Eles não querem que você enriqueça

capitalismo selvagem

Há algumas semanas, assisti a um vídeo do GuiaInvest com esse título: Eles não querem que você enriqueça.

Assisti despretensiosamente, mas me surpreendi com o vídeo e resolvi transcrever para deixar registrado aqui no blog (fiz pequenas alterações para a leitura ficar mais fluida).

——–

Eles não querem que você enriqueça

Você já teve a sensação de que por mais esforço que você faça, não consegue ganhar dinheiro suficiente? Isso acontece por causa da forma como o sistema funciona.

Você pode ter o melhor salário do mundo, receber uma gorda herança, ganhar na mega-sena! Mas se não souber como administrar e proteger o seu dinheiro, vai perder tudo!

O sistema é desenhado para que as empresas e as pessoas precisem o tempo todo de dinheiro e não parem nunca de produzir. Por isso o consumismo, a cobrança social e a ostentação são muito incentivados. Isso obriga as pessoas a correrem cada vez mais atrás do dinheiro para poder consumir e se sentirem protegidas financeiramente.

Então toda vez que você trabalha e consegue juntar um dinheiro, logo vem um lançamento de um telefone novo, um carro novo, uma roupa nova, para levar justamente o que você juntou.

A intenção é bem clara: tentar te convencer a gastar todo o seu dinheiro a qualquer custo. Essa é a grande verdade, é assim que o sistema sobrevive.

Eu não estou julgando se isso é bom ou ruim para a sociedade. Estou apenas dizendo que isso pode ser ruim para você. As próprias crises servem para limpar a sociedade de empresas e pessoas fracas financeiramente. Muitas pessoas acabam ficando presas nessa roda pelo resto da vida por não ter o conhecimento sobre o dinheiro.

Todos os problemas são orquestrados por alguns membros da sociedade que não querem que você tenha dinheiro de jeito nenhum, porque quanto menos dinheiro você tiver, mais terá que obedecer aquilo que eles desejam.

Hoje você vai entender quem eles são, como eles te impedem de enriquecer, como combate-los para poder alcançar a sua liberdade financeira.

Primeiramente, vou falar sobre os bancos. Alguns bancos criam complexos esquemas para arrancar o seu dinheiro, evidentemente sem que você perceba. A intenção dos bancos é fazê-lo endividar para mantê-lo como escravo, fazendo seu dinheiro suado ir para o bolso deles todos os meses através de juros e taxas. Por isso eles odeiam que você pague as contas em dia, ou que você tenha dinheiro sobrando, ou que você se recuse a ter um cartão de crédito. Basta ter um dinheiro na conta e eles farão de tudo para colocar a mão, oferecendo todos os tipos de armadilhas. Portanto, fazer o oposto do que eles querem é a melhor atitude para quem deseja enriquecer. Jamais dependa dos bancos, assim, você não se tornará escravo deles.

Agora eu vou falar sobre alguns membros da elite.

Você já deve ter ouvido falar que menos de 0,1% dos brasileiros possuem mais de 1 milhão de reais. Existe um erro muito comum na nossa sociedade que é denegrir todos os ricos como se eles fossem algo ruim. Muitas dessas pessoas conquistaram suas riquezas por mérito próprio, poupando e combatendo o consumismo exagerado. Porém, uma outra parte conquistou a riqueza se aproveitando das pessoas menos favorecidas, como eu e você, seja por corrupção, seja por formas ilícitas, por crimes, fraudes, etc. Eu não estou falando só de políticos. Como todo dinheiro que eles ganham vem do bolso de alguém que gastou, esses membros não querem que outras pessoas enriqueçam, pois toda vez que alguém enriquece, eles perdem uma fatia do bolo do dinheiro e de poder. Portanto, enriquecer é uma forma de você combater as maçãs podres que se aproveitam do sistema.

Agora vou falar sobre a mídia. A mídia não é má por si só, mas quando usadas por indivíduos maus, pode ser uma ferramenta muito cruel. Esses membros usam sua influência de seu poder financeiro para impedir que as pessoas evoluam financeiramente. Eles fazem isso estimulando o consumismo exagerado e convencendo você a fazer o que eles querem através da televisão. Por exemplo, eles mudam a moda o tempo todo para que você sempre se sinta desatualizado. E não fazem isso só com roupas, mas também com celular, carro, viagens… Quanto mais desatualizado você se sentir, mais terá que correr atrás da roda do dinheiro para voltar a se sentir incluído pelo padrão da sociedade. Ignorar a mídia é o caminho para você se libertar das amarras, das exigências inúteis da sociedade.

Agora vamos falar sobre o governo. O governo deveria existir para facilitar a vida das pessoas da sociedade. Mas às vezes, ele mais atrapalha do que ajuda. A começar pelo conhecimento. O governo não quer que você aprenda como administrar seu dinheiro, pois quanto mais você souber rentabilizar seu dinheiro, menos você precisará trabalhar. E é por isso que a educação financeira não é ensinada na escola. Se as pessoas soubessem lidar com o dinheiro, nós nos tornaríamos um país rico e isso seria insuportável para aqueles membros da elite que dependem de escravos financeiros para sobreviver.

O governo usa diversos mecanismos para te impedir de acumular dinheiro. Um dos mecanismos é a inflação. A inflação é uma forma de corroer o poder de compra de seu dinheiro. É como um imposto escondido que você paga obrigatoriamente e nem percebe. Outro mecanismo é o próprio imposto. Toda vez que você consome algo, paga cerca de 30% sobre o preço. Ou seja, se você consumir menos e aprender a investir seu dinheiro para superar a inflação, o governo não conseguirá abocanhar a sua grana tão facilmente. O governo também usa a mídia para incentivar o consumismo exagerado, porque quanto mais as pessoas consomem, mais dinheiro ele arrecada com impostos.

É por isso que muitas coisas que parecem boas, são na verdade horríveis para a economia.

Vou dar alguns exemplos.

Os ciclistas são horríveis para a economia. Eles não compram carro, não compram gasolina, não gastam com mecânicos, não pagam seguro, não pagam estacionamento, não pagam IPVA, não trocam pneus, não pagam pedágios, ficam mais saudáveis, acabam indo menos a médicos, e portanto gastam menos remédios.

As comidas orgânicas são péssimas para a economia, porque quem as consome não fica tão doente, não assina plano de saúde, não gasta com remédios, não gasta com consultas em hospitais, não gasta com exames…

E o mais importante, quem poupa e investe também é péssimo para a economia. Quem poupa não gasta dinheiro, não incentiva o consumismo em outras pessoas, não trabalha pelo resto da vida, não sustenta bancos pagando juros e taxas, não sustenta o governo pagando excessivos impostos, não sustenta as maçãs podres da elite, não rende dinheiro para a mídia. Mas o pior de tudo é que quem poupa e investe fica livre financeiramente, podendo realizar o que quiser, sem se preocupar com nada. Isso é péssimo para a economia, porque não ajuda a roda girar.

Mas a reflexão que fica é: aquilo que é bom para a economia, pode não ser bom para você. E aquilo que é bom para você, pode não ser bom para a economia. Qual das duas opções você prefere? Deixo para você essa reflexão.

*Texto extraído do vídeo do Canal do YouTube GuiaInvest.

~ Yuka ~

Anúncios

35 comentários em “Eles não querem que você enriqueça

  1. Bom dia querida YuKa, polêmico esse texto. Caramba! Não concordo com boa parte do que está escrito. Principalmente com a parte de que diz: “Alguns bancos criam complexos esquemas para arrancar o seu dinheiro, evidentemente sem que você perceba”, não acho que seja assim. Está tudo escrito. As pessoas é que não querem ver, não leem, são impacientes, têm pressa e querem as coisas para agora, ou seja, talvez antes do melhor tempo. Obviamente ter as coisas antes de poder terá sempre um preço. Se você quer ter um carro que só poderia ter daqui a 5 anos e compra hoje, isso vai custar mais caro, juros, é lógico. Sobre “A intenção dos bancos é fazê-lo endividar para mantê-lo como escravo”, não acho que seja essa a intenção. A intenção é, se você quer, pegue o preço, ou deixe pra lá, é simples.

    Ninguém nunca foi obrigado a pegar dinheiro do banco, as pessoas pegam pelo fato que justamente não quererem ver a realidade, amam viver ilusões. Sobre “Por isso eles odeiam que você pague as contas em dia, ou que você tenha dinheiro sobrando, ou que você se recuse a ter um cartão de crédito.”, também acho que não é isso não, isso é assim pois tem muita gente que compra e depois não paga, logo, encarece o crédito para todos. Faz muito tempo que tenho o cartão, sempre paguei em dia e ele foi muito útil para pagar contas maiores parceladas, além do mais, ganhei milhas que usei para viajar. O CC é ruim só para quem que usar ele além das possibilidades que tem de pagar.

    Vamos ser realistas, muita gente não costuma ser correta com o dinheiro. A propósito, o governo é de quem mesmo? É do povo.

    Yuka, você pergunta: “Qual das duas opções você prefere?” As duas. Precisamos de uma coisa só, é o: EQUILÍBRIO! Não só com as finanças, mas com tudo na vida! Poupar e investir é fundamental!

    Por fim, a parte que concordo: “se não souber como administrar e proteger o seu dinheiro, vai perder tudo!” Isso é verdade. E justamente para tentar ajudar nessa tarefa que criamos o Sou Poupador. Por falar nisso, queremos ajudar as pessoas a colocarem em dia as finanças. Por isso, fica o convite para você e os seus leitores para conhecer o https://www.soupoupador.com.br lá nós te oferecemos várias dicas sobre como cuidar melhor do dinheiro para poupar e investi-lo.

    Curtir

    • Oi Fernando. Sério que não concorda com boa parte do texto? rsrs. Bom, eu mesma tenho péssimas experiências com bancos. Lembro que quando recebi meu primeiro salário como estagiária, fui no banco e pedi conselhos para uma gerente. Saí de lá com um título de capitalização. Eu podia ter lido as letras miúdas? Sim, mas não iria entender nada. A questão é que eu confiei nela, da mesma forma que a gente confia no médico quando estamos doentes. Alguns anos depois, já “mais esperta”, após muita insistência por parte de um gerente de outro banco, fiz minha previdência privada. E que após alguns anos, descobri que se eu investisse por conta própria no Tesouro Direto, eu teria muito mais patrimônio do que se deixasse na gestão do banco. Apesar de estar tudo escrito, posso afirmar que alguns contratos são tão difíceis de entender, que às vezes tenho a impressão de que são escritos assim, em termos difíceis apenas para que nós não compreendamos. Tenho uma amiga faxineira que finalmente conseguiu se aposentar, o salário dela é de 1 salário mínimo. Um mês depois que ela se aposentou, 4 bancos ligaram oferecendo crédito facilitado para fazer empréstimo. Não nos ensinaram finanças pessoais, a maioria dos meus colegas que trabalham comigo, mal conseguem poupar, mal conseguem investir, não é à toa que muitos de nós acabam na armadilha de pagar juros altos aos bancos. Não é à toa que o banco Itaú, por exemplo, é o banco com o maior lucro do MUNDO. Falando em bancos, a irmã de uma amiga minha trabalha vendendo seguros para “clientes desdentados”. Sim, para conseguir bater a meta, ela vende seguro de vida, seguro de sei lá o que para pessoas de baixa renda, que mal tem dinheiro para arrumar os dentes. Ela mesma diz chorando “você acha que essas pessoas precisam de um seguro de vida? É claro que não!” Gostaria que esse texto do post fosse uma grande mentira, mas não consigo enxergar dessa forma. Não vou me estender, mas a maioria de nós estudamos em escolas ruins, com professores ruins. Não é todo mundo que sabe fazer interpretação de textos (ler contratos), nós não somos incentivados a ter pensamento crítico, a discursar, não nos incentivam a pensar. E é esse povo, com baixo nível de pensamento crítico que elegem nossos políticos. Não é de estranhar que fazem tantas escolhas ruins… Concordo com você que ensinar finanças pessoais é uma parte essencial. Concordo também que poupar e investir é fundamental. E que também não nos é ensinado na escola. Nem finanças pessoais, nem inglês, nem nada do que eu considero importante. Hoje eu sei que tudo isso é proposital. Quem tem dinheiro para pagar uma boa educação, tem mais oportunidade no futuro. A maioria que não tem dinheiro, fica à mercê da sorte. Obrigada pelo comentário, valeu a discussão 🙂

      Curtir

      • Poisé Yuka, por incrível que pareça não concordo, com tudo não, rsrsrs. Concordaria se a pessoa fosse obrigada a comprar produtos e serviços bancários. Mas sei que não são. Ninguém colocou uma arma na cabeça delas e disse, assine. Se fosse assim existiria remédio jurídico para tal situação. Como você mesmo admite: “Eu podia ter lido as letras miúdas? Sim, mas não iria entender nada.” Certamente, mas para que serve a gerente mesmo? É justamente para tirar todas as suas dúvidas.

        Seguimos, na hora que li o que você disse sobre a previdência privada, lembrei do texto de um outro blogueiro sobre o que ele passou com a morte do pais dele, quero te recomendar a leitura para que talvez repense a respeito isso. Aqui vai o link: http://betofiscal.blogspot.com/2018/11/a-previdencia-privada-pode-ser-uma-boa.html, depois de ler, se possível, me fale o que achou!

        Sua amiga faxineira prova mais uma vez que os bancos disponibilizam o crédito, mas toma emprestado o crédito quem quiser. Era só ela dizer não.

        O tema me é bem querido, como você mesmo deve ter visto lá no Sou Poupador. Certa feita vi um video em que um palestrante falava o seguinte: que ele tinha avisado todo mundo para pagar em dia o cartão de crédito e cheque especial. Mas ele percebeu que as pessoas faziam justamente tudo ao contrário. Uma hora ele cansou e começou a comprar ações dos bancos. Se o Itaú é o banco que mais gera lucros, quem sabe seja uma boa instituição para comprar ações. Você está vendo?

        Sua prima que vende seguros não fez nada de errado. Quem não contrata o seguro é que precisa dizer se é bom um não. Mais uma vez repito, compra quem quiser.

        Da mesma forma, ninguém obriga as pessoas a não lerem e a não estudarem. Quem precisa de incentivo para pensar? Por acaso existe um botão fora das pessoas que se apertarmos vai fazer com que elas pensem? Acredito que ninguém tenha esse botão. Ele está dentro de nós e só depende de nós decidirmos estudar ou não, pensar ou não, etc.

        Fico feliz que concordamos com a educação financeira. Gostaria inclusive de conversar contigo por e-mail, se possível, sobre firmarmos uma parceria entre nossos blogs para levarmos mais informações para as pessoas. Se possível, envia um oi para contato arroba soupoupador.com.br para verificarmos as possibilidades. Beleza?
        Ah, Yuka, vê se aprece lá no Sou Poupador também! 😉
        Um abração!
        https://www.soupoupador.com.br

        Curtir

        • Oi Fernando, agradeço demais o convite, mas estou bem enrolada nesses últimos meses. Mal tenho tido tempo para escrever no blog, estou devendo alguns posts de colaboração que prometi para outros blogs que estou até com vergonha de não ter conseguido cumprir rsrs. Pode deixar que apareço no seu site sim. Um abraço pra você também e um bom início de semana para nós.

          Curtir

      • Concordo com vc Yuca!! Por mais que tenhamos que ler, escolher se queremos o dinheiro adiantado ou não, já estamos inseridos na roda do consumismo e nas armas de persuasão dos bancos, como citou nos exemplos!

        Acredito muito em tudo o que foi colocado no filme, não como uma teoria da conspiração, como muitos que vão ler esse post vão pensar (já vivi uma fase de conspiração, mas passou rsrsrs). Mas acredito que ainda estamos na época da escravidão, e que lentamente vamos sim, estudar, aprender e isso já está acontecendo!

        Vejo uma mudança silenciosa, e a internet é uma benção, e será ainda mais para o nosso pais! Assim, acredito que estão acontecendo 3 coisas: uma parcela vai continuar sendo manipulada por essa minoria que retém riqueza, outra parcela vai até tentar buscar conhecimento, mas ainda assim, mesmo se for pra internet pesquisar, vai achar que é tudo coisa da nossa cabeça de malucos, rs e outra parcela vai descobrir que realmente precisamos usar e desenvolver as nossas habilidades para se libertar de todo esse sistema!! E entender como funciona tudo isso!

        E cada vez que leio um post assim, fico feliz, porque é mais um passo dessa revolução, que como eu disse, é silenciosa, mas quando tudo ficar às claras, aquelas pessoas que não acreditavam vão tomar um susto muito grande! Bjs e ótima semana!!!

        Curtir

        • Oi Débora, concordo plenamente com você. Realmente, haverá pessoas que continuarão sendo manipuladas, protegendo com unhas e dentes o Sistema, como também haverá pessoas que já perceberam essa realidade distorcida e estão querendo sair e se libertar de forma honesta e inteligente (através do trabalho e investimento).
          Mudando de assunto, se tiver oportunidade, assista um documentário do Michael Moore, chamado Sicko. Recomendadíssimo! Assisti semana passada e fiquei horrorizada de como a saúde dos EUA é tratada. Ouço muitos brasileiros, inclusive colegas, que dizem como os EUA é ótimo, que devemos seguir os passos dos EUA, e bla bla bla. Assistir esse documentário foi como se eu tivesse levado um choque de realidade, de como as coisas são tristes e tratadas de forma tão cruel. Está disponível no YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=VoBleMNAwUg
          Outro assunto sobre os EUA que me deixou incrédula foi o post do blog Aposente aos 40 que fala sobre como os EUA trata seus cidadãos em relação a recolhimento de impostos. Sabemos que a educação nos EUA é ruim (ou muito cara) e com o documentário do Michael Moore, que a saúde também não é lá boa coisa. As pessoas que tem poder (governo, bancos, indústrias e mídia) influenciam sim na nossa vida, não há como negar isso. http://www.aposenteaos40.org/2018/11/voce-que-pretende-morar-nos-eua-precisa.html
          Beijos e uma ótima semana pra você também.

          Curtir

          • Com certeza vou assistir ao vídeo e ler o post do blog que recomendou! Já ouvi falar sobre essa questão da saúde nos EUA, mas não cheguei a ver nada sobre o assunto! Acho muito importante vermos tudo o que disponibilizam para nós na internet, fora da mídia convencional, pois só assim teremos dois lados para analisar e tentar ter discernimento sobre essas questões. Obrigada pelas indicações!! Bjs!!

            Curtido por 1 pessoa

  2. Bom dia!Penso sempre nessa questão.Vejo meus colegas de trabalho que ganham o dobro do meu salário reclamando de falta de dinheiro.Quando conversamos vejo o quanto são consumista e desperdiçam dinheiro.Pagam taxas bancarias,compram o que não precisam, ostentam para impressionar os outros e nunca planejam/refletem sobres suas compras.Eu sou minimalista e bemmmm ponderada com dinheiro.Não é fácil ir contra a manada ser chamada de mesquinha,pão duro e tal porém nada é melhor do que chegar ao fim do ano no azul.

    Curtir

    • Oi Marcela, o jeito é não ligar para os julgamentos alheios. Eu mesma, semana passada, falaram que eu era “bem famosa no meu trabalho por ser mão-de-vaca” kkkk. Morri de rir. E juro, em nenhum momento falei nada para justificar, sabe por quê? Porque já fizeram um julgamento sobre a minha pessoa e não vão mudar de opinião tão fácil. Eu sei o quanto poupo por mês, eu sei a paz que sinto quando vejo que minhas filhas terão uma boa educação, eu sei de que modo meu marido me olha toda vez que alcançamos alguma meta (apaixonado e orgulhoso rs)… Como você comentou, é fácil enxergar o que acontece com os nossos colegas que recebem salários parecidos ou até maiores. Apesar de receber um salário mais alto, muitos continuam enforcados, fazendo dívidas, ostentando, vivendo a vida loucamente. Enfim, cada um escolhe a vida que acha legal, né? Beijos.

      Curtir

  3. Yuka,

    Excelente post, ainda mais agora que está chegando o final de ano e o consumo desenfreado típico dessa época.
    O sistema é perverso, pois prefere alimentar-se de doenças, estresse, falta de qualidade de vida para sobreviver. É lamentável ver que em pleno século XXI tudo o que você disse se tornou tão sólido na sociedade, que as pessoas acham tudo normal.

    Há algum tempo escrevi um post sobre obsolescência programada. Não deveria ser normal a criação de novos modelos de quase tudo o que existe com o principal objetivo de substituir o antigo e gerar mais lucro. As mudanças deveriam ser maiores e não por causa de coisas tão pequenas como vemos, o que ocorre principalmente na área de tecnologia.

    Eu procuro viver de um modo mais simples e frugal. Não preciso de muitas coisas. Na realidade, ninguém precisa de muito para viver e ser feliz. É preciso estar bem atento para conseguir perceber isso, mas quando se alcança esse patamar, vemos o quanto gastamos dinheiro à toa com coisas desnecessárias ou prejudiciais à saúde.

    Boa semana!

    Curtir

    • Oi Rosana, a obsolescência programada é tão enraizada e incentivada na nossa cultura que é com muita dificuldade que lutamos contra. As roupas estragam e furam com mais facilidade, a memória do celular que está sempre faltando, o notebook que começa a travar depois de alguns anos de uso, a Black Friday que a cada ano traz mais consumidores, sempre tem aquele colega que faz a mesma pergunta todo ano “E aí? Aproveitou a Black Friday?”. É tanto gasto, tanto consumismo, tanta ostentação que fica até difícil de acompanhar as mudanças, né? Viver como eu e você vivemos, simples e frugal, infelizmente não é para todos, na verdade, é para poucos. Cada vez mais percebo isso. Beijos pra você.

      Curtir

  4. Incrível! Não conhecia esse canal e já comecei a seguir porque tenho como uma das minhas principais metas atualmente meu controle financeiro. E é exatamente sobre isso que estava pensando esses dias, como é importante ter nas nossas mãos o controle sobre nosso dinheiro. Por isso minimalismo me ajudou, porque ele que me abriu os olhos para cortar essa linha do “precisar ter” que colocam na nossa cabeça. Muito bom!

    Curtir

    • Oi Josi, se você conseguir aliar o minimalismo com as finanças, vai acontecer uma mágica na sua vida. O minimalismo permite viver intensamente, conforme suas necessidades e prioridades. Isso significa que todo o supérfluo não será mais importante. Se você conseguir não só poupar, mas aprender a investir toda a diferença que sobrar do seu salário, em pouco tempo vai acontecer a mágica dos juros compostos. Aprender finanças foi uma das minhas maiores descobertas da década (e não estou exagerando). Abriu meus olhos para muitas coisas, inclusive sobre tudo o que você leu nesse post, de como somos marionetes do governo, dos bancos, da mídia, da elite, etc. O controle financeiro é o primeiro passo para detectar onde está o seu ralo de gastos. Está no caminho certo. Beijos.

      Curtir

  5. Que post incrível!
    Me fez lembrar de alguns documentários da Netflix que assisti: The True Cost, Embrace, What’s the health, que falam bem sobre isso. Sobre como somos manipulados de todas as formas! Nunca havia pensado que o governo QUER que adoecemos! É chocante. Mas infelizmente vivemos em um mundo onde o dinheiro reina.
    Quando comento sobre minimalismo com amigos, todos me veem como doida! Kkkkkkk… as pessoas pensam: pq ter menos se no Japão você pode ter tudo que quiser? Na dúvida: leve! Se esperar pra comprar, pode acabar. E por aí vai…
    Me sinto caminhando na contramão. Ninguém ao meu redor parece se incomodar com o excesso. Cada vez querem mais e nunca desapegam do que já tem. É difícil explicar para eles que minimalismo não é privação. E sim escolhas inteligentes.
    Então parei de me explicar. Deixem que pensem que não compro tanto pq sou pobre. Ou pq sou doida. kkkkkk
    Eu já te disse? Você me inspira!

    Curtir

    • Oi Tiemi, às vezes tenho a impressão de que o principal objetivo do governo é nos deixar burros. Sim, alienados, ignorantes, passivos. Sempre questionei porque a vida inteira estudei, e nunca ensinaram inglês decentemente na escola… por que não ensinam finanças básicas para crianças e adolescentes? por que só os professores falam e as crianças não podem falar durante as aulas? Todo o sistema foi pensado para criar pessoas passivas. Essa passividade faz inclusive muitas pessoas a protegerem o sistema com unhas e dentes. Não é todo mundo que concorda com esse texto. Muitas pessoas discordam com o que está escrito, acham que os bancos são bonzinhos, que o governo foi a população que elegeu (população essa que não tem capacidade crítica, nem conhecimento para eleger alguém), que a mídia passa somente o que nós queremos assistir, se não queremos assistir, que desliguemos a televisão. Realmente, no Japão tudo deve ser muito mais intenso. Esse caminho que escolhemos, com certeza é a contramão da normalidade. Converso direto com o meu marido sobre esse assunto, que muitas pessoas passam a vida inteira achando que a vida é isso, acordar, trabalhar, comprar, dormir. A vida não pode ser só isso, a vida é muito mais do que isso. A parte boa é que sabemos que não estamos sozinhas nessa jornada. Nós não somos a maioria, nem em grande quantidade, mas saber que não estamos sozinhas é um grande começo para fortalecer ainda mais a nossa opinião. Beijos. Bom início de semana pra você.

      Curtir

  6. Boa noite, Yuka!
    Excelente reflexão… Me surgiu uma dúvida e gostaria que me deixasse uma sugestão, se possível!
    Meu celular é pré-pago, ou seja, todos os meses tenho de abastecê-lo com crédito. Como uso raramente nunca (somente quando preciso fazer ligações urgentes ou quando estou sem internet, o que é difícil), estou com exatos R$ 204,00 de créditos em meu celular. Fiz as contas e percebi que colocar R$ 50,00 de crédito que duram 6 meses vale mais a pena do que colocar R$ 20,00 a cada 30 dias. Mesmo assim, meus créditos irão vencer em breve e terei de recarregar para poder continuar usando caso precise. Por outro lado, algumas pessoas próximas têm planos pós-pagos onde pagam no mínimo R$ 40,00 por mês, o que sai ainda mais caro. Estou com uma tremenda dúvida se continuo usando desta forma ou se jogo o celular na privada hehehe. Sinto que o dinheiro está indo ralo abaixo e não tenho como escapar… Qual o método que você utiliza? Tens alguma sugestão ou ideia? Gostaria de sua opinião pois sempre me faz enxergar as coisas de outro modo! Desculpe pela pergunta fora do contexto mas aguardo ansiosa a sua resposta. Um beijo!

    Curtir

    • Oi Juliana, meu marido tem esse mesmo problema que o seu. Só que você está com muito mais créditos do que ele rsrsr. Essa sugestão que você deu, de colocar R$50 de crédito que duram por 6 meses é a melhor saída para você. Vai sobrar dinheiro? Vai. Mas aí vai ter que desencanar mesmo, pensar que para manter a linha, precisa pagar uma “mensalidade” de 8 reais e pouco. Esses saldos remanescentes do meu marido, eu acabo usando para mim. Por exemplo, quando preciso ligar para a creche, ou para o consultório de um médico, ou pedir uma pizza, eu sempre ligo pelo celular do meu marido. Também quando vamos passear para algum lugar e precisamos ativar a internet, ativamos pelo celular dele. Assim, aos poucos a gente vai gastando os créditos que ele tem e que não consegue gastar. Não acho que vale a pena pegar plano pós-pago não, não no seu caso. Outra coisa (que eu nunca fiz, mas pesquisando na internet eu achei) que dá para fazer é transferência de crédito para outro celular. Procura no google que tem vários sites que falam como fazer. Se isso for realmente possível, você pode combinar com alguém da sua família, ou algum amigo para transferir parte dos seus créditos e ele paga o valor para você. Seria o melhor dos mundos, não? Acho que vale a pena pesquisar e fazer uma tentativa. Beijos.

      Curtir

      • Bom dia, Yuka!
        Ontem à noite mesmo estava pesquisando sobre a transferência de créditos, mas a Tim disponibilizou esse serviço há cerca de 10 anos atrás e depois simplesmente cortou. Outras operadores ainda mantêm esse ótimo serviço, mas claro que nem todas estão dispostas a perder dinheiro de certa forma, né? Realmente seria a solução para os meus problemas! Hehehe. Agradeço pela sua consideração ao responder minha dúvida, ajudou bastante! Um beijo e boa semana!!!

        Curtir

        • Que pena que a Tim cortou. Me lembrou muito de quando os bancos cortaram o conta digital com tarifa zero, pois teve mais adesões do que eles esperavam rs. Beijos.

          Curtir

  7. Que imagem forte! Só a imagem antes do texto já faz a gente parar para pensar. Gosto muito do GuiaInvest, comprei um dos cursos deles e já me abriu os olhos para muitas coisas. Também sou a pessoa “fora da curva” na família, enquanto todos gastam eu poupo. E ignoro os comentários maldosos por me comportar assim hehehehe.

    Curtir

    • Oi Michelle, essa imagem diz muito do que acontece com a sociedade… torcem a gente até a última gota, até o último suor… a maioria das pessoas não sabem como o sistema funciona. Eu, depois que descobri, confesso que ficou muito mais fácil enxergar certas induções disfarçadas… as datas comemorativas criadas justamente para que a gente gaste o nosso dinheiro, impor marcas caras e modelos de carros esportivos como indicativo de status e de felicidade, até nas novelas enxergamos isso… o esmalte da fulana, o brinco da ciclana, a roupa da moda, a mansão em que os personagens vivem, o rico é sempre a pessoa má, o pobre é sempre a pessoa com coração bom, tudo é induzido de forma sutil, todos os dias, todos os anos, até que sem perceber, começamos a achar tudo isso normal. Que é normal fazer dívidas, que é normal não ter dinheiro, mas viajar todos os anos, que é normal achar que todo rico ficou rico roubando, e muitas outras coisas. Considere que você ser o ponto “fora da curva”, é um baita de um elogio rsrs. Beijos.

      Curtir

  8. Assinei seu blog por indicação de um grupo minimalista. Estou gostando muito e concordo 100 por cento com o texto . Aproveito para pedir sugestões de investimento rsrs uma de minhas metas em 2019 é conhecer os juros compostos. Não sei nem o q é mas deve ser muito bom ! Bjs

    Curtir

    • Oi Silvana, bem-vinda! Então, sobre sugestão de investimentos, o primeiro passo é você controlar todo o seu orçamento, quanto ganha por mês, quanto gasta, aonde gasta, onde pode economizar, descobrir onde seu dinheiro está indo. Depois disso, é hora de abrir uma corretora de valores (existem várias que não cobram taxas de corretagem como a Easynvest, a Modal, a Clear, etc). E comece pelo Tesouro Direto, até você aprender a investir em outras modalidades (como CDB, LCI, LCA, fundos de investimentos imobiliários FII, ações etc). Só comece a investir nas outras modalidades depois que estudar e entender um pouco. Não tem jeito, para investir, tem que estudar. A notícia boa é que você não precisa pagar nenhum curso. Tem muitos conteúdos gratuitos disponíveis, como o site do Clube dos Poupadores, Quero Ficar Rico etc. Sobre os juros compostos, o próprio site do Clube dos Poupadores disponibiliza uma calculadora de juros compostos. Vá lá e comece a fazer algumas simulações, essa parte é muito importante! Como uma brincadeira, coloque taxas de juros de 0,80% a 1% por mês. Lembrando que a poupança é menor que 0,60%, desconsiderando a inflação em ambos os exemplos. Você vai ver que quanto mais tempo você deixa o dinheiro, mais juros compostos você ganha. Isso significa multiplicar seu dinheiro “sem fazer esforço”. Por exemplo, se você já tiver 10 mil reais e passar a investir 1 mil reais todos os meses a uma taxa de 0,80% ao mês, pelo período de 25 anos, adivinha o que vai acontecer? Você vai ter R$1.348.986,15. Isso mesmo, mais de 1 milhão e trezentos e quarenta mil reais. E aqui vai o poder dos juros compostos: você teria juntado do seu próprio dinheiro apenas 310 mil. O restante seria juros compostos. Sim, você teria ganho mais de 1 milhão de reais em juros compostos. Não precisa entender os pormenores, apenas a ideia já basta. São os juros compostos que fará você se aposentar mais cedo, então ao invés de estar do lado que paga juros (pegando empréstimo em bancos comprando casa, carro, celular etc), fique do lado que empresta dinheiro para os bancos, empresas etc (através dos investimentos como CDBs, ações). Faça a simulação de acordo com a sua realidade. Se conseguir poupar R$300, ótimo. Se conseguir poupar R$3.000 ótimo também. Um beijo e bons investimentos para você.

      Curtir

  9. Olá, Yuka!
    Acabei de ver sua resposta para a Silvana e fiquei curiosa sobre como investe seu dinheiro! Seria bastante útil um post sobre esse assunto, já que não basta somente economizar dinheiro, e sim, saber aplicá-lo corretamente. Eu, por exemplo, apenas “invisto” meu dinheiro na Poupança, pois ainda tenho receio de colocá-lo em um lugar menos “popular” e acontecer um rombo ou algo do tipo! Hahaha. Claro que pretendo mudar essa realidade, pois estou com apenas 19 anos e quero logo conhecer melhor as modalidades que me oferecerão maior rentabilidade. Um beijo e espero que atenda minha dica!

    Curtir

    • Oi Julia, os meus investimentos basicamente são: Poupança (para reserva de emergência), Tesouro Direto, Ações, Fundos Imobiliários e Imóveis. Como você é bem nova, se começar a estudar cedo, fazer investimentos consistentes mês após mês, pode ser que aos seus 30, 35 anos, você já consiga se tornar independente financeiramente. Olha que coisa boa!!! Comece lendo o site do Clube dos Poupadores, tem muitos artigos interessantes. Beijos.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: