As 4 frases que tem mudado a minha vida

criticar

Há 4 frases que ao longo desses anos tem mudado a minha vida:

1. O que você está fazendo hoje para sair dessa situação?

A primeira frase eu cheguei até a fazer um post que está aqui.

2. Aqueles que não fazem nada estão sempre dispostos a criticar os que fazem algo (Oscar Wilde)

Essa frase tenho carregado comigo desde que compreendi o seu significado.

Antes, eu tinha muito medo das críticas. Tinha receio das pessoas me acharem boba, mas eu entendi que as pessoas que mais criticam, são justamente as pessoas que não fazem nada. É fácil criticar os outros quando se está sentado na cadeira apontando os outros.

Os homens dividem-se em dois grupos: os que seguem em frente e fazem alguma coisa, e os que vão atrás a criticar. Sêneca

3. Não sabendo que era impossível, ele foi lá e fez (Jean Cocteau)

Esta terceira frase serviu e ainda tem servido para várias situações da minha vida, inclusive para alcançar a independência financeira, ou FIRE – Financial Independence and Retire Early, algo como Alcance a independência financeira e aposente-se cedo.

Eu não conheço ninguém pessoalmente que tenha esse mesmo objetivo de vida que o meu, ou que tenha alcançado essa proeza. Mas é algo como a frase diz, por não saber que era impossível, eu tracei um plano, fiz todas as contas necessárias e projetei meu futuro. Só percebi que o que eu estava querendo alcançar era algo incomum quando estava muito empolgada e queria convencer as pessoas a fazer o mesmo e todo mundo me tratava como uma maluca.

4. Sorte é o nome que o vagabundo dá ao esforço que não faz (Leandro Karnal)

Esse aqui eu ouvi recentemente. Eu até publiquei um post em 2016 com o título “Cada escolha uma renúncia”, onde falo sobre esse assunto. Muita gente cisma em dizer que aquele cara empreendedor teve sorte, que aquele fulano teve sorte, e com isso menosprezam todo o esforço que a pessoa fez para chegar lá. É fácil dizer que uma pessoa teve sorte, quando não estamos dispostos a fazer o que a pessoa fez para ter sucesso. “Sorte é o nome que o vagabundo dá ao esforço que não faz”.

Veja se não acontece a mesma coisa com você? Quem são as pessoas que mais criticam? O que elas fazem de tão especial a ponto de criticar o que você faz? Na maioria das vezes…. Nada.

~ Yuka ~

Anúncios

16 comentários em “As 4 frases que tem mudado a minha vida

    • Oi Kátia! O wordpress enviou ontem de manhã e até eu levei um susto, já que na minha cabeça, estava agendado para segunda-feira que vem hahaha. Acontece. Beijos pra você.

      Curtir

  1. Olá, Yuka, como vai?

    Descobri recentemente seu site e devo dizer que, desde que comecei a buscar desacelerar mais, seu cantinho tem sido muito edificante! Sinto que seu espaço é perfeitamente o que o nome do site diz: sem pressa. O tempo até passa mais devagar quando sento para ler seus textos, haha.
    Há um ano, acho que não entenderia a clareza da sua postagem, leria, mas não conseguiria levar a mensagem comigo. Fico feliz, hoje, em entender a mensagem por trás delas e até em descobrir mais significados que elas podem trazer. “O que você está fazendo hoje para sair dessa situação?” e “Não sabendo que era impossível, ele foi lá e fez.” são as que mais me tocaram e que eu vejo caberem na minha atual fase. Que precioso poder descobrir essas coisas! Nunca achei que pudesse me encontrar no meio de tantos “tantos” que sempre nos empurram… Nossa, dá até um alívio!

    Adoro ler suas postagens, principalmente quando são textos de reflexão como esses. Tenho descoberto muitos novos pontos de vida que tem me ajudado a enxergar mais caminhos e ampliado minha compreensão dessa urgência toda que colocamos em nossas vidas. Novamente, muito obrigada. Acho que me alonguei aqui mais do que o necessário e um pouco fora da proposta da postagem, hehe, mas quis deixar aqui minhas impressões e gratidão por fazer das suas descobertas, portas para as nossas próprias.

    Que sua caminhada só cresça e que seus planos se concretizem como tem lutado para fazer acontecer! Muita paz e felicidade!!

    Curtir

    • Oi Natália, tudo bem? Fico muito feliz quando alguém escreve que encontrou meu blog por acaso, e que se encontrou aqui dentro. Porque quando alguém me encontra, eu também encontrei a pessoa, é como se fosse uma via de mão dupla, mais uma pessoa para alimentar o blog. Você descreveu bem o que eu tento escrever, há muitas mensagens ocultas, algumas verdades não ditas nos posts. São mensagens sutis, com o intuito de não invadir, nem ofender a condição atual das pessoas. Por exemplo, eu não assisto televisão. Mas isso não significa que sou uma pessoa melhor ou mais evoluída que outra pessoa. Eu já assisti muito, era noveleira, viciada em televisão. Aprendi aos poucos a migrar esse hábito lendo livros ou assistindo vídeos que faz com que eu seja uma pessoa melhor. A intenção não é apontar para os outros, e sim, me olhar no espelho para analisar de que forma posso evoluir como pessoa. Então quando você escreveu que conseguiu compreender as mensagens por trás do texto, fiquei muito feliz em saber disso. Essas duas frases que te impactou, tem impactado demais na minha vida. Outro dia li num livro em que falava o motivo de todas as crianças acharem que cantam bem. Sabe o motivo? Porque ninguém falou para elas que elas não cantam bem. Nós crescemos e perdemos essa segurança, a confiança que temos em nós mesmos. Descontruir o que me ensinaram tem sido um desafio enorme, mas a cada muro que eu derrubo, eu cresço e fico mais forte. Muito obrigada pelo comentário, comente sempre que puder. Vou adorar. Beijos.

      Curtir

  2. Olá, Yuka!
    Sempre leio suas postagens e nunca tinha tido coragem de comentar mas o teu texto de hoje me tocou quando li a terceira frase, pois sempre me identifiquei com ela (até a usei como epígrafe de um trabalho que elaborei)…gosto de chamá-la também de “a audácia do inocente” já que muitas vezes temos a coragem de fazer algo justamente por não saber todos os riscos que estão envolvidos em determinada coisa.
    Continue sempre com o blog…ele é muito importante…

    Curtir

    • Oi Odiluza, obrigada pelo seu primeiro comentário. Comente sempre que puder, eu sempre respondo, viu? Também adoro a terceira frase… e percebo que muitas vezes, é até melhor a gente não saber de tudo, porque como você escreveu, a “audácia do inocente” permite que sejamos corajosos e persistente. A idade faz a gente amadurecer e entender que temos muito a melhorar como pessoa. Reconhecer que temos muito a melhorar, e que não precisamos comparar com o colega do lado, é uma grande revolução e evolução. Por isso eu sempre digo, que a luta diária é comigo mesma, gosto de comparar com a Yuka de 3 anos atrás, 10 anos atrás. Você não imaginaria como eu já mudei como pessoa. E espero continuar mudando, de preferência para melhor rsrsrs. Beijos pra você!!!

      Curtir

  3. Oi Yuka! Vou colocar essas frases em um mural e fazer delas meu mantra diário! Rs…
    Ainda me importo muito com o que os outros pensam, apesar de já ter evoluído bastante. Dizem que é coisa da idade (tenho 25). Ainda me pego justificando coisas para gente que nem importa, desistindo de planos porque aos olhos dos outros é quase impossível…
    Mas juro que estou tentando melhorar! Já não priorizo mais quem não se importa comigo e só relevo comentários de quem me importo. O problema é que muitas críticas vem da nossa própria família e machuca. Ainda preciso aprender a lidar com isso.

    Obrigada por sempre me inspirar! Beijos

    Curtir

    • Oi Tiemi, infelizmente, temos que evitar alguns comentários dos familiares também. Veja o meu caso, para a minha família, eu sempre fui feia e burra. Muitas vezes, os comentários negativos puxam a gente pra baixo e é justamente isso que temos que evitar. Beijos.

      Curtir

      • Nossa Yuka ainda bem que vc nao perde um so minuto acreditando no que sua familia diz pois eh uma das pessoas mais inteligentes que ja conheci! Estou sempre aqui lendo seus textos e os comentarios. Nao perco um! Fazem um bem para a alma! Beijo enorme para voce!!!!

        Curtir

  4. Oi Yuka,

    Sou servidora pública federal, mas nunca consegui me visualizar envelhecendo e me aposentando no serviço público. Ainda não descobri minha paixão, mas decidi estar preparada para quando a encontrar, então esse ano tracei como meta me dedicar aos estudos sobre finanças e comecei a ler sobre Fire.

    Quero atingir a minha independência financeira para que o trabalho se torne uma opção. Invisto há 04 anos em renda fixa, porém nunca tive um objetivo especifico, apenas fui guardando o dinheiro que sobrava depois de pagar todas as contas (nunca fui de me encantar com bens materiais, então sempre ficava com saldo positivo), no entanto o que eu tenho investido, pelas contas que comecei a fazer e ainda não sei se estão certas, está longe do necessário para ser financeiramente livre.

    Tenho algumas perguntas para você rs.
    Como você traçou o seu plano para atingir o FIRE? Pensa em pedir exoneração do serviço público? Encontrou alguma outra atividade que te dê prazer, mas que também proporcione um retorno financeiro para ter como ocupação caso saia do serviço público?
    Quais dicas você daria para quem está iniciando?
    Você utilizou para o seu cálculo de independência financeira a Taxa Segura de Retirada?
    Comprei o livro Independência Financeira do Leandro Ávila e li alguns posts do blog Aposente aos 40.

    E uma última pergunta muito importante: como você tem trabalhado o emocional para não se desconectar do seu trabalho atual enquanto estuda e junta dinheiro para que não dependa mais dele?

    Pergunto isso porque têm duas semanas que acordo 04:45 da manhã para estudar sobre investimentos antes de ir trabalhar e eu estou realmente muito empolgada como os estudos e também por ter um propósito. No entanto quando vai chegando a hora que eu tenho que trabalhar bate um pesar, porque o que eu queria mesmo era continuar os meus estudos. Sempre fui muito dedicada ao meu serviço e sempre busquei me capacitar e me envolver com as atividades, mas me sinto cada vez mais distante. A minha vontade é de ser independente logo, e pelas contas faltam mais de 10 anos. Como lidar com esses sentimentos? Tento pensar o quanto o meu trabalho pode proporcionar de aprendizado, para além da remuneração que recebo. Penso nas relações com as pessoas, nos desafios diários, na tomada de decisão, no desenvolvimento e crescimento pessoal que as convivências e relações geram, mas não é fácil.

    Obrigada!

    Curtir

    • Oi Carol, tudo bem? Que legal que você começou a ler sobre o FIRE. Não sei se você é casada e tem filhos, no meu caso, tenho 2 filhas, então o valor para alcançar a minha independência financeira é extremamente alta, considerando que quero uma vida confortável para 4 pessoas.
      Já que você está investindo há 4 anos na renda fixa, vou te dar uma dica de ouro. Apesar de muito controverso essa teoria, a renda fixa não vai te deixar rica. A renda fixa nada mais é do que o seu dinheiro corrigido pela inflação. Veja bem, se a renda fixa fosse realmente boa, concorda que não teria sentido as pessoas abrirem empresas, arriscarem dinheiro, pagarem impostos? Não estou falando para você deixar de investir em renda fixa. Eu mesma tenho uma parte do meu patrimônio investido em renda fixa. Mas já que você está disposta a entrar no grupo dos FIRE, você precisa aprender a investir em ações. É difícil? Não, não é. Querem que pensem que é difícil. Você só precisa ir pelo caminho certo. Há muitos charlatões que misturam métodos de day trade com buy and hold, análise técnica com análise fundamentalista. E aí é o início do precipício, comprar na alta e vender na baixa. Você perguntou que dica daria para quem está começando. Pra mim, o fundamental é ir pelo caminho certo. Então se você quiser aprender a ser sócia de boas empresas através da bolsa de valores, eu recomendo unicamente o canal da Bastter. Eles possuem um canal no YouTube, e também um site da qual você pode aprender muitas coisas sem pagar nada.
      Vou recomendar outros livros pra ler para quem quer alcançar a independência financeira: Dinheiro e Vida (Vicki Robin), A Via Expressa dos Miionários (MJ de Marco) e Pai Rico, Pai Pobre (Robert Kiyosaki).
      A outra coisa que fez bastante diferença em diminuir o tempo para alcançar a FIRE foi aumentar o valor do aporte. Eu iniciei os aportes com 10% do meu salário. Conforme fui acostumando com os meus gastos, fui substituindo os gastos, alguns até eliminei, e hoje consigo aportar de 35 a 50% do salário.
      Respondendo a sua pergunta, eu utilizo o cálculo do TSR e pretendo sim, pedir exoneração do serviço público um dia. Eu gosto muito dessa área de finanças, tenho prazer em ler tudo que é relacionado a finanças e investimentos. Talvez eu trabalhe nessa área, talvez não. Gosto muito também de imóveis, principalmente os pequenos. Gosto de pensar em soluções para espaços reduzidos. Pra mim, eu quero ter o tempo livre para fazer do mundo o meu playground. Eu sempre achei um desperdício uma pessoa ficar trancada em um escritório pro resto da vida. Quero aprender diversas coisas, não quero me amarrar em um único trabalho.
      Quanto ao emocional, é complicado. Tem dias que não tenho vontade de trabalhar, mas sei que preciso do salário para alcançar a minha liberdade. O livro Dinheiro e Vida me acalmou um pouco quanto a isso. Eu descobri que não sou servidora pública. Eu estou servidora. É só uma fase temporária. Quando descobri isso, aprendi que eu podia trabalhar bem como funcionária pública e fazer ao mesmo tempo as coisas que sempre quis fazer, ser investidora. No mesmo ano que li o livro, eu comprei 2 apartamentos para investimento que já estão reformados e alugados. Foram um achado, com preços extremamente abaixo do mercado. As coisas começaram a deslanchar. Toda vez que vejo as pessoas desacreditando nas coisas que eu falo, ao invés de me desanimar, me dá mais ânimo, tenho mais fogo nos olhos para continuar, pois sei que estou certa. Sei disso porque eu já estou caminhando pela ponte que vai me levar ao FIRE. Continue dedicada ao seu serviço, isso é importante. Você não é servidora, você está servidora. É temporário. Sobre os 10 anos, não sei qual cálculo que você fez, mas se for pessimista como eu rsrs, talvez seja menos. Investir em ações pode acelerar alcançar a sua liberdade. E mesmo que sejam 10 anos para a sua liberdade, o fato de não precisar trabalhar até os 70 anos, esperando por uma aposentadoria pífia, já é uma grande coisa. Dez anos passam muito rápido. Um beijo pra você.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: