Como trazer o seu futuro para o presente

Eu sei que a maioria das pessoas, não foram encorajadas a pensar no futuro, muito menos incentivadas a fazer planejamentos. Somos imediatistas.

Apesar de saber que é difícil pensar em algo que nem aconteceu, e ainda por cima fazer um planejamento a longo prazo, eu tenho um truque que funciona bem.

Eu penso em mim velhinha…. com os meus 80, 90 anos de idade… e fico pensando que tipo de vida eu teria na minha terceira idade.

Quando contemplo o eu do futuro, vejo eu e meu marido cheio de rugas e cabelos brancos, felizes e saudáveis. Nossas filhas já são adultas e responsáveis, que me enchem de orgulho. Moro num apartamento confortável, do tamanho certo, nem grande, nem pequeno demais. Tenho tranquilidade financeira, que proporciona uma vida de muito conforto, o que permite fazer excelentes viagens na companhia dos meus bons e velhos amigos. Gosto muito de cuidar dos netos no meu tempo livre.

Ao ler o parágrafo acima, eu separo as frases em tópicos para facilitar:

“Vejo eu e meu marido…”

Ou seja, estarei com o meu marido. Para continuar feliz no meu casamento até os meus 90 anos, é preciso continuar cuidando do outro, conversar bastante, alinhar os interesses, tornar o casamento uma prioridade.

“… felizes e saudáveis”

Tudo bem que estou comendo de forma mais saudável, mas pratico algum exercício físico? Não. Então é algo que preciso pensar a respeito para tornar o meu corpo mais resistente.

“Nossas filhas já são adultas e responsáveis, que me enchem de orgulho”

Para que isso seja possível, não quero ter preguiça, quero continuar levando as crianças para brincar na rua, ler bastante livros, dar bastante atenção e amor.

” Moro num apartamento confortável”

Por essa frase já deu pra perceber que não faço questão de ter um imóvel próprio, desde que eu o transforme em um lar.

“Tenho tranquilidade financeira”

Já estamos no caminho certo para que isso se torne realidade.

“…permite fazer excelentes viagens”

No final do ano passado, voltei a estudar inglês, já que perdi a fluência. Vai ser bem útil nas minhas viagens internacionais.

“…na companhia dos meus bons e velhos amigos”

Taí uma coisa que eu quero melhorar. Apesar de ter os meus bons e velhos amigos de sempre, quero fazer novas amizades.

“Gosto muito de cuidar dos netos no meu tempo livre”

Para cuidar de netos, preciso ter disposição física. Mais uma vez, a necessidade de cuidar do meu corpo.

* * *

A partir destas constatações, elaborar metas se torna uma tarefa um pouco mais fácil. Cada item se transformará em uma meta (não do ano, mas meta da vida) que engloba as seguintes áreas da vida: casamento, saúde física e mental, filhos, estudar coisas novas, tranquilidade financeira, hobbies e relacionamentos.

É desta forma que trago o meu futuro para o presente.

Se eu quer manter o meu casamento feliz, o que eu tenho feito hoje para que isso se perpetue?

Se eu quero ter saúde na velhice, tanto mental como física, o que eu tenho feito?

Se quero ter filhas conscientes, educadas e bem criadas, o que tenho feito para que isso aconteça?

Se quero aposentar mais cedo, o que tenho feito para que isso seja possível?

Vai se surpreender como muitas vezes a resposta é um “Preciso melhorar” ou até mesmo um “Não estou fazendo nada”.

Vocês viram o meu caso em relação a saúde. Quero envelhecer com saúde, mas não tenho feito nada para que isso se torne realidade (já estou providenciando).

Se você quer criar o seu futuro, o segredo é pegar um grãozinho de areia hoje para criar seu castelo de amanhã.

~ Yuka ~

19 Comments on “Como trazer o seu futuro para o presente”

    • Oi Engenheiro, eu sinto que tá difícil encontrar pessoas que queiram se relacionar de verdade. É sempre um “vamos marcar um dia”, “vamos combinar”, e aí quando a gente vê, o ano passou. Por isso tento buscar pessoas que queiram se relacionar, que queiram compartilhar, ouvir… mas não tá fácil não. Beijo.

      Curtir

  1. Com certeza Yuka,

    Pensar em futuro na sociedade brasileira é um pecado. As pessoas não percebem que é justamente esse comportamento carpe diem que traz os frutos podres para as suas vidas. Vive-se intensamente hoje, para ser um morto em vida amanhã. É só perceber o quanto a depressão atinge não só jovens, quanto pessoas de meia de idade e idosos, muitas vezes provocadas por escolhas erradas e infundadas no passado.

    Abraços,

    ofuturorico.blogspot.com

    Curtir

    • Oi Futuro Rico, tudo bem? Verdade, há muitas pessoas de meia idade que eu mesma conheço, que já sentem na pele as decisões que tomaram a vida inteira. Aí quando olham para trás, se arrependem do que fizeram, ou melhor, do que não fizeram.

      Curtir

  2. Que linda reflexão Yuka.
    As pessoas atualmente são imediatistas ao ponto de nem cogitarem fazer um plano de longo prazo, imagina só pensar que um casamento pode durar 50 anos?
    Em qualquer plano de longo prazo é preciso rever sempre as atitudes. Isso vale para a independencia financeira e também para o casamento. Conversar, cuidar e tentar entender as mudanças que virão com o tempo é primordial.

    Abcs.

    Curtir

    • É verdade FFF. Quando estava para postar o texto, eu perguntei para o meu marido como ele se imaginava velhinho e ele respondeu “eu nunca pensei nisso” kkkk. A independência financeira só vale a pena quando temos pessoas que amamos ao nosso lado. De nada adianta termos dinheiro e não termos o amor do cônjuge, a admiração dos filhos, o respeito dos pais, a amizade dos amigos. A vida definitivamente é feita de relacionamentos e é nessa base que devemos construir a nossa felicidade. Um grande beijo. Feliz 2020!!!

      Curtir

  3. Oi Yuka, eu gosto desse pensamento também. Faço isso. Penso em mim velinho com uma companheira, saudável e na beira da praia. E sigo os passos para que isso se torne realidade. Ótima reflexão!

    Curtir

  4. A TRISTE GERAÇÃO QUE SE ESTRESSA E SE FRUSTRA POR TUDO.

    Andam de carro, uber, táxi… Não lavam suas cuecas, nem suas calcinhas. Não buscam conhecimento. Nem espiritualidade. Não se encantam com decorações natalinas, nem com um ipê florido no meio da avenida. Reivindicam direitos de expressão e não oferecem nada em troca. Nenhuma atitude.
    Consideram-se vítima dos pais. Julgam. Juízes duros, impiedosos que condenam tudo e todos. Choram pelo cachorro maltratado e desejam que o homem seja esquartejado. Compaixão duvidosa. Amorosidade mínima. “Preciso disso; Tem que ser aquilo” E haja insatisfação, infelicidade, descontentamento, adoecimento, depressão, suicídio… Geração estragada. Inconformada. Presa em suas desculpas. Acomodada em suas gaiolas de ouro. Postam sorrisos, praias paradisíacas, mas não se banham no mar curador. Limpam o lixo na praia com os amigos e não arrumam a própria cama. Em casa estampam tristeza, sofrimento, dor… a dor de ter que crescer sem fazer por onde merecer.”

    (Dr. Augusto Cury)

    Curtir

  5. Difícil viver nesses tempos. Minhas conhecidas (para não dizer amigas, porque para fazer jus a esse título precisa merecer) né prometem café há um ano, desde que a pós terminou.

    Antes meu pai me culpava por não ter amigos (sempre fui bem tímida). Agora entendi que mesmo tendo defeitos (como qualquer ser humano), como alguém pode se relacionar se as outras pessoas não querem/não fazem o mínimo de esforço?

    Natal é a coisa mais bizarra para mim. As pessoas não se importam com você e do nada, todo mundo se ama e quer ajudar os pobres. Os parentes que nunca te ligam (e só aparecem quando querem te aborrecer ou arrancar dinheiro) se enfiam na sua casa.

    Acho que sou como seu marido, Yuka. Nunca pensei nisso (acho que me sinto impotente diante da realidade atual). Mas algumas coisas comecei a mudar (estou fazendo Pilates, por motivos de saúde.

    Curtir

    • Oi Carol, pois é, esse lance do café há 1 ano é triste, né? Tem horas em que a gente desiste, para de insistir, de pedir. E aí acontece isso que você falou, no Natal, todos ressurgem desejando feliz Natal. Eu ainda tenho as minhas amigas de que amo de paixão, algumas moram aqui na minha cidade, outras, em cidades do interior e até mesmo no exterior da qual mantenho contato, mas quero aumentar a quantidade de amigos que moram na mesma cidade. Pra mim é importante frequentar a casa, passear juntos, encontrar, tomar café, bater um papo ao vivo. É difícil encontrar pessoas que estejam dispostas a “perder tempo” com você. Pilates é maravilhoso, fiz por algum tempo, parei quando engravidei, depois nunca mais voltei. Agora estou me inscrevendo para fazer natação, acho que vou gostar bastante. Beijos.

      Curtir

  6. Yu, Feliz 2020! Posso dizer com toda certeza que amadureci muito por sua causa. Te acompanho desde o comecinho, quando também estava querendo me propor uma nova abordagem sobre a vida. Poderíamos fazer um encontro dos seguidores do VSP, em algum parque, hein!? Adoraria que teu blog se transformasse em um abraço real 🙂

    Curtir

    • Oi Mariana, feliz 2020 pra você também!!! Sobre o encontro, morro de vergonha rsrsrs. Acho que eu faria ótimos amigos aqui com o pessoal do blog, mas não dou conta de fazer um encontro dos seguidores, teria que ser algo mais do tipo… um por um kkkk. Beijos pra você.

      Curtir

  7. Olá Yuka!

    A técnica da visualização é, de fato, muito poderosa! Ela está embutida em vários textos sobre PNL (programação neuro linguística) e ajuda de fato a mudar nossos comportamentos visando mudanças e ajustes de rotas no presente.

    Só terá a ganhar em continuar mantendo o seu “truque” continuamente ativo! 🙂

    Um excelente ano para você!

    André

    Curtir

    • Oi André, PNL é algo que ainda quero estudar um pouco mais a fundo, talvez para o ano que vem. Esse ano quero focar em estudar investimentos no exterior e sobre planejamento sucessório e tributário. Um excelente ano para você também!!! Beijos.

      Curtir

  8. Caramba, Yuka! Eu tento entrar no seu blog a cada duas semanas e parece que sempre lê meus pensamentos! Estou na minha terra com meus gêmeos, aproveitando à família mas pensando em tudo o que tem que mudar para ter uma vida que eu goste: desde as dívidas que nos afundam até o relacionamento que eu quero com meus fllhos. E, acredite ou não, é essa pergunta que venho me fazendo cada vez que penso no que eu quero do nosso futuro: o que tenho feito para que isso aconteça? (em espanhol, claro!). E é assustador quantas vezes vc se responde “nada” ou “pouco”. É um exercício e tanto se enfrentar com a (grande) parte de responsabilidade que vc tem com a sua vida e seu futuro. Um abraço e ótimo 2020!

    Curtir

    • Olá Bhuvana, tudo bem? Essa pergunta é matadora mesmo “o que estamos fazendo para sair desta situação?”, porque coloca a responsabilidade nas nossas mãos. Eu mesma, tento rever a minha vida, o meu posicionamento, as minhas atitudes a todo momento. Fico pensando e avaliando se estou dando atenção suficiente para as minhas filhas, se estou sendo uma boa mãe, uma boa esposa, uma boa filha, uma boa amiga. Essa auto-avaliação é importante porque é o que nos faz melhorar como pessoa, né? Um feliz 2020 para você e para a sua família. Um grande beijo e aproveite a sua família.

      Curtir

  9. Pingback: Sobre viver sem pressa – Meu Diário Au Pair

Deixe uma resposta para Yuka Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: