O ato de fazer “regifting”

regifting

Durante muitos anos eu costumava usar roupas que não combinavam, bolsas que não gostava, sapatos que machucavam, decorações em casa que não ornavam, simplesmente por um único motivo: porque havia ganhado de presente.

Depois do minimalismo, o sentimento de não querer conviver com aquilo que não traz significado para mim aumentou. E passei a não ter dor na consciência em descartar ou passar adiante itens que não tinham nada a ver comigo.

Eu deixei de usar roupas desconfortáveis, sapatos apertados, shampoos e sabonetes de hotéis, amostras grátis, brindes etc.

E parei de ficar sem graça em repassar presentes que ganho para outras pessoas. Eu agradeço muito, de coração, presentes que recebo. Mas já não me sinto mal de repassar o presente para outra pessoa.

Meu marido falou que há um episódio no seriado Seinfeld que fala justamente sobre essa prática: o regifting.

Quando conheço a loja, até faço a troca por uma coisa que estou precisando. Quando não dá para trocar, repasso para alguém que está precisando.

E desde então, fazer regifit se tornou uma prática comum aqui em casa.

~ Yuka ~

Anúncios

16 comentários em “O ato de fazer “regifting”

  1. Nossa Yuka! Eu também tinha maior dificuldade em repassar presentes. Mas depois que li o livro da Marie Kondo, passei a ser grata pelo ato da pessoa, a intenção… e não pelo presente/objeto. Antes eu tinha dó até de trocar. Mas acho pior guardar algo que vc nunca irá usar. Adorei o post, como sempre! Vc é luz! Beijinhos

    Curtir

  2. Olá, Yuka! Maravilha! Isso mesmo, temos que repassar o que não gostamos, afinal o que não nos serve, pode servir para outro. É claro que existe aquele sentimento de que não devemos nos desfazer de objetos que ganhamos de presente, por que foi dado com carinho…
    Eu acho complicado doar livros com dedicatórias. Eu tenho alguns assim. O que você faz nesses casos?

    Curtir

    • Oi Silvia, eu ganhei muita coisa quando minha segunda filha nasceu, coisas que eu já sabia que não iria utilizar. Dar de presente, o presente que eu havia recebido para outras pessoas que precisavam foi muito bom, melhor do que ficar encalhado aqui em casa. Sobre livros com dedicatória, se não há grandes sentimentos, eu passaria um branquinho no nome e passaria para frente. Beijos.

      Curtir

  3. Olá Yuka!! Eu nunca tive problemas com coisas que ganhei de presente. Se não gostava e não dava para trocar, passava pra frente mesmo, sem dó. Fico agradecida pelo fato da pessoa ter se lembrado de mim e ter tido a boa vontade de me presentear. Acho Isso mais importante que o presente em si. Só não sabia que essa prática se chamava regifting! Abraços!!

    Curtir

    • Oi Camila, eu também não sabia, mas achei interessantíssimo! Há muitas coisas que eu ganho e repasso para outras pessoas, ainda no próprio embrulho. Mas só consegui fazer isso depois que passei a entender que eu não precisava de tudo. Beijos.

      Curtir

  4. Olá Yuka!
    Antes do minimalismo sempre tive pena de dar algo que ganhava, entulhava no armário mesmo que não gostasse do presente, hoje não tenho a menor dó de dar, penso que outra pessoa aproveitará melhor do que eu. Curiosamente o minimalismo me fez me conhecer mais e consequentemente aprender a comprar presentes até para outras pessoas, antigamente comprava o que me agradava, cansei de dar presentes à minha irmã que ela nunca usou e hoje penso naquilo que a pessoa gostaria de ganhar e que realmente ela vai usar/aproveitar.

    Curtir

    • Oi Camila, minha mãe fala a mesma coisa que você, que o melhor presente não é comprar o que te agrada, e sim, comprar o que a outra pessoa está mais precisando. Esse sim, é um presente! Beijos.

      Curtir

  5. Olá Yuka, este post me fez lembrar do livro da Marie Kondo, ela diz algo como “que o presente já fez sua função quando vc recebeu”, já te deixou feliz no momento que a pessoa te entregou/lembrou de vc, então se vc não gostou realmente não faz sentido ficar guardando.. Para mim era dificil, agora esta mais facil rsrs, se for algo sem função alguma eu apenas tiro uma foto para lembrar, mas jogo fora sem dó rsrs
    Bj
    boa semana!

    Curtir

    • Oi Dyhessyca, também tiro foto pra me recordar das coisas boas rs. Mas não manter as coisas que não estou precisando, e ainda dar para outra pessoa o presente (ainda novo), é muito bom. Beijos e boa semana para você.

      Curtir

  6. Muito legal esse seu post!! Minha mãe é a pessoa que mais me dá presentes só que ela fica chateada quando não uso…somente agora aos 35 anos que to tentando aos poucos falar pra ela que não precisa me dar nada que prefiro que ela invista nela ao invés de gastar dinheiro comigo e com os outros ( e muitas vezes em coisas que não vamos usar) E se for me dar algo, tento indicar o que estou precisando…Mas ainda é bem complicado pois sei que ela fica sentida e a ultima coisa que quero é magoa-la…

    Curtido por 1 pessoa

  7. Muito legal esse seu post!! Minha mãe é a pessoa que mais me dá presentes só que ela fica chateada quando não uso…somente agora aos 35 anos que to tentando aos poucos falar pra ela que não precisa me dar nada que prefiro que ela invista nela ao invés de gastar dinheiro comigo e com os outros ( e muitas vezes em coisas que não vamos usar) E se for me dar algo, tento indicar o que estou precisando…Mas ainda é bem complicado pois sei que ela fica sentida e a ultima coisa que quero é magoa-la…

    Curtir

    • Oi Carla, se você conseguir, dê uma lida no livro “As 5 linguagens do amor”, ele está disponível online no site do Le Livros. A linguagem do amor da sua mãe é comprar presentes. É desta forma que sua mãe demonstra amor por você. Ler esse livro me fez abrir minha cabeça, e o legal é que há outras 4 linguagens do amor. Falar a mesma linguagem que a pessoa é a melhor forma de demonstrar amor. Acho que você está no caminho certo, de mostrar o que está precisando para ela, assim, ela fica feliz por você usar o presente dela, e você fica feliz porque ganha o que estava precisando. Beijos.

      Curtir

  8. Tenho mania de doar tudo! Sempre quando algo some aqui em casa, a culpa sobra para mim rs… mesmo que nem tenha sido eu, afinal jamais mexeria em algo dos outros!!! Quanto menos coisa, menos preocupação, menos bagunça! Admiro esse tal de minimalismo!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: