Yuka, bom dia.
    Eu te agradeço pelo blog, muitas de suas postagens me fez acreditar que estou no caminho certo (bem devagar rs..rs..)mesmo que muitas pessoas não acreditam.
    Um dia te mando um email contando um pouco da minha história deste que conheci seu blog.
    Bj e ótimo domingo pra vcs.

  2. Oi, Yuka! Amo teus textos, leio todos (várias vezes rsrsrsr)! Conheci o minimalismo há bastante tempo, no início eu acreditava ser sobre eliminar as coisas materiais, hoje eu vejo que vai muito além, trata-se de uma filosofia de vida. Acho que interfere também (e muito) nos nossos relacionamentos. Por muito tempo eu permaneci em relações que não me agradavam, principalmente por vontades familiares. Aquela velha história de ser educada com todos os parentes. As pessoas simplesmente não me faziam bem, desanimavam-me e eu ainda tinha de ouvir críticas.
    Decidi que conviver com tais pessoas, que definitivamente não alimentavam minha alma, não era obrigatório. Passei a recusar os convites, dizer que não podia, não queria ou simplesmente ignorar. A vida melhorou bastante, principalmente a saúde mental.
    Falando nisso, como você faz para se desvincilhar de pessoas que não lhe fazem bem?
    Acho que vivemos uma era em que as pessoas gabam-se tanto de um extenso ciclo de amizades, que esquecem de analisar a qualidade dessas. Viver com pessoas que realmente querem o nosso bem e ficam felizes com nossas conquistas não tem preço.
    Achei fofíssima a parte em que comentou ter encontrado diversas pessoas de bom coração no blog. É essa a sensação que sinto ao ler todos os teus textos e comentários da página. A minha esperança sempre ressurge ao ler tantas opiniões sobre a vida de verdade e não aquela criada para impressionar os outros.

    • Oi tudo bem? Eliminar peças do guarda-roupa, eliminar objetos é somente a ponta do iceberg do minimalismo. Ele nos faz olhar para dentro, ao invés de olhar para fora, é uma imersão ao auto-conhecimento e com isso passamos a nos enxergar melhor como pessoa, descobrir o propósito de vida, eliminar pessoas tóxicas, correr atrás dos sonhos, ou seja, tudo o que é essencial, e aprendemos a detectar o que é de fato, o “resto”. Sobre desvencilhar de algumas pessoas que não me faz bem, bom, vamos lá. Eu tenho uma irmã que durante muitos anos me judiou muito, não era simplesmente uma briga de irmãs, durante muitos anos eu fui humilhada e sofri violência física dentro de casa. Foi só depois de muitos, muitos anos que eu descobri que é isso que chamamos de violência doméstica. Durante muitos anos eu mantinha contato com ela, só para deixar minha mãe feliz. Mas foi através do auto-conhecimento que eu descobri que ao fazer isso, eu estava permitindo que eu me machucasse novamente, já que eu tinha que fazer coisas que eu repudiava. Apesar dela ser minha irmã, sangue do meu sangue, eu mantenho distância. Não tenho contato com ela, só com a minha irmã mais nova. Então pessoas que eu consigo manter distância, eu mantenho. Já se for pessoas de um círculo de convívio diário, é mais complicado, nesse caso, eu tento manter o anonimato, não comento da minha vida particular, não falo para onde fui passear, não compartilho sobre projetos de vida, absolutamente nada. Com isso, as pessoas não têm munição para atacar. E tem sido a melhor coisa que eu fiz. Eu compartilho a minha vida com os meus amigos, com as pessoas que eu sei que não vão falar mal de mim pelas costas, independentemente das escolhas que eu fiz. Um beijo pra você.

  3. Oi, adoro seus textos. Também tive a sorte de encontrar uma pessoa assim como meu companheiro. Realmenre pessoas dessas contam nos dedos. É muito bom o sentimento de poder ser você mesmo com alguém, no meu caso até com meus familiares me achando um “et”. 😂 mas eu respeito os limites de cada relação. Como diz arly cravo : ” para cada pessoa há uma distância saudável a ser mantida dependendo do nível de afinidade que se tenha”.

    • Oi Ge, exatamente essa frase que eu tenho levado para a minha vida. Para pessoas que eu não tenho afinidade, eu não compartilho a minha vida, meus projetos de vida, não falo os livros que ando lendo, o que eu tenho aprendido. Fico somente na superficialidade, pois sei que para certas pessoas, qualquer coisa que nós digamos, sempre seremos criticadas. Eu sei as decisões que tomei e sei como a minha vida tem se tornado cada ano mais fácil. Já ouviu aquela frase “Escolhas fáceis, vida difícil. Escolhas difíceis, vida fácil” e ela se aplica à minha vida. Agarre seu companheiro, cuide dele como cuida de um jardim, e não deixe escapar pessoas como ele, que alimentam a sua alma. Beijos.

  4. Oi Yuka,

    Gosto muito da frase que colocou…”pessoas que dizem a verdade”. tão raras são as pessoas que dizem a verdade como também as que aceitam a verdade. Neste sentido são construídas relações fracas e superficiais. Tão superficiais de quanto amigos em redes sociais.

    Bjos.

    • Oi Sapien, verdade seja dita, a outra ponta (pessoas que aceitam a verdade) também tá difícil de encontrar. A única pessoa que fala as verdades pra mim, é o meu marido. Aquelas verdades que só uma pessoa que quer o nosso bem fala, sabe? Infelizmente, as relações estão mesmo superficiais, e vou te contar outra coisa, até eu me sinto superficial às vezes, porque ultimamente não tô querendo mais me envolver com o problema dos outros. Ano passado, tentei ajudar uma amiga estendendo a mão, mas vi que o tiro saiu pela culatra, ao invés de segurar a minha mão, a pessoa passou a duvidar de mim e deixou de ser minha amiga. Enfim, depois dessa, passei a encarar o problema dos outros como problema dos outros… e isso é ruim, porque as respostas viram genéricas, superficiais. Beijos.

      • Nossa Yuka, neste sentido também me encontro meio superficial. Por vezes tentei ajudar pessoas com planejamento financeiro etc e no final acabei perdendo meu tempo. Faz parte… parei de criar expectativas dos outros.

        • Pois é, mas se não há envolvimento, não tem como a gente conhecer as pessoas, e aí torna um círculo vicioso da superficialidade. Estou dando um tempo pra mim, me permitindo ficar mais na minha. Ter conhecido você pessoalmente foi a forma que encontrei de sair dessa superficialidade 😀

  5. Olá, Yuka!
    É muito complicado alterar a cor da letra do blog? Este cinza é claro e acaba se confundindo com o fundo, dificultando um pouco a visão. Não sei se fui a única a perceber isso hehe só uma sugestão, adoro o seu blog, beijos!!!

    • Oi Mariana, não tinha nem percebido que a letra estava cinza rsrs. Mas ainda bem que você falou pra mim, vou tentar ir nas configurações e ver se dá para alterar pra preto. Sabe que eu apanho na plataforma do WordPress hehehe.

    • Mariana, não consigo trocar a cor da letra… tentei, tentei, mas não existe essa opção, já que o modelo do site é um modelo já pronto 😦

  6. Aaaah Yuka sua linda. Tive que comentar esse post. Com certeza você representa uma dessas pessoas para mim. Gratidão aos seus textos que tanto contribuem para o meu crescimento! Desejo a você toda Luz e Amor possíveis.

    Beijos

  7. Yuka,

    Que abraço esse texto! Me fez refletir muito. Na verdade ainda estou refletindo, como é difícil nos desvencilharmos de algumas pessoas quando elas estão no meio familiar de alguma forma…um eterno aprendizado.Obrigada por compartilhar, mais uma vez, tantos ensinamentos.

    • Oi Carol, pessoas do convívio familiar são as pessoas mais difíceis de desvencilhar. Mas algumas pessoas, por repetidas vezes, nos magoam de graça, sem motivo algum. Não há sentido sofrermos por pessoas que não possuem consideração por nós. Eu demorei demais para entender isso, e durante muitos anos permiti que minha irmã me agredisse verbalmente e fisicamente, tanto que carrego até hoje as consequências da minha infância e adolescência, mesmo na fase adulta. Encontrar pessoas que querem o nosso bem é difícil, mas não impossível. E posso dizer que eu adoro os comentários das pessoas, aprendo muito com vocês também. Obrigada.

  8. Site e post espetacular. Dá até um alívio de ler. Desde que resolvi sair da matrix da classe média (endividamento, consumo, ostentação e workaholic), abandonar a corrida dos ratos, tem sido muito difícil e solitário. Sentimento de ser um extraterrestre, um peixe fora d’água. Pressão e opressão de todos os lados. A matrix quer te puxar de volta o tempo todo. Realmente temos que fugir de pessoas e relacionamentos tóxicos, mas isso acaba nos levando a um isolamento. Aqui é considerado crime e fracasso, poupar e ser frugal. Abraços!

    • Oi Tio Patinhas, tenho que concordar com você sobre a solidão. Hoje eu percebo que são poucas as pessoas que me conhecem a fundo, falo sobre amenidades, sobre coisas gerais, mas é só aqui no blog, na finansfera e com o meu marido que consigo compartilhar sobre assuntos de meu interesse como minimalismo, investimentos, FIRE. As pessoas só falam em comprar, substituir, ter mais, ter um maior, e eu fico só ouvindo… Pelo menos na comunidade a gente se fortalece. Beijos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: