Quanto tempo você gasta vivendo a vida dos outros?

tempo

Sejamos sinceros.

Quanto tempo você gasta diariamente vivendo a vida dos outros?

Vivemos a vida dos outros quando navegamos pelo Facebook por horas, sentindo aquela pontinha de inveja inconfessável de como a vida dos outros parece ser mais interessante que a nossa. Quando olhamos as fotos de pessoas perfeitas no Instagram, e também quando criamos diversos álbuns no Pinterest jurando de pés juntos que um dia iremos fazer tudo aquilo.

Ou quando nos inscrevemos e acompanhamos YouTubers que não nos acrescentam tanto como pessoa. Quando assistimos televisão só por assistir. Quando ouvimos aquela sua colega, que nem é sua amiga, lamentando de como a vida dela é triste, infeliz…

Quando a gente faz essas coisas, a vida passa pela tela do celular, pela televisão, pela tela do computador, escorre pelo dedo das nossas mãos…

Agora vou mudar a pergunta:

Quanto tempo da vida você gasta para você?

Os dias estão corridos, eu sei, mas se pararmos para pensar, quanto tempo do dia focamos nas coisas mais importantes da vida? Quantos minutos do dia tiramos para ler os livros favoritos?

Trabalhamos. Limpamos a casa. Fazemos compras no mercado. Ficamos presos no trânsito. Preparamos o jantar. Dormimos pouco… mas não temos tempo para o que é mais importante.

Precisamos pensar o que temos colocado como nossa prioridade.

Precisamos pensar de que forma estamos alimentando a nossa mente, corpo e alma.

Ao invés de olhar o que os outros tem feito de interessante, precisamos prender a atenção em nós mesmos.

Gaste mais tempo com o que é importante: você.

~ Yuka ~

Anúncios

23 comentários em “Quanto tempo você gasta vivendo a vida dos outros?

  1. Eu não sei como Ainda mantenho Facebook se não consigo passar mais de 5 minutos naquele negócio, mas ao mesmo tempo tenho receio de sair e perder o contato com algumas pessoas, loucura, eu sei! Me desinscrevi de vários canais no YouTube que não me serviam de nada e me esforço para não perder tempo falando da vida dos outros, nunca fui fofoqueira mas é incrível como naturalmente somos levados a falar da vida alheia. Não perder tempo com a vida dos outros é um dos caminhos para nossa evolução moral, aprendi isso na doutrina espírita e nos estudos de yoga, acredito que outras religiões e doutrinas devam ensinar isso tb, pena que é tão pouco praticado né? Obrigada por mais um ótimo post para começar bem o domingo! 🙂 bjosss

    Curtir

    • Oi Maria, realmente, não falar dos outros é um exercício que devemos praticar sempre. Na verdade o que eu tenho percebido é que quando estamos ocupados com a nossa vida, fazendo coisas interessantes, sobra pouco tempo para falar dos outros. Então o que eu tenho feito é tentar me ocupar das coisas que gosto. Beijos.

      Curtir

  2. Difícil essa. Vai o dia todo dedicado ao trabalho e quando chega em casa é arrumar as coisas para o dia seguinte, sobra uma ou duas horas para fazer algo antes dormir. Nos finais de semana é limpando casa, lavando roupa, e deixando as coisas em ordem para a semana seguinte. Parece que vivemos para apenas uma coisa: trabalhar.

    Curtir

    • Oi Sun, também tenho essa sensação de que trabalhamos demais e que resta pouco tempo para o que realimente importa. Acho isso tão errado, tão cansativo, mas sempre tento não esquecer pra que não vire normal. Trabalhar demais e não ter tempo para a família, não pode ser considerado normal. Bom, pelo menos para mim rs. Beijos.

      Curtir

  3. Assunto muito interessante nos dias atuais, Yuka. É muito mais fácil cuidar da vida dos outros do que da própria, isso acontece provavelmente porque é mais cômodo apontar defeitos nos outros e não em nós mesmos. A famosa inveja contribui bastante para que o “cuidar da vida do outro” aconteça, e infelizmente, a maioria das pessoas apenas se dá conta quando já passou o nosso bem mais precioso: o tempo!
    Boa semana!

    Curtir

    • É isso mesmo Fernanda, hoje sei que as pessoas que mais criticam as outras, mais apontam o dedo, mais reclamam, são justamente as que não fazem nada. Uma boa semana pra você também.

      Curtir

  4. Olá, tudo bom? Já vi um post seu sobre os sapatos que tem, sobre a make, sobre perfume… mas estou curiosíssima para saber como é seu guarda ROUPAS! Sou muito sem noção e não consigo ter um guarda roupa conciso e muito menos coeso. Procurei pelo blog e não encontrei.
    Pode fazer um post assim?
    Obrigada ❤

    Curtir

      • Olá!
        Pois é, eu vi esse post e foi bem útil, me deu uma norteada (mas por algum motivo eu tinha passado reto pelo item “peças coringa” hahah… essa parte ajudou mais ainda!)
        Acho que sou meio disléxica, é difícil para mim, com base apenas no conceito, definir sozinha as peças principais. Tanto é que tenho várias roupas para a noite, porém pouco saio a noite… haha. E, como não gosto muito de cores e estampas, pareço sempre vestida com a mesma roupa… Mas já estou aplicando não repetir as cores nos sapatos..

        Enfim, desculpe pelo post prolixo (preciso aprender a ser minimalista em todas os aspectos hehe) e quero te agradecer por esse blog precioso!! Qdo comentei não havia lido tantos posts, só os que mais me interessavam diretamente naquele momento, os mais práticos.
        Ontem, contrariando seus próprios “conselhos” (se é que posso chamar assim), fiquei horas lendo o blog desde o primeiro post e, poxa, me acrescentou muito!!!! Percebi até que minha depressão tem muito a ver com o tanto que eu abarroto minha mente e vida de coisas que nao têm a menor importância.
        Obrigada pelo blog!!

        Curtir

        • Oi Larissa, fico feliz que tenha lido desde o primeiro post, minimalismo é isso mesmo, é ao invés de seguir 200 blogs, seguir somente alguns que realmente são valiosos para você. Eu tenho feito isso com os blogs, com amigos, com roupas, com escolhas, com tudo o que me rodeia. E a cada ano que passa, minha vida vai ficando mais leve. É difícil explicar essa sensação, mas tudo originou pelo minimalismo, descobrindo o que era essencial para mim, e eliminando o resto. O minimalismo faz a gente ter consciência de fazer melhores escolhas. A longo prazo, traz um benefício maravilhoso para a nossa vida. Um beijo pra você.

          Curtir

  5. Sabe quando você esta meio desanimada? haha então estava assim comparando minha vida com a dos outros meu salario enfim, amo entrar no seu blog e encontrar conteúdo novo principalmente quando tem a ver com a situação que estou passando e realmente como você já disse aqui se você ficar se lamentando e comparando sua vida com a dos outros nunca vai sair do lugar, amei o post

    Curtir

    • Oi Talita, e a melhor forma de não comparar com os outros é não entrando nas redes sociais. Uma amiga que mora no interior me disse que um vizinho que parecia ser muito feliz, postava várias fotos com a esposa, se jogou do prédio que ela morava por causa de dívidas… lembra o caso recente do feminicídio da advogada que foi morta pelo marido? Pareciam super felizes nas fotos divulgadas pela mídia né? Ou seja, a gente nunca vai saber se aquilo que estamos olhando nas redes sociais é verdade ou uma ilusão. Então é muito melhor a gente se concentrar na nossa vida e tentar ser uma pessoa melhor. Sabe o que é legal fazer e que eu costumo fazer bastante? Comparar comigo mesma. A Yuka de 1 ano atrás. A Yuka de 5 anos atrás. A minha situação financeira do ano passado e agora. E assim em diante. Isso sim é legal de se fazer 😊 Beijos.

      Curtir

  6. Uso o instragram porque adoro seguir alguns perfis com dicas pra casa e outros com mensagens bonitas, ainda não consegui desapegar… desapeguei do facebook e não me fez falta nenhuma. Estava nessa de me comparar frequentemente, mas de tanto ler aqui, quando começo as comparações penso no tanto que já conquistei em relação a anos anteriores e corto logo o pensamento. Pra mim tem sido mais benéfico no momento encarar esses sentimentos, entender o porquê deles e confrontá-los, do que simplesmente desativar a conta e evitar ver para não sentir.
    Cada vez mais entendo que aquilo que vejo não é totalmente a realidade, por este motivo parei de seguir as pessoas que não me identifico ou que não tenho a menor aproximação fora das telas. Mas ainda pretendo sair dessa rede e manter apenas o watssap. Beijos Yuka! Aprendo muito aqui nesse espaço!

    Curtir

    • Oi Camila, sabendo reconhecer os sentimentos, não vejo mal nenhum em acompanhar as redes sociais, desde que com moderação rs. Eu saí porque conseguia enxergar além do que eu gostaria. Sabia que aquela foto de casal apaixonado com declarações de amor era falsa, porque a própria pessoa vinha reclamar pra mim que o relacionamento não estava legal. Ou quando lia declarações de pesar de pessoas que haviam falecido, mas eu sabia que no momento mais importante, a pessoa não estava lá. Então isso foi me aborrecendo, e eu não queria mais ter esse tipo de sentimento de julgar as pessoas, que era o que eu estava fazendo. Sair foi muito bom, me deixou mais leve. Muitas vezes, não saber de certas coisas, é o melhor que a gente pode fazer para viver de forma leve. Beijos pra você!!!

      Curtir

  7. A cada dia vivo menos a vida dos outros e mais a minha própria. 😀Meu único vício é o youtube. Acho até que troquei um vício pelo outro que era a tv. Pelo menos eu escolho o que vejo e na hora que quero. Adorei o texto. Bjos

    Curtir

    • Haha, também tenho assistido bastante YouTube. Eu gosto de ao longo do dia, ir salvando para assistir depois os vídeos interessantes que vão aparecendo (por eu estar inscrita). E aí assisto (ouço rs) quando estou lavando louça, me maquiando, fazendo o jantar, ou coisas assim. Tem sido bem produtivo 🙂

      Curtir

  8. Eu fui uma adolescente muito ligada nas redes sociais,e cresci buscando aceitação nesses lugares.
    Nem sem medir quantos danos tive porque do meu vício as redes sociais.
    Daí há 3 anos atrás conheci a filosofia de vida minimalista e fui aderindo o questionamento: ” Isso me faz feliz?” “Eu preciso mesmo disso/ou dessa companhia?”
    Foi assim que comecei a me conhecer de verdade,e perceber que eu não queria mais viver para agradar os outros,ou para ser admirada por pessoas que mal me conhecia.
    Aconteceu aos poucos,e foi genuíno.
    Atualmente,Não tenho rede social alguma e meu smartphone quebrou semana passada. Rs’
    Me sinto feliz e satisfeita com minha vida como nunca fui antes,e sei que 90% disto,veio porque eu não fico mais olhando as fotos e stories que eu via no instagram.
    Hoje quando penso no modo como vivo,tenho a consciência de que estou construindo o estilo de vida que quero.
    Pois meu relacionamento com meus pais,avó,irmãos,e namorado melhorou desde que comecei a tentar viver de maneira mais leve.
    Ainda tenho a aprender,mas já é maravilhoso dizer que já estou fazendo o “meu caminho de volta” para o meu essencial.

    Um beijo Yuka.
    Obrigada por sempre somar. 🙂

    Curtir

    • Oi Leide. O minimalismo, vamos dizer, é uma ferramenta muito poderosa para o autoconhecimento. Quando passamos a nos conhecer melhor, passamos a não importar mais tanto com a opinião de terceiros. Quando a gente não se conhece tão bem, tentamos agradar as pessoas, mentir para nós mesmas, tentar se encaixar em algum grupo. O minimalismo tem um poder incrível de avaliar o que é essencial na nossa vida (e aí cada um tem que avaliar o que é essencial) e eliminar as coisas que não são importantes. Viver de uma forma leve é possível sim, parabéns pela sua jornada. Beijos.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: