Aprecie as coisas simples da vida

Eu tenho um objeto em casa, que eu nem sei se tem nome.

Comprei há 9 anos em uma das lojas do bairro da Liberdade, em São Paulo, e que uso praticamente todos os dias.

É um batedor de leite, um mini-mixer.

Há tempos penso sobre esse assunto, e hoje, resolvi escrever sobre essa pequena felicidade que sinto ao preparar o meu café.

É só um café com leite normal, mas ao fazer espuminha no leite, sinto a sensação de que foi preparado com amor.

Eu esquento o leite, ligo o “mini-batedor” dentro da caneca para fazer a espuma e depois acrescento o café.

Sabe quando você está cansada, quer sentar e tomar um bom café com leite? Essa espuma branca, fofinha, que gruda nos lábios, faz toda a diferença pra mim.

Eu sinto prazer e aconchego.

É um momento gostoso que eu e meu marido temos para desacelerar, curtir a companhia do outro, mesmo que seja por poucos minutos antes de dormir. Aliás, essa é a vantagem de quem não perde o sono mesmo tomando uma canecona de café à meia-noite.

foto 1

Aqui, o leite já morno com o mini-mixer, mini-batedor, seja lá qual for o nome.

foto 2

É só colocar e deixar ligado por uns 30 segundos.

foto 3

Meu leite com espuminha… nham nham nham…

foto 4

Aqui, já com café. Geralmente fica mais escuro, acho que coloquei pouco café desta vez. Os chocolates ganhei de uma amiga.

Se tiver um tempo, pare para avaliar quais são os seus pequenos prazeres, as pequenas alegrias, as pequenas conquistas…

Busque a consciência de que a verdadeira felicidade se esconde nas pequenas coisas da vida.

~ Yuka ~

Anúncios

34 comentários em “Aprecie as coisas simples da vida

  1. Estou aqui, lendo seu texto e dessorador iogurte para faz era o meu grego (aliás, amando minha máquina!). Ontem fiz brownie. Estou retomando o prazer de.cozinhar. É uma forma que encontrei de tirar um tempinho para mim. Cansei de ficar olhando a vida alheia nas redes sociais (sabemos que vicia). Outro dia aprendi a fazer takoyaki (comprei a máquina pelo Aliexpress, demorou 7 meses para chegar). Sou meio lombriguenta, se não acho algo para comer eu não sossego. Eu e minha mãe pretendemos tentar replicar uma receita de batata recheada com marreco, que comi e SC e não acho em lugar nenhum (nem restaurante e nem a receita). Beijos.

    Curtir

  2. Oii Yukinha!
    Amo tuas postagens. Esta apreciei em especial, vez que ao tomar meu café também tenho um momento de felicidade. Durante muito tempo tomei meu café com pressa, pensando nos afazeres. Depois comecei a acordar com o restante da família, tomava café enquanto todos os demais se arrumavam. Era uma bagunça, tinha gente pedindo onde estavam os utensílios, outros pedindo para trocar as sacolas da lixeira, outros querendo conversar às 7 horas da manhã. Eu odiava, acordava irritada já sabendo a bagunça que seria. Parei de levantar no horário dos demais. Sei que momentos em família devem acontecer, inclusive amo ficar com a minha, mas percebi que não tenho disposição para isso logo cedo. Assim que escuto o portão abrindo, levanto. Sem ninguém em casa, preparo meu café no absoluto silêncio. Sento no meu confortável sofá. Bebo meu café enquanto assisto o jornal local, inclusive descobri um horário com notícias mais “leves”, com previsão do tempo e fotos de paisagens do Estado. Acho MARAVILHOSO. É aquele momento do dia em que a felicidade reina. Muitas vezes fico enrolando na cama, contando os minutos para que todos saiam e eu possa começar meu dia bem. Acordo muito mais animada que antes. Acho que criarmos estes minutinhos no dia fazem toda a diferença.
    Beijos e até o próximo domingo!

    Curtir

    • Oi Luana, puxa, como te entendo. Também fico irritada quando acordo com gritaria, choro, etc. e eu com duas crianças… já viu né? A paciência que preciso ter kkkkk. Eu faço algo bem parecido com o que você faz, só que à noite. Depois que eu chego em casa com as crianças, faço a janta, dou de comer, dou banho nas crianças, limpo a casa, termino de fazer a minha marmita do dia seguinte, e é nesse momento que meu marido chega em casa. Ele toma banho, e passo o bastão pra ele. Ele dá a mamadeira, escova o dente das meninas, troca a fralda da caçula, e coloca as meninas pra dormir. Nesse momento, eu sinto um leve rojão de fogos de artifícios dentro de mim rsrs. É o momento que eu tenho pra beliscar alguma coisa, sentar, ler alguma notícia, me acalmar. Acho super importante ter esse tempo. É importante para a minha sanidade mental, manter o meu equilíbrio, recuperar a minha individualidade. Adorei (de verdade!!!) seu comentário. Beijos.

      Curtir

  3. Esse é um aprendizado diário, de ver as coisas simples… Procurar pequenos prazeres diários, um dos meus é cheirar a cabeça do meu filho quando vou dormir, outra é ver alguma das minhas plantas florirem… Ou dormir um pouco mais, tomar café da manhã com meu marido e filhos… Mas não foi sempre assim, antes eu esperava coisas grandiosas para ser feliz… Hj não mais.

    Curtir

    • Oi Célia, cheirar a cabecinha dos nossos filhos realmente é um prazer indescritível rsrs. E quando bate aquele vento e o cabelo deles roçam o nosso rosto? Acho que todo mundo (as pessoas, a televisão, a novela, as propagandas) sempre falam dessa felicidade grandiosa. Só que a vida real é bem mais simples, bem mais “sem graça”. Por isso que eu falo que quem me vê de perto, vai achar a minha vida muito sem graça, porque de verdade, tudo é muito simples. Mas é essa simplicidade que eu vejo graça. E você pelo jeito também percebeu isso. Beijos.

      Curtir

  4. Yuka, oi! Sempre leio seus textos quando chegam em meu email, mas hoje tive que vir aqui comentar! Quero agradecê-la por compartilhar textos que fazem muita diferença, acrescentam em nossas vidas. Hoje é tão raro encontrar pessoas que valorizam o ser ao invés do ter, que quando encontramos uma, a vontade é de dar um forte abraço e tomar uma xícara de café! Gratidão e que sua vida e de sua família seja repleta de bênçãos e de boas energias sempre!

    Curtido por 1 pessoa

    • Oi Mariana. Obrigada pelo comentário tão carinhoso. Confesso que às vezes, com a correria do dia-a-dia, tenho medo do essencial ser ofuscado. Vejo pessoas se importando demais com o ter, com o que a vizinha comprou, com o que o irmão comprou, que isso me deixa um pouco enjoada. É uma inversão de valores. É nesses momentos que esse café com leite me reconecta com a simplicidade. Às vezes é um chá preto com leite, outras vezes é um cookie no forno, um pão caseiro… voltar para o “tempo dos nossos avós” tem sido a minha alternativa para suportar tanta superficialidade dos tempos atuais. Eu é que agradeço por acompanhar o blog. Um grande beijo pra e uma boa semana. Comente sempre que puder!!

      Curtir

  5. Oi Yuka 🙂
    Em uma empresa que trabalhei eles deixavam um aparelhinho desse disponível para os funcionários, e realmente a espuma que fica no leite é deliciosa na boca!
    Me deu até saudades huuuuum!

    Ótima semana!

    Curtir

  6. Oi Yu!! Tudo bem?
    Amei esse post!!! Eu tenho uma dessa rs…inclusive dei uma para uma amiga ela amou….é tão bom ter pequenos prazeres na vida agitada que temos isso acalenta nosso ser. É tão bom!!!
    É através de pequenos instantes que eu me apego nessa vida isso sim é viver ela intensamente.
    Um grande beijo e ótima semana com feriado 😉

    Dri 😀
    Ps: uma coisa que é perda de tempo é rede social. Não tenho nem como pessoal e nem aguentei ter de artesanato pra só expor kkkkk . Meu negócio é estar junto com um bom papo e um café .

    Curtir

    • Oi Dri. Sério que você também tem uma? É ou não é maravilhoso esse “fazedoras de espuma”? Rsrs. Sobre as redes sociais serem uma perda de tempo, realmente, quando se vê, já se foi 3 horas do nosso dia. Imagina em 1 ano quanto a gente deixa de viver olhando a vida dos outros pela tela de um computador… beijos.

      Curtir

      • Sim é maravilhoso eu amo !!!! rs
        Não fico sem mais, trás uma sensação tão agradável !!
        Quantos as redes, eu sinceramente desisti nem pra postar artesanato e o Pinterest achava que estava me roubando muito tempo também. Esse negócio de ir lá se inspirar quando você vê salvou tanta coisa que não vai conseguir fazer nem se vivesse uns 200 anos kkkkkkkkkkkkkkkkk.
        Desisti!!!
        Agora o blog não sei que rumo pode levar, eu já encerrei tantas vezes que perdi as contas, e acabo voltando…eu gosto de blog, mas precisava ter conteúdo como ainda não me decidi ainda to assim refletindo sobre.
        Enquanto isso vou visitando os blogs que eu amo ler!
        Um super bj 😀

        Curtir

  7. Oi Yuka! Esse mixer vende no daiso aqui no Japão, é sensacional!
    Adoro sua simplicidade…

    Uma das minhas maiores alegrias, é tão boba que muita gente dá risada quando eu falo: adoro roupa de cama trocada! Aquela recém-lavada, com cheirinho de amaciante, que faz a cama parecer “nova”. Desde criança minha mãe diz que eu amava. Ficava passando o pé de um lado pro outro no lençol até pegar no sono… só curtindo o cheirinho, o tecido… Faço isso até hoje. Meu marido diz que eu sou a pessoa mais feliz quando o assunto é lençol trocado! Rs…

    Adoro dias de sol com ventinho. A festa que os cachorros fazem quando chegamos em casa. Carinho no cabelo. Cheiro de bolo assando. Cochilo à tarde no sofá. Pisar descalço depois de um dia longo de trabalho.

    Agora a mais nova alegria: sentir o bebê mexer e interagir com a gente!

    Espero poder ensinar essa felicidade na simplicidade pra minha filha.

    Como sempre vc me inspira! Beijos

    Curtir

    • Oi Tiemi, a Daiso é maravilhosa. A primeira vez que entrei em uma loja dessas, eu pensei na possibilidade de abrir uma franquia dessa loja no Brasil. Claro que não fui adiante com essa ideia, porque sabia que precisaria ter um grande investimento inicial. E hoje, 11 anos após a minha ida ao Japão, temos lojas Daiso em tudo quanto é lugar aqui em São Paulo. Esse ano, estou até evitando de entrar na Daiso, porque sempre saía com uma sacolinha rsrs. Adorei saber sobre suas pequenas felicidades… quando li sobre você gostar de lençol limpinho, lembrei quando morei em uma casa (hoje moro em apartamento) e pendurava as roupas no varal. Adorava quando batia sol, e as roupas secavam em menos de 1 hora. Gostava demais dessa sensação da roupa seca. Você vai ensinar sim a sua simplicidade para a sua filha. Tenho certeza. Os filhos imitam demais os pais. Vejo pelas minhas filhas. Elas me imitam pro lado bom e pro lado ruim também. Eu tenho o costume de abrir a última porta da sapateira com o pé (minhas habilidades com os pés rsrs)…. acredita que minhas duas filhas abrem também a sapateira com os pés? Ai que feio de se ver kkkk. Nem posso reclamar porque eu sei que elas me imitaram. Beijos.

      Curtir

  8. Yuka querida, fazer as refeições à mesa com meu marido faz parte desse meu pequeno prazer diário. Se eu tiver tempo pra arrumar bonitinha com uma florzinha então…
    Já quero meu café com espuminha tbm rsrs
    Um beijão

    Curtir

  9. Ah agora me deu vontade de tomar café com leite cheio de espuminha rs Uma coisa simples que gosto muito é de ver a chuva fina cair, sempre que ouço o barulho de chuva eu corro pra janela e fico um tempo olhando ela cair, é tão relaxante, sobe aquele cheirinho de terra molhada, tão bom. Ver o sol nascer, sentir o vento no rosto, observar um passarinho cantando, são coisas que se pararmos por apenas um momentinho e observar já dá uma sensação de paz.

    Gratidão pelo seu post, por trazer essa leveza para o nosso dia 🙂

    Curtir

    • Oi Dani, e sabe o que é mais legal nisso tudo que você escreveu? Que esses pequenos prazeres geralmente custam muito pouco, ou nada. Tanto a sensação do lençol limpo que a Tiemi descreveu, ou o barulho de chuva que você comentou, ou a espuma do leite nos lábios… tudo isso é de graça, ou quase de graça. Tentar preencher os dias com essas pequenas sensações é o que tem me dado muito prazer. Um beijo pra você.

      Curtir

  10. Yuka, meu prazer diário com “coisas” é proporcionado pelo kindle! Tenho há anos e carrego para todo lado. Sempre uma leiturinha a mão para desanuviar a cabeça. É tão bom quando nossas escolhas de consumo são pensadas naquilo que trás um benefício real para nossa vida e algo que realmente “nos trás alegria” para repetir o mantra da querida Marie Kondo,

    Curtir

    • Oi Adriana, ohhhh então você é das minhas! Também AMO meu kindle. Leio tanto que a capa do meu kindle já está ficando até mole rsrs. Eu sou a doida que lê 5 livros ao mesmo tempo. Quando estou com a cabeça fresca gosto de ler coisas mais difíceis, como investimentos, ou até mesmo livros em inglês. Quando estou mais paciente, leio livros sobre maternidade, tem dias que leio sobre receitas culinárias, sobre produtividade, hábitos, filosofia, história, psicologia, enfim, gosto de ler sobre tudo. Aliás, já li os livros da Marie Kondo também rsrs. Estou fazendo que nem ela, aos poucos, me livrando dos excessos que tenho em casa para me concentrar nas coisas que me traz alegria. Um beijo.

      Curtir

  11. Acabei de escrever sobre minha necessidade de viver mais intensamente os momentos, que sinto sempre estar de fora da vida. E aí essa sua postagem me veio como um abraço, um afago… tão simples, mas me emocionou. Você não vai acreditar se eu disser que escrevo isso com os olhos marejados. É que ler agora isso foi de uma sincronicidade com esse momento da minha vida… que vc nem sabe. Preciso muito enxergar e sentir e viver os pequenos momentos. Eu me sinto anestesiada o tempo todo. Eu quero só sentir. Obrigada!

    Curtir

    • Oi Priscila, eu já tive esse sensação que você descreveu. Eu parecia que não estava vivendo o presente, é como você disse, parecia estar anestesiada. No meu caso, o que me ajudou MUITO foi reduzir muito tudo o que estava ao meu redor. Desde roupa, maquiagens, sapatos, bolsas, itens da cozinha, decoração, até amigos eu reduzi. E com tudo muito reduzido, comecei a conseguir focar nessas poucas coisas que eu tinha. Se antes eu tinha 100 esmaltes, passei a ter 5 cores prediletas. Se antes tinha 30 calças jeans, passei a ter apenas 2 da qual gostava muito. Se antes eu tinha 500 “amigos” no facebook, passei a ter 5 amigos verdadeiros e presenciais. E assim, percebi que aos poucos estava começando a ficar rodeada de coisas e de pessoas que gostava e que queriam o meu bem. Comecei a conseguir prestar atenção no presente, focar nas poucas coisas que eram importante. A maioria das pessoas, não percebem que vivem anestesiadas. Você, da mesma forma que eu, já percebeu isso, e quer mudar. E acho isso um graaaande passo. Agora o próximo passo é ir devagar e não se cobre muito, mudanças requerem tempo mesmo. Um grande beijo.

      Curtir

  12. Oi Yuka, esse post me fez lembrar quando eu era solteira em que minha mãe, minha irmã e eu tomávamos chocolate quente antes de dormir. Preciso resgatar algo simples e marcante assim. Bjs e gosto muito do seu blog.

    Curtir

    • Pois é, e é incrível quando a gente percebe que são esses pequenos momentos que marcam a nossa vida. Meu marido sempre me conta que quando era criança, a mãe dele tinha o costume de fazer comida gostosa aos sábados. E 1 vez por mês abriam um pacote de doces. Tudo bem que faziam isso porque não tinha tanto dinheiro para comprar doces com mais frequência, mas isso marcou-o de tal forma que ele lembra sempre com um sorriso nos lábios. Tenho feito isso com as minhas filhas, toda sexta-feira é o dia da sexta-feira feliz. Voltamos da creche cantarolando pela rua “hoje é sexta-feira feliz” e compramos alguma bobeirinha na rua: uma pipoca, um salgadinho, um pão de queijo, milho… Espero que as minhas filhas lembrem disso quando crescerem rsrs. Beijos.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: