Resgate 15 hábitos antigos nesse período de pandemia

Cadeira, Casa, Estilo Country, Design De Interiores

Em períodos de quarentena em que nos encontramos, muita coisa mudou na nossa rotina. Acredito que muitos de nós, estejamos aprendendo a lidar com a reclusão, o confinamento, com a convivência mais intensa dos familiares, da falta que faz um abraço, de caminhar pelas ruas, de sentir o sol quente no rosto. Nem parece que há 3 semanas ainda fazíamos tudo isso.

Isso só me faz ter a certeza de que nós não temos controle de nada. A gente até acha que tem, mas não temos.

Nestes períodos difíceis, tento resgatar hábitos antigos da época dos nossos pais e avós para não me perder.

1.) Cozinhar mais / comer menos industrializados

Não precisa ser nada gourmet, mas cozinhar (ou aprender a cozinhar) acaba unindo a família. Como não estou pedindo comida em restaurantes, tenho feito tudo em casa, desde pizza, hambúrguer, esfiha, nhoque, risoto, iogurte, sushi, e por aí vai. É bem legal quando falo “hora de comer!!!” e as crianças já começam a rodear a mesa. Acabei de descobrir uma receita nova maravilhosa de pão caseiro, que uma hora publico aqui. Também temos comido menos alimentos industrializados, uso bastante o freezer para me ajudar a variar o cardápio, já que a frequência de ida ao supermercado reduziu consideravelmente.

2.) Fazer com o que já tem em casa

Eu queria comprar uma máscara de proteção, mas não achava mais para comprar. Antes dessa onda das pessoas fazerem as próprias máscaras, eu simplesmente peguei um tecido que eu já tinha em casa e fiz uma máscara para toda a minha família.

Outra coisa que estou praticando mais, é usar a criatividade quando falta algum produto. Se faltou a farinha de rosca, uso queijo ralado ou biscoitos esmigalhados. Se não consigo levar o edredom para a lavanderia, encho uma bacia grande com água e sabão, e chamo as crianças para pisar em cima.

3.) Aprender a ser mais auto-suficiente / desenvolver habilidades manuais

Isso significa aprender a colocar uma prateleira, consertar o chuveiro, trocar lâmpadas, fazer pequenos consertos. É muito gratificante, mesmo que no final fique um pouco torto. Estou aproveitando esse momento em casa para consertar algumas roupas, uma barra da calça que está comprida, um botão que se soltou da camisa.

4.) Confiar mais nas pessoas

Esses dias de quarentena, ando meio triste. Conversei com a equipe do meu trabalho, falei que não estava bem, que estava me sentindo sobrecarregada, me cobrando muito por não conseguir nem ser uma mãe boa, nem trabalhar direito. E olha que coisa linda, eles se dispuseram em assumir partes do meu trabalho para que eu ficasse bem.

5.) Trocar receitas e dicas com os amigos e vizinhos

Eu tenho um caderno de receitas dentro do Evernote, onde anoto somente as receitas culinárias que deram muito certo. Adoro descobrir receitas novas. Eu e minhas amigas estamos trocando receitas.

6.) Usar os produtos até o fim

Em 2015 publiquei 2 posts sobre esse assunto. Parece ser uma coisa óbvia de se falar, mas muitos dos produtos são jogados fora ou porque passou da validade ou porque a pessoa não sabe que ainda tem bastante produto dentro do rótulo que aparentemente está vazio. Aqui e aqui. Sempre usei os produtos até o final, mas não custa lembrar o valor das coisas que temos, que se o shampoo acabou, pode-se colocar água para terminar de usar até o final, isso vale para o detergente também.

7.) Ter menos coisas

Ter menos coisas significa ter menos trabalho, menos gastos, menos tempo com manutenção e limpeza.

Para aliviar a sensação de estafa, tente esvaziar a casa, arrumar a bagunça. Organizar o externo faz bem para a alma e alivia a mente.

8.) Fazer menos

Nesse período de quarentena, não é fácil administrar as tarefas de casa, do trabalho e ainda cuidar das crianças. O jeito é fazer menos.

Tenho tomado cuidado para não me sentir obrigada a ser produtiva, ler livros, ser uma super mãe. O mais importante é manter a saúde mental, para a família toda estar bem.

9.) Acompanhar menos notícias

Tenho avaliado na quantidade de notícias que estou sendo bombardeada diariamente: e-mails, grupos de WhatsApp, notícias da internet, televisão, amigos, familiares… Claro que é importante acompanhar as notícias, mas o excesso traz ansiedade e estresse.

10.) Frequentar as lojas do bairro

A grande verdade é que muitos empreendimentos estão falindo ou podem falir a qualquer momento, principalmente os pequenos. Quando vou ao mercado para abastecer a minha geladeira para a semana, tenho frequentado mercados do bairro para incentivar o comércio local, principalmente nesse momento de crise.

11.) Usar produtos naturais para limpar a casa

Eu mesma faço o sabão em pedra, que diga-se de passagem, é muito melhor do que os que compramos no supermercado. Além disso, dá para usar o bicarbonato de sódio na hora da limpeza, vinagre na lavagem de roupa etc.

12.) Usar produtos naturais para cuidar da saúde

A babosa tem uso milenar na minha família. Eu sempre usei para tratar feridas e machucados. Outra coisa que meu marido usa é o desodorante caseiro.

13.) Conversar mais

Não é porque estamos em quarentena, que não iremos conversar mais com as pessoas. Tenho conversado com os amigos, usando principalmente o áudio do WhatsApp. A pessoa conversa, e eu respondo quando consigo. E assim, vamos dialogando ao longo dos dias.

14.) Ter plantas

Quando eu tinha quintal, tinha uma pequena horta com salsinha, cebolinha, alface, lavanda, morango, alecrim etc. Depois tive as minhas 2 filhas, mudei de apartamento e as plantas ficaram para trás. Eis que nesta quarentena, comecei a sentir falta de ter plantas. Eu já estava com algumas mudas de plantas que havia pegado na rua, na água. Replantei em um vaso com terra e vê-las crescendo diariamente tem sido uma das minhas alegrias.

15.) Colocar-se no lugar do outro

Se tem o costume de pedir comida pelo delivery, que tal dar uma gorjeta mais gorda? Talvez os R$50 ou R$100 que para você não faria tanta diferença assim, pode fazer uma baita diferença para a pessoa que está ali, trabalhando em plena pandemia por necessidade.

Se mora sozinho, e o colega de trabalho está sobrecarregado (que foi o meu caso), tentando conciliar a paternidade/maternidade e o home-office, talvez seja o momento de tentar ajuda-lo, pegando um pouco do serviço dele.

Se conhece pessoas que moram sozinhas, talvez seja o momento para ver se a pessoa está bem, se precisa de ajuda.

Resgatar os nossos hábitos antigos, tirando os olhos da tela do celular, talvez seja a forma de preenchermos novamente esse mundo vazio, uma forma de reencontrar o que estávamos quase esquecendo… a importância da solidariedade.

~ Yuka ~

 

30 Comments on “Resgate 15 hábitos antigos nesse período de pandemia”

  1. Notícias como: aumento do consumo de álcool e aumento no número de casos de violência contra a mulher só mostram como o pior vírus é o da ignorância.
    Obrigado por compartilhar atitudes tão simples, mas que passam batidas nos dias comuns. Estou usando esses dias para aprender coisas novas e revisitar coisas antigas. Mas, principalmente, estou olhando para dentro de mim e me conhecendo melhor a cada dia.
    Sairemos melhor dessa quarentena, não tenho dúvida.
    Abraços.

    Curtido por 1 pessoa

    • Oi Gabriel,
      Realmente, a quarentena nos obriga a encarar a nossa vida. Apesar de toda a tragédia que está acontecendo no mundo todo, se a gente conseguir enxergar o lado bom e tentar evoluir, poderemos sair muito mais fortalecidos e quem sabe, uma pessoa melhor? Beijos.

      Curtido por 1 pessoa

    • Oi Barbara, cookies maravilhosos né rsrs. Vou ver se posto a do pão também, durante mais de 7 anos, sempre fiz o mesmo pão, a receita está inclusive aqui no blog. Mas fiz um pão que tem como base uma receita do Japão, que delícia que ficou. Tirei umas fotos então em breve publico o post. Grande beijo.

      Curtir

  2. Comigo tem acontecido o contrário que percebo na maioria das pessoas: esse tempo em casa tem sido uma terapia. Aproveito para cozinhar, ler mto, praticar yoga, tocar piano e fazer reflexões… inclusive um diário de quarentena, no qual estou fazendo observações e conclusões incríveis. Fora que, fazer home office tem se mostrando mto bom pra mim pq não fico escutando converseiro de colegas a todo momento… O silêncio é extremamente calmante pra mim, mas entendo que a situação das outras pessoas é diferente, pq eu não tenho duas filhas em casa. É claro que desejo que tudo isso passe logo, mas a quarentena tem me revelado um equilíbrio que para mim seria o ideal. Beijão Yuca, amei essa foto que você escolheu!

    Curtir

    • Oi Dane, eu imagino mesmo que tem sido uma oportunidade esse momento em casa. Eu sou uma pessoa que gosto do silêncio, sinto falta do silêncio, e desde a quarentena, não tenho conseguido isso. Claro que é algo normal com crianças em casa, mas sinto muita falta de não conseguir nem dar uma volta pelo quarteirão para buscar o silêncio. Do momento que acordo até o momento delas dormirem, é muito barulho rs. Aproveite bastante esse período para buscar o auto-conhecimento, ler livros bons, fazer tudo o que geralmente não conseguimos fazer por conta da rotina corrida. Um grande beijo pra você.

      Curtir

  3. Vc citou o desodorante natural, e venho te dizer que serei eternamente grata a vc por compartilhar a receita. Fiz pq vc disse “Não custa tentar” aí tentei pq ouço bastante seus conselhos, e amei! Não comprarei mais desodorante. Que alívio.. Por aqui é o marido quem tem a paixão por cozinhar. Eu evito ao máximo rss.. Estes cookies tenho vontade de fazer. Beijos

    Curtir

    • Oi Rosana, o desodorante é bom mesmo. Quando faço, já faço um pequeno estoque para meu marido sempre ter em mãos. Faz os cookies sim, seu filho vai amar, já congele, assim você só suja a louça uma única vez. Todos eles são deliciosos, mas se for fazer, faça primeiro o cookies com castanhas do pará, é viciante. Depois você me fala o que achou. Beijos.

      Curtir

  4. Olá nobre investidora e seguidores, sou novo na blogosfera de finanças e gostaria de uma dica para este plebeu em ascensão.

    PERFIL:
    28 anos, solteiro, sem filhos, sem dívidas “moro com os pais”, trabalho CLT que está longe do risco dessa crise “ou seja, risco mínimo de ser demitido”.

    OBJETIVO: Abrir uma empresa “já sei exatamente o que quero” daqui 2 à 4 anos, com os lucros dela, fazer investimentos que me tragam I.F no futuro.

    VALOR PARA ABRIR A EMPRESA: 20 à 30 mil reais.

    CONDIÇÃO ATUAL: Tenho 4 mil de reserva de emergência aplicadas no CDB Banco Inter.
    Tenho mais 4 mil que não sei onde aplicar (ações, FIIS etc)

    PATRIMÔNIO E CAPACIDADE DE APORTE:
    Carro no valor de 12 K “não posso vender pois preciso para deslocar meus pais que são idosos”.
    Posso aportar até 1000 reais por mês.

    O que me recomendam para chegar nos 20-30 mil reais o mais rápido possível?
    Ações específicas na bolsa? ETFs? FIIs? LCI? Ou outra?
    Agradeço pela paciência.

    Curtir

  5. Oi, Yuka!
    Estou refletindo muito na quarenta. Gostaria de saber a tua opinião sobre um assunto relacionado a política. Entendo se não puder/quiser responder, pois vivemos em uma época em que referido debate causa inúmeras críticas/ataques.
    Antes de mais nada gostaria de dizer que não me considero nem de esquerda, nem de direita. Concordo com alguns posicionamentos de uma, com outros posicionamentos de outra. Creio que devemos saber elogiar quando os políticos acertam, bem como criticar quando erram, sendo do lado que forem. Assim, devemos acima de qualquer coisa buscar melhorias ao nosso país.
    Mas vamos ao fato. Eu acompanho apenas dois blogs. O teu e o de X. São blogs que me fazem bem e refletir sobre uma vida consciente. X nunca abordou nenhuma questão relacionada a política. Eis que na semana passada eu comecei a seguir X também no twitter e para minha surpresa vi que muitas de suas postagens eram sobre direita/esquerda. Não concordei com algumas postagens, outras achei muito bem colocadas. Vi que alguns seguidores responderam discordando e que X até respondeu algumas de forma mais agressiva(que esperado por mim). Na hora pensei como eu não conhecia de fato a pessoa que eu seguia por cerca de 6 ou 7 anos. Notei que o posicionamento da referida blogueira não me incomodava, vez que não apoio nenhum lado com unhas e dentes, mas fiquei me questionando sobre quantos seguidores ela perdeu por se posicionar daquela forma. Também me questionei até que ponto continuaria seguindo alguém que não pensa igual a mim caso isso acontecesse no futuro. Noto que me sinto muito preocupada com o rumo em que as coisas estão tomando, pessoas se afastando das demais em razão de posicionamentos políticos. Gostaria muito de saber tua opinião sobre o caso.

    Curtir

    • Olá, tudo bem? Até tentei ver se você tinha colocado e-mail para mandar um e-mail pra você, que pena que não achei. A minha opinião em relação a tudo é que não há verdades absolutas sobre nada. Isso inclui política, religião, cultura, filosofia etc. Não vejo diferença entre uma pessoa extremista de direita ou esquerda, pois são extremistas iguais, só estão em pólos opostos. Opinião é algo muito pessoal, conta muito a experiência de vida de cada um, além de capacidade de se colocar no lugar do outro. Hoje, o diferente ofende, o diferente magoa, e não deveria ser assim. O que temos que fazer é aprender a respeitar as diferenças, compreender o outro e ter amor ao próximo.

      Curtir

  6. Grata Yuca por compartilhar sua quarentena conosco, gosto muito do seu ponto de vista e aguardo ansiosamente seus posts ou comentários nos outros blogs (SrIF que tbem acompanho).

    Também estou um pouco triste nessa quarentena, talvez seja um receio mesmo de deixar filha pra trás e tals, ou de perder alguém querido. Aceitar essa “falta de controle” foi essencial para que eu ficasse melhor, menos ansiosa. Mas eu realmente me pego pensando o quanto somos despreparados para situações de crise, não só como nação, mas mundialmente mesmo. Talvez esteja decepcionada comigo mesma, com a ciência, economia etc (quem mandou criar ilusões não é? Hehehe). É interessante perceber quão transparentes as pessoas ficam nessa pandemia, às vezes é uma verdade chocante, mas que bom é lidar com a verdade.

    Tenho uma filha já de 8 anos e ela tem se comportado muito bem, brinca sozinha e tal, mas dá muita dó do home schooling, e da nossa inabilidade em auxiliar ela nas aulas online (inclusive de inglês) ou de criar brincadeiras, enquanto estou trabalhando ou após (e o trabalho agora que está normalizando, antes ficava o dia e a noite por conta do serviço).

    Enfim, não quero que pareça pesado meu comentário, são só constatações mesmo. Enfim, quero melhorar enquanto pessoa, priorizar mais as alegrias do dia a dia, talvez mudar de cidade, cursar outra faculdade (talvez um curso que eu consiga trabalhar até ficar idosa, para ser útil, considerando que se meu Fire vier, será após a formatura da filhota, e gosto de trabalhar, mas sem o desgaste de uma carga horária de 8 horas…).

    Ou talvez pensar no futuro seja só uma forma de distrair do receio de não estar mais por aqui… Vai saber! Hehehe

    Beijos e fiquem bem!

    Curtir

    • Oi Cinthia, tudo bem com você?
      A crise é algo que pega as pessoas de surpresa mesmo, mas essa aqui, está em outro patamar, por 2 coisas: o confinamento e a morte das pessoas. Fico vendo pessoas que moram em barcos ou até mesmo astronautas dando dicas de como enfrentar o confinamento, mas fico só pensando que o astronauta recebe anos de treinamento principalmente psicológico, para ficar confinado, nós não recebemos nenhum treinamento. Quem veleja, fica confinado em um lugar pequeno, fica isolado por dias, semanas no oceano, mas pode voltar para terra firme quando quiser. Nós não podemos mais voltar para o mundo que conhecemos, pelo menos por enquanto. Eu imagino como deve estar difícil fazer o homeschooling para a sua filha, como minhas crianças são pequenas, ainda “escapei” dessa. Hoje fui andando até uma loja grande de pet shop, porque vi pela internet que vendia plantas. Fui de máscara e fui a pé, pra não encostar em nada, e voltei de lá com 4 plantas, e um aquário com peixes. Passei a manhã e o início da tarde montando o aquário com as minhas meninas, e depois transplantei as plantinhas nos vasos novos. Fiquei pensando como essas coisas tem se tornado tão importante nesse momento. É como se eu tentasse ter um pouco de controle (no caso, das plantinhas e dos peixinhos) numa situação macro que não há controle. Enquanto isso, vivemos um dia de cada vez, tentando distrair nossas crianças, não é mesmo? rsrs. Um grande beijo.

      Curtir

  7. Oi Yuka, tudo bem?

    Desde a saída de meu emprego tenho o costume de comer em casa. Mas é aquele tipo de comida que homem sem dotes culinários faz, sabe? Nutritiva, tudo, mas nada que traz apetite para os olhos.

    Minha mulher está trabalhando de casa atualmente e ela gosta de cozinhar. E vejo como uma comidinha bem feita pode fazer falra às vezes rsrs.

    Agora, de todos seus pontos, piorei muito nesse lance de ver notícias. Tentando encontrar pistas para o fim dessa crise, estou consumindo muito mais notícias, lives, relatórios ultimamente. É meio um retrocesso no meu projeto de me livrar aos poucos das horas de “trabalho”. Veremos se isso o não atrase demais…

    Abraço!

    Curtir

    • Oi André, por aqui tudo bem, espero que com você também.
      Eu preciso até tomar um pouco de cuidado, porque estou meio que começando a me empolgar na comida… lanche da tarde, tenho feito bolos e pães, e isso não vai dar muito certo a médio prazo. Minha amiga disse que o ideal é que fizéssemos home-office usando uma calça-jeans, ao invés do shorts de tecido molenga que usamos o dia todo, já que no dia que voltarmos ao trabalho, nenhuma calça-jeans irá entrar no nosso corpo hahaha. Sabe que depois que estourou a crise, eu comecei a acompanhar mais notícias também, muitos grupos no whatsapp e tudo, e isso começou a me fazer mal, e cortei radicalmente. Agora estou aos poucos tentando voltar a ler os blogs que gosto, os que eu sempre acompanhei, independentemente de crise ou não. Um beijo.

      Curtir

  8. Oi Yuka!!
    Te acompanho a bastante tempo porém só agora resolvi criar uma conta para começar a interagir. Saiba que sou muito agradecida por todos seus comentários e porque não dizer ensinamentos sobre a vida Minimalista. Desde de que conheci seu Blog minha vida ficou muito mais fácil e menos cara. Rsrs!!!
    Obrigada mesmo

    Curtir

    • Oi Camila, interagir no blog é uma das melhores maneiras de me deixar feliz rs. Gosto bastante de ouvir as pessoas, principalmente quando as pessoas contam a sua história pra mim. Obrigada por me acompanhar e espero ver você mais vezes por aqui. Um grande beijo!!!!

      Curtir

  9. É muito legal descobrir que você pode cozinhar, hahaha! Eu detesto cozinhar mas estou criando receitas de restos de ontem e anteontem maravilhosas! Amanhã tem ovo de páscoa feito por mim (não sei como ficarão; meus filhos são alérgicos ao ovo e à proteína do leite e segui uma receita vegana que não tem muita cara de dar certo mas…). Ao respeito da máscara, pode se quiser não publicar meu comentário e que fique privado: não faça. Ou se faz, faça uma prova muito simples: borrife desodorante. Se passou, não serve. Tem um vídeo que mostra como colocar um pedacinho de acetato ou as capas dessas pastas A4 transparentes entre o tecido para evitar isso. Comento porque as pessoas do meu entorno trabalham na área. Eu se não tenho as máscaras que não passa uma borrifada de desodorante, não uso. Nem meus filhos. Hj fui para o PS com meu filho e não usamos as que tínhamos por esse motivo. Só mantivemos a distância social necessária. Um abraço, Yuka, e que a quarentena consiga que todos nós melhoremos nossos hábitos!

    Curtir

    • Oi Bhuvana, cozinhar todos os dias não é uma tarefa fácil, mas por aqui também tenho criado receitas com restos de ontem rsrs. A imaginação vai longe, para não desperdiçar comida. Sobre a máscara, a minha ficou bem grossa, coloquei feltro no meio dos tecidos, mas gostei da sua dica, vou ver essa opção de colocar pedaço de pasta A4 transparente entre o tecido. Como as lojas estão fechadas, o jeito é fazer com o material que temos disponível em casa rs. Um beijo pra você.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: