Obsolescência: você substitui seus produtos com que frequência?

O vídeo A História das Coisas fala sobre a extração e produção de produtos até à comercialização, e de como o nosso padrão de consumo afeta nossas vidas.

O vídeo inteiro é muito interessante, mas é a partir dos 12 minutos e 40 segundos do vídeo que hoje eu quero falar: sobre OBSOLESCÊNCIA.

Segundo aqui, a obsolescência é a condição que ocorre a um produto ou serviço que deixa de ser útil, mesmo estando em perfeito estado de funcionamento, devido ao surgimento de um produto tecnologicamente mais avançado.

E há 3 tipos de obsolescência:

OBSOLESCÊNCIA TÉCNICA: quando surge um produto novo que toma o lugar do antigo (um celular comum para um smartphone)

OBSOLESCÊNCIA PLANEJADA (OU PROGRAMADA): quando fabricantes usam como estratégia a redução da durabilidade de um produto com o intuito de programar uma nova compra (entendeu por que a batedeira da sua mãe funciona perfeitamente e o seu quebra com frequência?)

OBSOLESCÊNCIA PERCEPTIVA (OU PERCEBIDA): quando fabricantes lançam produtos com aparência inovadora e mais agradável, dando aos produtos antigos aspecto de ultrapassados.

Há alguns anos, a minha máquina fotográfica quebrou. Uma peça simplesmente caiu. Levei para consertar e descobri que gastaria R$140,00 no conserto. Ironicamente, para comprar uma máquina idêntica, custaria R$190,00. Acabei jogando fora a máquina e comprei uma nova. Mas até então não tinha percebido que isso tinha um nome: obsolescência planejada.

Também sou vítima da obsolescência perceptiva. Quantas vezes dispensamos uma roupa que ainda tem condições de uso só porque “saiu da moda”? O pior é quando a moda volta e você se desfez daquela peça. Por isso evito de seguir tendências e tento usar roupas que mais se adequam ao meu corpo. Mas ainda tem a obsolescência perceptiva em relação aos eletrônicos, aos eletroportáteis, aos móveis…

Comecei a olhar em volta e percebo que não tenho muitos produtos com mais de 10 anos. Tenho algumas coisas como geladeira, máquina de lavar roupa, batedeira (que tem 31 anos) herdada da minha sogra , algumas roupas boas que tenho muito mais que 10 anos, entre outras coisas. Mas basicamente as coisas são novas. Tudo bem que sou recém-casada e montei a minha casa recentemente. Mas percebi como a obsolescência está enraizada até dentro da minha casa.

Como disse em outros posts, não vejo problema em comprar. O desafio está no excesso. Em não ser influenciada com tanta frequência pela mídia e pelas pessoas.

Quem tiver interesse, tem um texto legal: “Programado para morrer – a obsolescência programada reduz a durabilidade de produtos para estimular o consumo”

~ Yuka ~

Anúncios

3 comentários em “Obsolescência: você substitui seus produtos com que frequência?

  1. Pingback: Vídeo iDiots | VIVER SEM PRESSA

  2. Meu teclado tem 10 anos. Não cedi à obsolescência perceptiva de trocar o teclado branco por um preto, até porquê é mais difícil enxergar as letras no escuro nesse último.

    Curtir

    • Nossa, que legal!!! Pois é, mas são raras as pessoas que têm essa consciência que você tem. A maioria acaba trocando um produto ou porque enjoou, ou porque saiu de moda, etc.

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: